Busto de Getúlio Vargas é recolocado

Peça que fica no centro, na Praça Alvir Riesemberg, havia sido vandalizada e arrancada

Busto foi recolocado na terça, 20
Busto foi recolocado na terça, 20

Em sua conta na rede social, o vice-prefeito, Bachir Abbas, fez uma selfie na frente da peça. Abaixo, publicou um pequeno texto. “Essas pessoas que depredam o patrimônio público, não tem ideia do mal que fazem para a cidade. É dinheiro público gasto para consertar esses estragos. Vamos todos cuidar da nossa cidade, ela e de todos nós!”, escreveu. À reportagem, Abbas explicou que alguns detalhes foram consertados e que a peça recebeu uma fixação melhor.

Getúlio Vargas e sua relação com o Vale do Iguaçu

Vargas era amigo do ex-prefeito de União da Vitória, Domício Scaramella e, em 1930, acenou da sacada do extinto Hotel Internacional. Em 2014, por conta da visita da presidente Dilma Rousseff à União da Vitória, O Comércio resgatou a histórica visita do ex-presidente à região.

Como apurou a reportagem na ocasião, Getúlio Vargas esteve realmente na região e até deu discurso. A sacada do já extinto Hotel Internacional, na Praça Hercílio Luz, ficou famosa: foi de lá que em outubro de 1930 Vargas acenou para a população que se aglomerava perto do chafariz. Mas, conforme historiadores locais, Vargas não veio à região como presidente. Na ocasião, é provável que a visita tenha sido de cortesia, já que o ex-presidente tinha amizade com o então prefeito Domício.

Gaúcho de São Borja, Getúlio Dornelles Vargas governou o País em dois períodos: o primeiro, de 1930 até 1945, e o segundo, de 31 de janeiro de 1951 até 24 de agosto de 1954, quando se suicidou no Palácio do Catete, no Rio de Janeiro, então capital federal. Vargas foi o presidente que governou o Brasil durante mais tempo. Entre 1937 e 1945, instalou um regime ditatorial, conhecido como Estado Novo. Seu governo foi marcado por um período de significativos investimentos no Brasil e de adoção de direitos trabalhistas.

Mas, a resistência de Getúlio em abandonar o autoritarismo, entretanto, provocou o golpe militar que levou à sua queda. Em 1951, voltou à Presidência pelo voto popular. Pressionado pelos militares contrários à sua gestão, acabou por se suicidar, deixando uma carta em que afirmava “sair da vida para entrar na história”.

O presidente teve seu nome inscrito no Livro dos Heróis da Pátria em 15 de setembro de 2010. Seus restos mortais foram levados para sua terra natal e colocados em um mausoléu na Praça 15 de Novembro.

Homenagem

O busto que homenageia o ex-presidente do Brasil ganhou visibilidade especial a partir das homenagens feitas pelo ex-vereador, Otacílo do Amaral, que faleceu no ano passado. Todos os anos, por muito tempo, ele colocou flores na peça. O ritual acontecia sempre no dia 24 de agosto, data de morte de Vargas.

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta