Mario Patruni

Em dia com a notícia

Em Dia Com a Notícia – 1º de Novembro de 2016

Secretário sem pasta

BachirXAbbasÉ voz comum nas rodas políticas que o vice-prefeito eleito de União da Vitória, o empresário Bachir Abbas (foto) não deve assumir uma secretaria no governo de seu companheiro de chapa Santin Roveda. Abbas deverá ocupar uma sala próxima ao prefeito eleito e vai desempenhar a chamada função de “secretário sem pasta”, assumindo a coordenação política-administrativa do governo.

 

Espinha dorsal pronta 1

Tanto em Porto União como em União da Vitória os novos prefeitos eleitos já estão praticamente com os nomes de seus secretários no bolso do colete. São os secretários que formam a chamada “espinha dorsal” da administração. Em Porto União o prefeito Eliseu Mibach (PSDB) já anunciou oficialmente o nome da professora aposentada Aldair W. Muncinelli como secretária da Educação. Além dela, o vice-prefeito eleito Percy Storck vai comandar a secretaria da Indústria e Comércio, o engenheiro civil Roberto Domit de Oliveira vai para a secretaria de Obras, o coronel do Exército da Reserva, o dentista Marivaldo Reis vai assumir a secretaria da Saúde e o também coronel da Reserva da Polícia Militar de Santa Catarina, Miguel Chokailo Neto, vai comandar a secretaria da Administração.

 

Espinha dorsal pronta 2

Em União da Vitória também já vazaram para a imprensa os nomes do professor Clodoaldo Goetz como titular da secretaria do Planejamento, Antônio Oscar Nhoatto como chefe de Gabinete, Sandra Jung – atual secretária de Finanças – iria para a secretaria do Meio Ambiente, o professor de Educação Física, Cordovan Neto, na secretaria de Esporte, a enfermeira de carreira do município, Silvia Andrade, iria para a secretaria da Saúde, o advogado Fauzi Bakri assumiria a secretaria Jurídica, Ana Cláudia – esposa do prefeito eleito – assumiria a secretaria da Ação Social, Danielle Borges de Lima assumiria a secretaria de Finanças, Fábio “Trainha” Benghi assumiria a secretaria de Obras e Hilda Adâmio Roveda assumiria o Provopar. Para comandar a secretaria da Educação, Santin Roveda solicitou para a classe que lhe apresentasse uma lista com três nomes, onde ele escolheria um. Os demais cargos ainda estão em análise pelo prefeito eleito.

 

Indicação política

Peemedebistas de alto coturno de Porto União já estão trabalhando nos bastidores para indicar o nome do atual vice-prefeito Aloísio Salvatti (PMDB), para assumir um importante cargo de chefia na Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Canoinhas.

 

Eficiência administrativa

O que os novos governantes que irão assumir os governos municipais a partir do dia 1º de janeiro precisam entender é que uma gestão pública eficiente se baseia em um tripé denominado Triplo E: Economia, Eficiência e Eficácia. É o amplamente denominado fazer menos com mais, aproveitar melhor os recursos e racionalizar a administração. Mas, para fazer isso funcionar, será preciso colocar pessoas certas nos lugares certos. Será que os novos gestores irão conseguir? É o que a sociedade espera.

 

Disseram…

“Durante a campanha, você apunhala os adversários; já, na transição, os amigos”

De um político, em União da Vitória, que sentiu que não vai ser indicado para assumir um cargo na administração municipal

Em Dia Com a Notícia – 25 de Outubro de 2016

Convidado

RadarX-XRobertoXDomitXdeXOliveiraConforme anunciei na semana passada, em primeira mão, o engenheiro civil Roberto Domit de Oliveira (foto), foi oficialmente convidado pelo prefeito eleito de Porto União, Eliseu Mibach, para integrar a sua equipe que vai governar o município a partir do dia 1º de janeiro. Funcionário concursado e aposentado do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) de Santa Catarina, Domit sempre ocupou cargos de chefia no órgão, se destacando pela conduta firme, ética e, principalmente, no rigor no trato com a coisa pública, além de ter sido vereador por dois mandatos no Legislativo Municipal. Domit, que possui uma empresa de consultoria e presta serviços para grandes empresas como a Rigesa e a Klabim, pediu um tempo para analisar se aceita o convite. Caso aceite, Domit poderia trabalhar tanto na Secretaria de Planejamento como na de Obras.

 

Mais nomes

Além do nome de Roberto Domit de Oliveira, Eliseu Mibach praticamente já definiu os nomes da professora Aldair W. Muncinelli como secretária da Educação, nome esse que já conta com o aval da classe do Magistério Municipal, do dentista Faverson Slongo como secretário da Saúde, do coronel da reserva da Polícia Militar de Santa Catarina, Miguel Chokailo Neto, que iria para a pasta da Administração, além do vice-prefeito eleito, empresário Percy Storck, que vai responder pela Secretaria da Indústria e Comércio – sem vencimento, já que vai receber como vice-prefeito. Os demais cargos Mibach ainda está analisando, mas a espinha dorsal de sua equipe já está praticamente formada.

 

Trabalhando

A equipe da chamada transição administrativa nomeada pelo prefeito eleito de União da Vitória, Santin Roveda, iniciou na semana passada os trabalhos para tomar conhecimento da real situação em que se encontra o quadro administrativo/financeiro do município.

 

Fechou

Por determinação do Prefeito Pedro Ivo Ilkiv a Secretaria de Esportes, que há mais de três meses já não contava com o seu secretário – demitido em função da crise econômica – agora, encerrou definitivamente todas as suas atividades.

 

Cotados

Nos bastidores já começaram a disputa para a presidência da Câmara de Vereadores de União da Vitória. Embora falte mais de três meses para a eleição que vai definir os nomes que irão à nova mesa diretora – presidente, vice-presidente e 1º secretário – os nomes dos vereadores eleitos Cesar Empinotti (PR), Almires Bughay (PSDB) e Joarez Tica (PSB) já despontam como candidatos e contam com a simpatia dos demais vereadores de primeiro mandato para comandar o Poder Legislativo no próximo ano. São os ventos da renovação e os novos tempos da política, que não quer mais saber de coronelismo, truculência e continuísmo na vida pública.

 

Disseram…

“Vivemos um triste momento de nossa história. A ausência de valores éticos e morais provocou a profunda crise política, econômica e social que estamos atravessando”

Conferencia Nacional Dos Bispos do Brasil (CNBB), em mensagem divulgada por ocasião do dia 7 de setembro

Em Dia Com a Notícia – 18 de Outubro de 2016

Comemorou crescimento

ColomboXRoderleiO vereador reeleito Carlos Roderlei “Polaco do Bifão” Pinto, que aparece na foto ao lado do governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, não esconde a sua satisfação com o crescimento do Partido da República (PR) tanto em Porto União, onde passou de um para dois vereadores, como em todo o Estado. Polaco do Bifão, que preside o diretório municipal do PR, informou que entre as eleições de 2012 e 2016 o partido passou de um prefeito, um vice-prefeito e 64 vereadores, para 12 prefeitos, 27 vice-prefeitos e 169 vereadores. O vereador, que vai exercer o seu quinto mandato no Legislativo Municipal e foi o 5º mais votado, recebeu os cumprimentos do presidente estadual do PR, o deputado Jorginho Mello.

 

Transição 1

Deve começar nesta semana a transição administrativa entre o pessoal do prefeito eleito de União da Vitória, Santin Roveda, com a equipe do prefeito Pedro Ivo Ilkiv. O atual prefeito já deu o “sinal verde” para o início dos trabalhos.

 

Transição 2

Da mesma forma, a transição vai acontecer em Porto União, onde o prefeito eleito Eliseu Mibach já definiu a equipe que vai tomar conhecimento da atual situação administrativo/financeira do vizinho município, onde o prefeito petista Anízio de Souza também já deu autorização.

 

Nomes 1

Já começam a circular nas rodas políticas os primeiros nomes que poderiam fazer parte das administrações de União da Vitória e Porto União. Em União da Vitória, dizem os analistas políticos, que Rodolfo Moser, coordenador-geral da campanha de Santin e Bachir Abbas, Hilda Adâmio Roveda, Fauzi Bakri e o professor Cordovan de Mello só não serão secretários municipais se não quiserem.

 

Nomes 2

Já em Porto União o prefeito eleito Eliseu Mibach (PSDB) juntamente com seu vice Percy Storck, está em fase de elaboração da sua equipe de colaboradores, mas já começam a circular os nomes do próprio vice-prefeito Percy Storck, que ocuparia a pasta da Indústria e Comércio, das professoras Aldair Muncinelli e Therezinha Wolff, da atual contadora Sofia, de Miguel Chokailo Neto – policial militar da reserva e que concorreu ao cargo de vereador, e do engenheiro civil e ex-vereador Roberto Domit de Oliveira, que já foi filiado ao PSDB.

 

Indignado 1

É comum, no período eleitoral, você conversar com candidatos a vereador que, na sua inocência, afirmam que vão passar dos mil votos. No final da apuração, vem a decepção. Vou dar um exemplo: o candidato a vereador Elismar Cunha (PTB), de Bela Vista de Goiás, ficou indignado com a baixíssima votação que obteve no dia 2 de outubro. Apenas 33 votos. Resolveu, então, “baixar o sarrafo” nos que não votaram nele.

 

Indignado 2

Nas redes sociais, disparou: “quero agradecer as 33 pessoas que votaram em mim, e dizer às outras que mentiram que iam votar em mim, que vão prá p… que os pariu, e que o Satanás os carregue pro quinto do inferno, cambada de desgraçados, mentirosos, filhos da desgraça”. Imagina se a moda pega e chega até União da Vitória e Porto União…

 

Disseram…

“União da Vitória hoje, pode ser comparada ao Paraguai, devido a sua desorganização”

Santin Roveda, prefeito eleito, em entrevista a uma rádio local

Em Dia Com a Notícia – 11 de Outubro de 2016

Experiência a serviço do legislativo

PASQUALINAo retornar ao Poder Legislativo Municipal de Porto União no dia 1º de janeiro de 2017, Luiz Alberto Pasqualin (PP), o vereador mais votado da coligação do candidato à prefeito Renato Stasiak – com 690 votos – e o segundo mais votado na contagem geral, leva consigo a experiência legislativa acumulada ao longo dos seus seis mandatos legislativos, onde já exerceu todas as funções da mesa diretora (desde secretário, vice-presidente e presidente) e conhece como ninguém o Regimento Interno da Câmara e a Lei Orgânica Municipal, que ajudou a redigir em 1988. Pasqualin possui também uma oratória privilegiada – que o faz ser respeitado pelos seus pares aliados e também pelos seus adversários políticos. Por isso, a presença do experiente legislador no Legislativo Municipal no próximo ano será uma garantia de que as funções primordiais do vereador, de legislar, fiscalizar o Poder Executivo Municipal e, principalmente, trabalhar para o bem-estar da população, serão cumpridas à risca.

 

Sem maioria

O prefeito eleito de Porto União Eliseu Mibach (PSDB) vai ter que ter muito “jogo de cintura” no seu relacionamento com a composição da nova Câmara de Vereadores, já que terá sete vereadores contrários e apenas quatro a favor. Na chamada oposição, figuram os nomes dos experientes vereadores Pasqualin (PP), que vai cumprir seu sétimo mandato; Sandro “Batata” Calikoski (PMDB), quinto mandato; Carlos Roderlei “Polaco do Bifão” Pinto (PR), quinto mandato; Christian Martins (PMDB), segundo mandato e os novatos Neilor (PMDB), Fernando da Ótima (PR) e Élio Weber (PMDB).

 

Perdas e danos 1

Embora tenha sido o vereador mais votado em União da Vitória, com pouco mais de 900 votos, o atual vice-prefeito Jair Brugnago (PSDB) não tem muito que comemorar. É visível a sua perda de votos, com relação a sua última disputa como vereador – quando se elegeu vereador com mais de 1.700 votos na eleição do então prefeito Carlos “Juco” Jung, na legislatura 2009/2012. Nesta eleição, embora tenha exercido o cargo de secretário de Obras do município – função vista por todos como “uma máquina de fazer votos”, quase foi alcançado em números de votos pelos vereadores novatos Policial Almires Bughay (PSDB) e Joarez Tica (PSB).

 

Perdas e danos 2

Quem também saiu “chamuscado” com o resultado das urnas em União da Vitória foi o PSB, que conta com quatro vereadores no Legislativo Municipal (Luilson “Batata” Schwartz, Valdir Cortellini, Carlos Topolski e Ziliotto Daldin – atual presidente do Legislativo). Encerrada a apuração, nenhum deles conseguiu a reeleição. Quem “salvou a lavoura” do partido foi o “boa praça” Tica, que fez 860 votos e se elegeu.

 

Enxugar a máquina

O prefeito eleito de Porto União Eliseu Mibach (PSDB) já mandou um recado para quem está na esperança de conseguir “uma boquinha” na sua Administração. Vai reduzir para apenas seis as atuais secretarias. E no início da sua gestão, vai priorizar apenas Finanças, Administração, Saúde e Obras. A ideia de Mibach é transformar as demais secretárias e diretorias, muitas delas, ocupadas por voluntários, sem remuneração. Mibach deixou claro também que vai convidar seu vice-prefeito Percy Storck para fazer parte da equipe, provavelmente, ocupando a pasta da Indústria e Comércio.

 

Disseram…

“A função primordial do vereador é fiscalizar o poder executivo municipal e criar leis que venham em benefícios da população. Vereador é empregado da população e, é a ela que deve satisfação dos seus atos”

Vereador eleito de Porto União, Luiz Alberto Pasqualin

Em Dia Com a Notícia – 4 de Outubro de 2016

Vitória consagradora

IMG_0162Encerrada a apuração final dos votos, os candidatos à prefeito e vice-prefeito de União da Vitória Santin Roveda e Bachir Abbas (foto) se elegeram com uma vitória consagradora, obtendo mais de 16 mil votos, contra pouco mais de 12 mil votos da dupla oponente, Thyago Pigatto Caus e Júlio Adilson Pires. A dupla vencedora tem agora três meses para, com calma, começar a montar sua equipe de colaboradores para a partir do dia 1º de janeiro do próximo ano começar a colocar em prática seu plano de governo, amparado em uma gestão moderna e eficiente, de acordo com as dificuldades econômicas que o País atravessa. Santin e Bachir irão administrar uma Prefeitura que é o maior empregador do município, com cerca de 1.200 funcionários, e um orçamento anual que gira em torno dos R$ 200 milhões.

 

Força política

É preciso destacar na votação da dupla Thyago e Pires, a expressiva votação dos 12.000 votos, a força política do deputado estadual Hussein Bakri, que praticamente “colou” em Thyago e, com seu prestígio e carisma, conseguiu transferir esse volume de votos, para um candidato praticamente desconhecido da população. Na prática Santin e Bachir disputaram uma eleição contra três candidatos.

 

Recado das urnas

Coincidência, ou não, todos os vereadores de União da Vitória que votaram a favor do aumento do IPTU não conseguiram se reeleger. Já os vereadores Ricardo Sass e Valdecir Ratko, ambos do PSC, que votaram contra o aumento, conseguiram suas reeleições. Deste episódio, fica o recado das urnas que vereador é eleito para legislar e fiscalizar os atos do poder executivo municipal e elaborar projetos de leis que beneficiem a população.

 

A força das mulheres

Pela primeira vez na história política a Câmara de Vereadores de União da Vitória vai contar, a partir do dia 1º de janeiro, com a presença de duas mulheres com a eleição de Pastora Sandra (PSDB) e da jovem Alandra Roveda (PR). E o vizinho município de Porto União manteve a tradição de contar com uma mulher no plenário, com a eleição da médica Salime Farah (PSDB).

 

Maioria folgada

O prefeito eleito de União da Vitória Santin Roveda (PR) vai contar com uma maioria folgada na Câmara de Vereadores no próximo ano. Sua grande coligação política conseguiu eleger nove dos treze vereadores.

 

Elizeu vence em Porto União

O empresário Eliseu Mibach (PSDB) é o novo prefeito de Porto União e vai governar o vizinho município pela terceira vez. Eliseu venceu seu principal oponente, o também ex-prefeito Renato Stasiak (PMDB), de certa forma, de maneira surpreendente, quando conquistou 9.646 votos, contra 8.134 votos de Stasiak. Já o petista Gilberto Knapik conseguiu pouco mais de 1.000 votos.

 

Retornam

Se em União da Vitória a renovação da Câmara de Vereadores foi quase de 100%, em Porto União cinco dos nove vereadores conseguiram se reeleger: Gildo Masselai (PSDB), Sandro “Batata” Calikoski (PMDB), Carlos “Polaco do Bifão” Pinto (PR), Christian Martins (PMDB) e Paulo Kovalski (PSDB) retornam ao legislativo no próximo ano. Já os vereadores do DEM, Alceu “Brasa” Jung, Almir Borini e a vereadora Maria Aldair de Carvalho, do PP, não conseguiram suas reeleições.

 

Disseram…

“Cuidado ao falar mentiras de alguém. Esse mesmo alguém pode começar a falar verdades sobre você”

MP

Em Dia Com a Notícia – 27 de Setembro de 2016

Otimista

SalvattiXPasqualinXStasiakHá menos de uma semana para as eleições municipais que irão definir os novos prefeitos, vice-prefeito e vereadores o candidato à prefeito de Porto União, Renato Stasiak (PMDB) que já governou o município em duas oportunidades, afirmou que está otimista com a receptividade que vem recebendo da população, com relação as suas propostas de trabalho, e que vai continuar trabalhando e debatendo seu plano de governo com a população até o prazo final para ser merecedor da vitória. Para Stasiak “são os eleitores, que de forma democrática, na hora suprema de depositar seu voto na urna, que irão escolher o melhor candidato para governar o município”. Ele destacou também, a importância de contar com o apoio em sua campanha do Partido Progressista (PP), que é presidido por Luiz Alberto Pasqualin.

 

Votos nulos e brancos 1

A cada eleição é comum ouvirmos que caso a maioria dos votos para um cargo seja nulo ou branco, a disputa será anulada e novas eleições devem ser convocadas. Isso é falso, pois o resultado das urnas se leva em conta os votos válidos, aqueles que, de fato, foram depositados para um candidato.

 

Votos nulos e brancos 2

Os votos nulos são aqueles em que o eleitor digita e confirma um número inexistente na urna eletrônica. Já os votos brancos, são aqueles em que o eleitor escolhe a opção “branco” na urna. Na prática, não há diferença entre brancos e nulos no momento de apurar o resultado das eleições.

 

Votos nulos e brancos 3

Isso porque são considerados eleitos para cargos como prefeito, governador e presidente da República, aqueles que obtiverem mais da metade dos votos válidos. Assim, mesmo que 90% dos eleitores numa cidade votem branco ou nulo para prefeito, o resultado da eleição será definido considerando apenas os 10% de fato depositado em nome de algum candidato.

 

Voto consciente 1

Neste final de semana, quando a população irá escolher por meio do voto os novos prefeitos e vereadores, que serão eleitos, e, portanto irão nos representar por um período de quatro anos, é preciso que tenhamos consciência na hora de escolhermos o candidato para prefeito e vereador, e, principalmente, que saibamos a função de cada um.

 

Voto consciente 2

É preciso lembrar sempre que o vereador precisa representar o interesse do povo, ele representa as pessoas, os grupos sociais de uma comunidade, e não os interesses do prefeito. É preciso lembrar sempre quais são as funções do vereador e, por consequência, até onde ele pode atuar no Poder Legislativo municipal. Vereador não constrói pontes, não faz escolas, nem asfaltos, nem gera empregos. Nem cuida da Segurança Pública, que é dever do Estado. Vereador é eleito para desempenhar basicamente duas funções: a de fiscalizar o prefeito e legislar em prol da população. Está é a verdadeira função do vereador.

 

Voto consciente 3

Existem candidatos que nunca fizeram nada pela cidade, nem mesmo um trabalho comunitário ou voluntário, e entram, como num passe de mágica, no ano eleitoral, eles aparecem, como candidatos e salvadores da Pátria. Por isso, a importância de escolhermos pessoas com propostas sérias e comprometidas com a população.

 

Disseram…

“Sigo recomendações que recebi de meu pai, quando entrei na política; sempre respeitando as pessoas, e agindo sempre com lealdade e honestidade”

Renato Stasiak, contabilista

Em Dia Com a Notícia – 20 de Setembro de 2016

Reta final

DuplaFaltando menos de duas semanas para o dia das eleições municipais, onde os eleitores irão às urnas escolher democraticamente os novos governantes, os candidatos à prefeito em União da Vitória, Santin Roveda (PR) e Thyago Pigatto Caus (PSC) intensificam suas ações em busca da preferência do eleitorado. Santin, amparado com sua poderosa infantaria de candidatos à vereadores, que reúne 13 partidos das mais diferentes ideologias políticas, militantes da coligação, que inclui o vice-prefeito, secretários e diretores da atual administração municipal, três ex-prefeitos e o atual secretário chefe da poderosa Casa Civil do Paraná, o deputado federal licenciado Valdir Rossoni, demonstra força e densidade eleitoral, com um discurso de renovação e qualidade na gestão pública. Do outro lado, o também jovem advogado Thyago Pigatto Caus, que, embora tenha uma coligação política formada por apenas 8 partidos, conta com o apoio integral do seu padrinho político, o deputado estadual Hussein Bakri, que já administrou o município em duas oportunidades e tem um forte e indiscutível clamor popular e já declarou que nesta reta final vai fazer campanha 24 horas por dia em favor do seu genro. Thyago, que também prega a renovação, vem usando muito a imagem de Bakri e promete – se eleito for – usar o mesmo modelo de participação popular usado quando Hussein governou o município.

 

Eleições na rede

Em tempos de redes sociais cheias de postagem de candidatos à prefeito e vereadores, é preciso se prevenir para não ter o nome vinculado a alguma candidatura política sem autorização. Segundo o coordenador do MBA em Comunicação e Marketing em Mídias Digitais, Marcelo Barcelos, para evitar a marcação em alguma publicação indesejada é recomendado o uso dos filtros de privacidade. Na aba configurações do Facebook, é possível alterar quem pode publicar em sua linha do tempo, por exemplo.

 

Presunção

Tem candidato a vereador que ainda nem se elegeu e já está falando em ser presidente do Poder Legislativo Municipal no próximo ano. Só faltou ele combinar com o eleitor. É muita presunção ou muita confiança no seu taco.

 

Sem ideologia

O prezado leitor já deve ter observado que em cada eleição que acontece a ideologia política é deixada em segundo plano pelos partidos, e o que vale mesmo é ganhar a eleição. São vários exemplos: já aconteceu a união do PSDB com o PT, agora mesmo estão juntos PSDB, PR e PCdoB, e por aí vai. Diante desse quadro, pode-se afirmar que, na prática, não é por ideologia que alguém se filia a este ou aquele partido. Claro que há exceções, mas, em geral, é o partido que oferece a oportunidade para a pessoa conseguir seu lugar ao sol, e não há, necessariamente, uma questão ideológica para a pessoa conseguir seu intento.

 

Vendedor de ilusões

Na reta final das eleições é preciso lembrar que o eleitor não aquenta mais o político vendedor de ilusões, aquele que promete o paraíso na terra. Os tempos são outros. É preciso que o candidato tenha a franqueza e, principalmente, o compromisso de trabalhar sempre pautado na transparência e na ética.

 

Disseram…

“O emprego mais honesto do mundo é o do político. Por mais ladrão que seja, ele tem que ir pra rua atrás do voto, se mata, faz tudo, ao contrário do concursado, que estuda e tem o emprego garantido pró resto da vida, e fica tranquilo, atrapalhando a gestão”

Luis Inácio Lula da Silva

Em Dia Com a Notícia – 13 de Setembro de 2016

PMDB tem maior representatividade

MauroXMarianiO PMDB é o partido que tem maior representatividade em Santa Catarina, com 196 mil filiados, e conta com dez deputados estaduais na Assembleia Legislativa, seguido do PSD, que tem 44 mil filiados e sete deputados estaduais. O PSDB tem 102 mil filiados e conta com cinco deputados, seguido do PT, com 58 mil filiados e cinco deputados. O PP tem 142 mil filiados e conta com quatro deputados. O presidente do diretório estadual do PMDB, deputado federal Mauro Mariani (foto) destaca que a força do partido vem dos 213 prefeitos, 146 vice-prefeitos e dos 3 mil vereadores, e da militância espalhada em todas as regiões do Estado.

 

Partidos demais

É preciso que se faça, urgentemente, uma reforma na política brasileira, pois, não é mais possível que convivamos com mais de 37 partidos políticos onde pelo menos mais de 20 são apenas legendas de aluguel, sem nenhuma ideologia, sem programas de governo, não servem para nada, a não ser tirar proveito, usufruindo da verba partidária, e vendendo seu tempo no Rádio e TV.

 

Mulheres na política

Ainda é muito tímida a participação de mulheres na política; e, pelo visto, ainda vai continuar discreta. Em Porto União, que conta com a presença da vereadora Maria Aldair de Carvalho no legislativo municipal e busca a reeleição, a participação das mulheres sempre foi mais forte do que em União da Vitória, que não tem representante na Câmara Municipal.

 

Debate

A Universidade do Contestado (UnC), de Porto União, irá promover debate dos candidatos a prefeito de União da Vitória e Porto União. O encontro vai acontecer no Cine Teatro Ópera, a partir de 19h30. O debate com os candidatos de União da Vitória, Santin Roveda e Thyago Pigatto Caus, acontece amanhã. Já o encontro com os candidatos de Porto União, Renato Stasiak, Eliseu Mibach e Gilberto Knapik, será na quinta-feira, 14. O mediador do debate será o professor Eduardo Molla, coordenador do curso de Direito da UnC de Concórdia.

 

Mundo da fantasia 1

Basta acompanhar o programa eleitoral gratuito – que de gratuito não tem nada – para entrarmos em um verdadeiro mundo de fantasia e faz de conta, onde os candidatos prometem obras e investimentos que jamais serão cumpridos. Se acreditarmos nas promessas eleitoreiras, a partir do dia 1º de janeiro vamos virar uma cidade, com saúde, educação e investimentos em empregos e saneamento básicos de 1º mundo.

 

Mundo da fantasia 2

Só que nenhum deles deixa claro como será a fórmula mágica para realizar todas estas promessas. Vivemos uma recessão e uma crise política e econômica jamais vista, que reduziu a transferência de recursos federais para os estados e municípios, que estão às mínguas, com dificuldades até para pagar a folha dos funcionários, sobrando quase nada para outros investimentos que se fazem necessários.

 

Disseram…

“Nascemos sem trazer nada, morremos sem levar nada e ainda assim, gastamos a vida juntando coisas”

Chico Xavier, médium espírita

Em Dia Com a Notícia – 6 de Setembro

A Justiça, pela Justiça 1

PASQUALINA Justiça Eleitoral possui o papel constitucional de organizar, promover e fiscalizar o pleito eleitoral, aplicando a lei a que todos estamos submetidos. E, mais vez, por meio da Justiça, a Justiça prevaleceu, quando o eminente Juiz Eleitoral da Comarca de Porto União, José Aranha Pacheco, indeferiu uma ação do Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina que impedia a candidatura a vereador de Luiz Alberto Pasqualin (foto), justificando tal ato por uma errônea interpretação, que ele, quando presidiu a Câmara de Vereadores, no longínquo ano de 2007, havia cometido uma infração administrativa.

 

A Justiça, pela Justiça 2

Com esta decisão judiciária, recolocaram-se as coisas nos seus devidos lugares. Conheço Luiz Alberto Pasqualin há mais de 40 anos, e sempre acompanhei a sua vitoriosa trajetória política, com seis mandatos de vereador, sempre pautado na ética, na moralidade, na transparência e no zelo com a coisa pública. Desde que ele ingressou na vida pública – ao contrário de muitos outros políticos – ele mora há mais de 40 anos na mesma residência e seus maiores bens resumem-se em sua família e nos seus milhares de amigos, que sempre estiveram ao seu lado, nos bons e maus momentos de sua trajetória na vida pública.

 

Justiça, pela Justiça 3

Devidamente esclarecido o triste episódio, Luiz Alberto Pasqualin sai fortalecido desta situação, para seguir em frente, no seu novo desafio político, de combater o bom combate, sempre amparado na confiança da sua família e nas suas amizades sinceras, que amealhou ao longo da sua vitoriosa caminhada política, social e profissional.

 

Não empolgou

Há menos de um mês para que a população compareça as urnas para a escolha dos novos prefeitos e vereadores, o que pode se observar é que a população ainda não se empolgou com o pleito municipal, talvez desencantada com o atual quadro político nacional. Os políticos terão que gastar muita saliva para convencer o eleitor que eles são merecedores do seu voto.

 

Censo

De acordo com as estatísticas populacionais do IBGE, União da Vitória passou dos 52.735 habitantes, em 2010, para os atuais 56.650 mil habitantes. Em seis anos o município acrescentou 3.915 novos habitantes, o que, convenhamos, é uma taxa muito pequena. O município possui 41.776 eleitores. Já Porto União, tem atualmente, 35.045 habitantes. Em 2010, eram 33.493. Em seis anos o município ganhou 1.552, novos habitantes. O município conta com 25.464 eleitores. Juntas, as duas cidades tem 91.625 habitantes.

 

Disseram…

“Dormia a pátria mãe, tão distraída, sem saber que era subtraída, em tenebrosas transações”

Versos de Chico Buarque de Holanda, feitos para outros tempos, e circunstâncias, se mostram absolutamente atuais

Em Dia Com a Notícia – 30 de Agosto de 2016

Em campanha 1

EliseuXMibachX01Em reunião realizada com o seu candidato a vice-prefeito, Pércy Storck (PSD), e com os candidatos a vereadores, coordenadores de campanha e simpatizantes, o empresário e ex-prefeito de Porto União, Eliseu Mibach (PSDB) que se fazia acompanhar da sua esposa Isabel e dos filhos Leandro e Rafael, anunciou que apesar da imensurável dor que ele e sua família estão passando, vai continuar a sua caminhada como candidato à prefeito do município.

 

Em campanha 2

Quem também segue firme a sua caminhada em busca dos votos do eleitorado é o contabilista e ex-prefeito de Porto União, Renato Stasiak (PMDB) que, ao lado do seu candidato à vice- prefeito, Aloísio Salvatti (PMDB) e candidatos a vereadores, estão realizando reuniões de trabalho com as comunidades do interior do município.

 

Horário Político 1

Começou o horário eleitoral gratuito e já deu para perceber que tanto os candidatos à prefeito, como à vereadores, estão prometendo melhorias que nem sempre serão cumpridas. Temas como melhorias na Saúde, Educação, Segurança Pública, geração de emprego e Saneamento Básico são os temas mais abordados. Vale lembrar que o orçamento do próximo ano é feito pelo atual prefeito, e somente a partir de 2018 é que o gestor público vai trabalhar com o seu próprio orçamento fiscal.

 

Horário Político 2

Os candidatos prometem obras, investimentos e melhorias, sem dizer de onde é que virão estes recursos financeiros. É importante lembrar que 87% dos municípios brasileiros estão às voltas com sérios problemas fiscais, resultante da grave crise econômica e recessão, que reduziu sensivelmente a transferência de recursos federais e estaduais para as prefeituras, ocasionando, com isto, uma baixa capacidade de geração de receitas próprias e também a elevação nos gastos com pessoal.

 

Horário Político 3

Como a recessão encolheu os ganhos com impostos e ampliou as demandas sociais, e diante do risco de falência de muitas administrações municipais, é preciso que o período de campanha eleitoral contribuía de maneira responsável para apontar as saídas para uma gestão eficiente. Pois, é nas cidades que os contribuintes vivem e precisam ter asseguradas condições de bem-estar e mais qualidade nos serviços públicos.

 

Rótulos

É preciso parar com esta velha mania de campanha eleitoral de rotular as pessoas de “turma do mal” e “turma do bem”. Todos nós sabemos que quem participa da política, de ingênuo não tem nada. E se pararmos para analisar melhor, este ano está tudo misturado. Quem estava na “turma do mal” na eleição passada, nesta eleição participa da “turma do bem”, e vice-versa. Deixem o povo que é sábio julgar quem merece o voto.

 

Para todos os gostos

Tive a paciência de olhar a listagem dos mais de 150 candidatos que estão concorrendo uma das 13 vagas na Câmara de Vereadores de União da Vitória – um verdadeiro vestibular, com mais de 10 candidatos por vaga –, e vários nomes de candidatos chamaram-me a atenção. Zé do Baú, Virpe, Trinta, Tico, Sansão, Purga, Porvinha, Pica-Pau, Nego Biga, Mercedinho, Jair Gasparzinho, Gaiola, Burro Branco, Maquininha, Chang, Bife e Albino do Cemitério. Façam suas apostas, de quem destes nomes conseguirá sentar em uma das 13 cobiçadas cadeiras do legislativo municipal.

 

Disseram…

“Quando me candidatei ao Senado, falaram em falta de experiência. A gente vê que os mais experientes estão indo em cana. Este tipo de experiência não vou ter”

Romário, ex-jogador de futebol e senador pelo PSB