Maioria vai presentear no Dia dos Pais - Vvale

Maioria vai presentear no Dia dos Pais

Catarinenses devem gastar mais. No Paraná, valor do presente é um pouco menor. Sondagem é da Fecomércio

diadospais-comercio-valedoiguacu-1208Considerada uma das mais importantes datas para o comércio, o Dia dos Pais movimenta praticamente todos os setores. Acabou o tempo em que lenço, meia e cueca, eram os presentes com maior procura. Hoje, conforme os empresários, os filhos estão mais criteriosos, fazem pesquisa de preço e valorizam mais a figura paterna. Por isso, já há algum tempo, promoções para aquecer as vendas de produtos mais baratos até os que precisam de parcelamento, marcaram a chegada do dia 13 de agosto, quando neste ano, o Dia dos Pais é lembrado em todo o País.

Diante da importância da data para a economia do comércio, as federações em Santa Catarina e no Paraná, sondaram a intenção de compras dos consumidores. Os números confirmam a vontade de agradar os papais. Pesquisa feita entre os dias 10 e 17 de julho, por exemplo, em seis grandes pólos catarinense, mostram que em média, os filhos vão gastar em média, R$ 155,19. O gasto é 3,0% maior do que o levantamento pela pesquisa em 2016.

Já em relação à intenção de forma de pagamento das compras, a maioria dos consumidores ouvidos, tem como objetivo pagá-las à vista. A opção à vista em dinheiro foi a mais lembrada (64,3%) pelos catarinenses, seguida pela compra parcelada no cartão de crédito (15,7%) e pelo pagamento à vista no mesmo cartão de crédito (6,9%). O percentual de famílias que pretende à vista e em dinheiro é bastante elevado.

Confirma a visão de que os preços são muito importantes para os consumidores de Santa Catarina o fato de que 72,2% dos entrevistados irão realizar pesquisa de preço para o Dia dos Pais. Este resultado é semelhante em todas as cidades que compõe a pesquisa, mostrando uma forte tendência do catarinense.

No Paraná, o comportamento é um pouco diferente. Entre os entrevistados pela Fecomércio, 62% afirmaram que pretendem comprar presentes para a data, o que representa queda em relação ao ano passado, quando o percentual era de 68%. Em 2015, 61% os paranaenses disseram que pretendiam presentear e em 2014, essa parcela era de 72%. Dos consumidores que responderam negativamente à sondagem, boa parte justifica que não vai comprar nada em função da ausência do pai ou por falta de condições financeiras.

A maioria dos filhos (66%) deve optar por presentes mais baratos, na faixa de R$ 50 até R$ 100. Outros 19% pretendem comprar produtos com preços de até R$ 150. Os que pretendem investir entre R$ 151 e R$ 200 somam 10% e os mais generosos, que gastarão mais de R$ 200, representam 5%, apontando queda ante 2016. Da mesma forma que nos anos anteriores, os presentes mais citados foram roupas e calçados, com 65%. Os cosméticos e perfumes serão a opção de 15% dos filhos para presentear seus pais no dia 13 de agosto. Outros presentes variados, que incluem chocolates, vinho ou o valor do presente em dinheiro, devem ser a escolha de 10% dos compradores. Livros e outros materiais de livrarias somam 5%. Os eletrônicos e os móveis ou utensílios domésticos representam 2% cada. Com 1% em ambas as opções, as viagens e cestas matinais também foram citadas pelos consumidores.

Mesmo sendo os mais endividados do Brasil, 56,6% dos paranaenses não desejam contrair mais débitos futuros ao comprar o presente para o pai e por isso 30,9% devem realizar o pagamento em dinheiro e 25,7% vão pagar no cartão de débito.

O cartão de crédito para o vencimento será a opção de para 22% das compras neste Dia dos Pais. O parcelamento no cartão de crédito será utilizado por 18,3% dos entrevistados e 3% devem realizar outras formas de pagamento, como boleto bancário, parcelamento pela loja ou crediário.

No Vale do Iguaçu

Na noite de quinta, 10, a Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) promoveu um jantar de comemoração ao Dia dos Pais. Conforme o presidente da entidade, Artibano Nhoatto, o evento pode, além de reunir os associados, discutir as ações para a data. Hoje, as lojas ficam abertas até mais tarde, para garantir as compras de quem deixou para a última hora. “É uma homenagem para os pais. Estamos neste ambiente maravilhosos, felizes por isso”, sorriu.

Segundo o empresário Silvio Iwanko, que faz parte da diretoria, os números de compras para a data já são interessantes. A aposta é de que o crescimento seja de até 7% em relação à 2016. “O lojista que se preparou, já estão colhendo frutos positivos”, sinalizou.

Nos cemitérios

Conforme as equipes das prefeituras, de União e Porto União, o movimento hoje e amanhã, por conta da data, deve ser bem alto. É que quem perdeu seu pai, tem o final de semana como dias para homenagens.

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta