Wenceslau Vaz continua interditada e irrita moradores

Motociclistas, ciclistas e pedestres usam atalho para chegar em casa

(Foto: Jair Nunes).
(Foto: Jair Nunes).

Usuários da Auto Via Wenceslau Vaz e moradores do Bairro Dona Mercedes, em União da Vitória, estão há 46 dias sem poder usar a principal via de acesso em consequência de um deslizamento de rochas ocorrido no dia 25 de agosto. Cansados de esperar, moradores e usuários resolveram usar um atalho improvisado que passa ao lado dos obstáculos colocados para interditar a via.

Diariamente, centenas de pessoas arriscam a vida enquanto esperam uma solução que deveria ter vindo do Departamento de Estradas e Rodagem (DER-PR). A ciclista Elaine Cristina, 25, disse que arrisca sua segurança passando pelo local porque tem de buscar remédios de uso contínuo para sua mãe no sistema público de saúde. “O que eu vou fazer? Não posso dar a volta de bicicleta pela BR 153, para chegar pelo outro lado da cidade, eu sei que é errado, mas eu preciso passar por aqui”, disse.

Outras pessoas que passavam pelo local no momento da reportagem, xingavam os representantes políticos pela situação. Um motociclista disse que prefere arriscar a vida do que dar a volta pelo Jardim Muzzolon. “Gasta muita gasolina, não compensa”, gritou para a reportagem ainda com a moto em movimento. Nem todo mundo gosta, condutores de carro reclamam do perigo de acidentes na entrada da Ponte dos Arcos. “Eu mesmo quase atropelei uma senhora que ao sair desse caminho, tropeçou em um obstáculo e caiu. Ela machucou os joelhos e eu quase passei por cima dela”, disse o condutor de uma caminhonete de frutas.

Isolados ao lado da cidade

A artesã e restauradora de objetos antigos, Julita Riesemberg, uma das proprietárias e moradora do Sítio do Aguapé, que fica logo depois de onde aconteceu o deslizamento no mês passado, reclama do isolamento. Conforme ela, com a interdição, os moradores estão ao mesmo tempo muito perto e muito longe do centro da cidade. “Eu não uso carro, então quando vou para o centro eu vou a pé, mas tenho medo de passar no local do deslizamento. Ainda não precisei, mas se tiver uma emergência, vou chamar um taxi, que vai vir pelo Muzzolon e vai sair caro”, disse indignada.

A artesã afirma que se sente isolada e que ninguém está preocupado em resolver a situação. “O povo aqui está muito bravo. É bom lembrar que quando tem eleição aí lembram do povo, mas agora estamos abandonados, isolados e sem perspectivas”, afirmou Julita, que curiosamente é neta do saudoso professor Mário Riesemberg, pioneiro em habitar o local e que foi prefeito de União da Vitória.

Recuperação do trecho vira novela

wenceslauvaz-interdicao-rodovia (2)Conforme fontes da prefeitura de União da Vitória, no último dia 13 de setembro o Departamento e Estradas e Rodagem (DER – PR) já estava com o edital de licitação para a compra e instalação de telas de segurança pronto. Mesmo assim, não houve motivos para comemoração. É que após o lançamento do edital, o tempo de espera até a conclusão da licitação é demorado e se os interessados interporem recursos ou impugnarem o certame, o prazo ficará ainda mais longo.

O presidente do Departamento de Estradas e Rodagem do Paraná (DER-PR), Abelardo Luiz Lupion Mello, promoveu uma reunião com o prefeito de União da Vitória, Santin Roveda, na tarde de ontem, 10, e afirmou que o problema caminha para uma solução.

O Que diz o DER-PR

A reportagem de O Comércio entrou em contado com a assessoria de imprensa do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR), sendo que, como resposta, foi divulgado um comunicado. No texto, o DER informa que o edital para a elaboração do projeto de contenção do maciço de pedras na PR-446 está na fase de análise jurídica.  A previsão do órgão é que a licitação seja lançada ainda neste mês.

O DER-PR ratificou que, por medida de segurança, segue totalmente proibido o tráfego na rodovia entre o entroncamento com a BR-153 e a Ponte Manoel Ribas, sobre o Rio Iguaçu, em União da Vitória. Em nova vistoria, a Defesa Civil confirmou o risco de mais deslizamentos de pedras no trecho. A orientação é que os motoristas sigam pelas rotas alternativas de desvio: PR-280 e BR-476.

Relembre o caso

Um deslizamento de rochas aconteceu na manhã do dia 25 de agosto na Autovia Wenceslau Vaz, próximo ao acesso da Ponte Manoel Ribas, a Ponte dos Arcos, em União da Vitória. O trânsito foi desobstruído e as rochas foram retiradas no mesmo dia pela Defesa Civil de União da Vitória, mas a liberação depende do parecer da Polícia Rodoviária Estadual, responsável pelo trecho. Desde então, o DER-PR afirma que o local ainda oferece pequeno risco e segue interditado para a passagem de veículos.

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta