PROJETO AGRINHO: Escola do bairro Limeira é destaque na premiação

Na categoria ‘Relato’, Escola Didio Augusto conquista o primeiro lugar

(Foto: Assessoria).
(Foto: Assessoria).

Presente em todos os municípios do Paraná, o Projeto Agrinho é o maior programa de responsabilidade social da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep) e é desenvolvido em parceria com o Governo do Estado, por meio das Secretarias de Estado da Educação, da Justiça e Cidadania, do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, e da Agricultura e Abastecimento, além de contar com a participação dos municípios, empresas e instituições públicas e privadas.

Nesses 23 anos de programa, 24 milhões de materiais foram distribuídos aos estudantes e mais de 313 mil professores foram capacitados pelo Agrinho. “A importância da sustentabilidade e do cuidado do meio ambiente, para o nosso bem e o bem das gerações futuras, é a principal mensagem que o Agrinho traz”, afirmou o presidente da Federação, Ágide Meneguette, na cerimônia de premiação, realizada na segunda, 5, e que reuniu cerca de 1,5 mil pessoas no Expotrade Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. O governador eleito, Carlos Ratinho Massa, também participou da abertura do evento. Segundo ele, ao longo desses 23 anos de história o Agrinho já esse tornou patrimônio do Estado. “O Paraná é o maior produtor por metro quadrado do planeta, é a grande fazenda do mundo. O que o Agrinho vem fazendo é o despertar das nossas crianças para uma agricultura responsável e inovadora”, disse.

Em sua 23ª edição, o programa teve sete mil trabalhos inscritos e envolveu cerca de 800 mil alunos e 50 mil professores das redes pública e privada do Estado. E União da Vitória teve destaque na etapa. A Escola Municipal Professor Didio Augusto, do bairro Limeira, conquistou o primeiro lugar na categoria ‘Relato’. “A gente foi escolhida como a Escola Agrinho. É interessante porque essa categoria envolve todas as pessoas e a comunidade, até pessoas de fora da comunidade também. Nesse ano, contamos com a parceria da Uniuv, com o curso de Engenharia Ambiental. Fizemos a limpeza do rio na nossa comunidade, trabalhamos a reciclagem, os pais falaram em casa sobre isso, a prefeitura nos cedeu lixeiras, todos vestiram a camisa”, contam as professoras, Gláucia Nogara e Tânia Mara Scheid Carrilho.

A instituição já participa do Agrinho há 16 anos e, em 2017, também conquistou o primeiro lugar na categoria. “As professoras não desistem (risos) e vão concorrer no ano que vem em outras categorias também”, sorriem. Na edição 2018, a escola trouxe para União, um tablete e um certificado de premiação.

Dinâmica

Anualmente, o material didático do Agrinho é encaminhado para as escolas paranaenses para que seja usado de forma complementar, aliando aos conteúdos tradicionais a temas transversais como cidadania, meio ambiente, ética e saúde.

Ao longo do ano letivo, os docentes desenvolvem atividades com os estudantes com base nos materiais do programa. O relato destas ações é avaliado na categoria Experiências Pedagógicas, que premia quatro professores da rede pública, um da rede particular e um na categoria Agrinho Solos, que voltam aos seus municípios de carro novo como prêmio.

Entrevista

Todo o conteúdo em áudio da entrevista está disponível na página da CBN Vale do Iguaçu, a partir do Portal VVale. Ouça aqui.

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta