Audiência pública discute inserção da região em ferrovia da integração

Prefeitos defendem que ferrovia passe por Porto União e Mafra para fins de crescimento econômico e social da região

audiência 04Uma audiência pública, promovida pela Câmara de Vereadores de Porto União e presidida pelo Deputado Federal Pedro Uczai, presidente da Frente Parlamentar Mista das Ferrovias. Os prefeitos de Porto União, Anizio de Souza e Eto Scholvez, de Mafra, cobraram da frente parlamentar, que a região não fique alienada da ferrovia da integração, conhecida como Ferrovia do Frango. Pelo traçado imposto até agora, a malha ferroviária seguirá pelo centro do estado, sem passar pelo planalto norte.

O prefeito Anizio de Souza disse que espera uma atuação forte da Frente Parlamentar pára que se estude a possibilidade da utilização comercial e ou turística do entroncamento que passa por Porto União, como condição essencial para o desenvolvimento sócio-econômico da região. “Que essa audiência não termine por aqui. Como catarinenses, precisamos muito da utilização desta ferrovia como corredor de transporte de riquezas”, defendeu o prefeito.

Já para o Eto Scholvez, 24, o mais jovem prefeito eleito de Santa Catarina, é melhor que a rodovia chegue aos portos de São Francisco e Paranaguá, passando por Mafra e Porto União, já que o projeto fala em utilizar apenas solo paranaense para tal fim. Scholvez criticou o distanciamento do planalto norte, dizendo que não pode concordar em ter uma malha ferroviária que não serve para nada. “Bom será se a rodovia partir do extremo-oeste (Dionísio Cerqueira) cruze o estado, chegue a Porto União por Guarapuava, com destino ao Porto de São Francisco, e de lá para Paranaguá. Não podemos aceitar impassíveis a perda da oportunidade de termos a reativação da nossa malha ferroviária”, explicou Scholvez.

GEDSC DIGITAL CAMERAO presidente da frente Parlamentar, por sua vez disse que por razões econômicas defende no congresso nacional que a ferrovia da integração passe por Porto União e Mafra. “O Brasil no passado montou traçados para os portos, para transporte de produtos de baixo valor agregado. Nos queremos levar produtos de baixo valor agregado para dentro do Brasil. Eu tenho divergências com o Paraná. Eu quero que a ferrovia passe por Santa Catarina e por esta região, porque essa região foi empobrecida porque mandou por essa mesma ferrovia, a madeira nobre para os portos, para ser exportada para a Europa e Estados Unidos”, defendeu Uczai.

A ideia é que a rodovia saia de Maracajú, no Mato Grosso, com destino a Paranaguá, por Santa Catarina. “Caso contrário sai mais barato o soja e o milho chegar na china do que para os produtores do meio oeste de Santa Catarina”, disse o deputado federal. Os principais pontos da audiência serão transcritos e levados para a Frente Parlamentar, no Congresso Nacional, em Brasília.

Frente Parlamentar Mista das Ferrovias

Com o objetivo de debater uma matriz de transportes mais eficiente, mais segura e ambientalmente sustentável, foi instalada no congresso nacional, a Frente Parlamentar Mista das Ferrovias. A nova Frente pretende acompanhar e apoiar as ações parlamentares relativas ao setor, além de debater com o Governo Federal e com a sociedade a construção, recuperação e ampliação das vias férreas em todo o país.  Com a adesão de 190 deputados e 12 senadores a frente deve acompanhar o debate sobre o marco regulatório das ferrovias.

Enquanto países de dimensões continentais utilizam largamente as suas ferrovias, a exemplo da China (37%), EUA (44%) e Rússia (60%), no Brasil, este modal de transporte nunca alcançou a representatividade obtida em relação a outras nações de grande extensão territorial.

2 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

  • orlando - 03 de junho de 2013 - 23h 55
    Fico com duvida do que carregariamos os trens quando parassem em Uniao. Na regiao de Chapeco e no oeste paranaense ha um grande consumo de insumos agricolas e producao de graos e aves para exportaçao, o que garante vagoes cheios.
    Responder
  • Everton - 05 de junho de 2013 - 13h 01
    Pelo simples de aproveitar o ramal que ja existe na cidade, iria economizar quanto tempo e R$ se fosse construida outra? Só para indenizar um terreno é extremamente burocratico, as vezes leva anos... De Porto União até o porto esta pronto, é só fazer uma manutenção bem feita...
    Responder