Por que não a Dança?

artigo-danca-valedoiguacuQuando se pensa em atividades físicas e melhoria da qualidade de vida, na resolução de problemas de saúde, definição de estética corporal ou até mesmo socialização, a academia acaba sendo a primeira opção para pessoas que desejam iniciar uma prática de exercícios físicos. A dança, de maneira geral, por ser uma manifestação artística e cultural é vista como hobbie e reconhecida pela grande massa como entretenimento.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), qualidade de vida pode ser entendida como toda e qualquer busca do indivíduo por ampliação e constituição de aspectos físicos, psicológicos, nível de independência, relações sociais e crenças pessoais, e se divide em 5 pilares: físico, social, financeiro, emocional e espiritual. A dança pode ser considerada uma ferramenta capaz de promover esses benefícios, assim como as outras práticas conhecidas.

O estudo de Barancelli e Pawlowytsch (2016) sobre a dança e sua relação com a qualidade de vida, concluiu que 100% das pessoas afirmaram que a prática frequente de dança influenciou positivamente no bem-estar físico e psicológico dos participantes. A dança trabalha o desenvolvimento cognitivo e afetivo, a coordenação motora, consciência corporal e melhora o desempenho nas atividades da vida diária, autoconfiança além de atuar na prevenção de doenças.

Nossas cidades possuem ótimas opções de escolas que oferecem aulas para quem procura uma atividade física que contribui para um desenvolvimento tanto físico quanto mental, e auxilia na qualidade de vida do indivíduo, através da prática de dança.

Por Amanda Cândido, Frank Beluk, Heloísa Sebben Rhinow, Maureen Rodrigues.

Professora Orientadora: Susana Fávaro.

Pós-graduação em Danças Educacionais, Faculdades Integradas do Vale do Iguaçu

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta