Milho no Monjolo

Odilon Muncinelli

Milho no Monjolo – 12 de Outubro de 2017

 

REVISTA DA ALVI

A Revista da ALVI n. 11, ano 2018, deverá enfeixar os Discursos de Posse proferidos pelos Novos Acadêmicos – Luiz Alberto de Araújo, Marli Terezinha Andrucho Boldori, Maris Stela da Luz Stelmachuk e Thiago Daniel Sander, além de artigos jornalísticos, crônicas, poesias, contos, resenhas, ou textos científicos com temas livres.

A DAMA DO CENTENÁRIO 1

No começo desta semana, o jornalista e velho amigo Ivo Dolinski indicou a agitadora cultural Therezinha Leony Wolff como a “Dama do Centenário de Porto União”. Homenagem justa e merecida. Assino embaixo. Noutra ocasião, ela foi indicada como “A Dama da Cultura”. Nascida em Porto União, Santa Catarina, ela é autora dos livros “Coisas Que Tocam…”, “Pegadas Amigas”, “Juventus Esporte Clube”, dos livretos “Assim Nasceu Porto União da Vitória”, “Zeca Bandeira”, “Castelando” e outros. Faz parte da Academia de Letras do Vale do Iguaçu (ALVI), Academia de Cultura de Curitiba (ACCUR) e Academia de Cultura Precursora da Expressão (ACUPRE).

A DAMA DO CENTENÁRIO 2

Assinalou o jornalista: “Com o mesmo currículo que tomei a liberdade de escolher como ‘O Casal do Centenário” a Professora Aldair e seu esposo Odilon Muncinelli, querida Professora Therezinha Leony Wolff, a escolha como “A Dama do Centenário de Porto União”.

CBN ENTREVISTA

A História de Uma Família” faz o assunto do programa CBN Entrevista que será apresentado pelo professor Aluízio Witiuk, no próximo sábado, dia 14, às 9 horas, nos microfones da CBN Vale do Iguaçu, antiga Rádio Difusora União, “a Pioneira do Vale”. Diretamente do “Pé do Morro da Cruz” para a Coluna “Milho no Monjolo“, o amigo e apresentador informa que a entrevistada será a senhorita Francisca de Mattos, mais conhecida como “Chiquita”, que falará sobre a História da sua Família, com enfoque na irmã mais velha, a inesquecível professora Astrogilda de Mattos. Observação: Neste domingo, dia 15, Dia do Professor, às 15 horas, a senhorita Francisca de Mattos poderá ser assistida e ouvida, em entrevista sobre o mesmo assunto, no Programa “Caminho da Universidade”, que é produzido e apresentado pelo professor Aluízio Witiuk, na TV Mill, a TV de União da Vitória, Paraná.

A ÚLTIMA

A Coluna de hoje é dedicada ao Meritíssimo Juiz da 25ª Zona Eleitoral e da 1ª Vara Cível de Porto União Osvaldo Alves do Amaral e ao mui digno Diretor Geral do Grupo Verde Vale de Comunicação Carlos Henrique Agostini, mais conhecido como “Caíque”, que, foram agraciados com Moção Honrosa e Medalha do Contestado, conferidas pela Colenda Casa de Leis de Porto União, SC, na Sessão Solene em homenagem aos 100 Anos de Porto União, SC, realizada no dia 03 próximo passado.

Odilon Muncinelli – Membro da ALVI e do IHGPr

 

Beira do Iguaçu, Outubro de 2.017

Milho no Monjolo – 10 de Outubro de 2017

PRÊMIO NOBEL DE LITERATURA 1

O escritor Kazuo Ishiguro, de 62 anos, conquistou o Prêmio Nobel de Literatura 2017. A escolha foi anunciada na última quinta-feira, dia 05, em um evento em Estocolmo, na Suécia. Considerado um dos maiores autores vivos da língua inglesa, ele vai receber 9 milhões de coroas suecas (cerca de R$ 3,5 milhões). A Academia Sueca, responsável pelo Nobel, informou em comunicado que o Ishiguro recebeu o prêmio porque “em seus romances de grande força emocional, revelou o abismo sob nossa sensação ilusória de conexão com o mundo”. / Nascido em Nagasaki, no Japão, em 1954, Kazuo Ishiguro mudou-se para a Inglaterra aos cinco anos de idade, onde vive até hoje. Autor de oito livros (sete romances e um volume de contos), ele escreve em inglês. / São dele “Os vestígios do dia” (1989), que ganhou o Man Booker Prize de 1989, e a ficção científica “Não me abandone jamais” (2005), ambos adaptados ao cinema e lançados no Brasil pela Companhia das Letras. / A editora também publicou “Quando éramos órfãos” (2000) e “O gigante enterrado” (2015), além da seleção de contos de “Noturnos: Histórias de música e anoitecer” (2009). / Ao fazer o anúncio do prêmio a Ishiguro, secretária-geral da Academia Sueca, Sara Danius, destacou que o autor retrata em seus livros temas como “memória, passagem do tempo e autoilusão”. / Danius descreveu que o estilo de Ishiguro junta Jane Austen e Franz Kafka, com “um pouco de Marcel Proust na mistura”. / A Academia também lembrou que o filme “Vestígios do dia” (1993) foi estrelado pelo ator Anthony Hopkins. Ishiguro assina ainda o roteiro do filme “A condessa branca” (2005), estrelado por Ralph Fiennes e Natasha Richardson.

PRÊMIO NOBEL DE LITERATURA 2

Vencedor do Prêmio Nobel de Literatura, título concedido na última quinta-feira em Estocolmo, na Suécia, o escritor Kazuo Ishiguro teve dois romances adaptados para as telas do cinema.  / O primeiro livro a virar filme foi Os Vestígios do Dia, lançado em 1989 e reconhecido com o prêmio Booker Prize no mesmo ano (No Brasil, algumas edições tiveram o título traduzido para Os Resíduos do Dia). Na trama dirigida por James Ivory, um mordomo que há décadas trabalha servindo uma mesma mansão passa a olhar para seu passado quando o atual patrão lhe concede alguns dias de férias. Nesse tempo de descanso, Stevens, interpretado pelo ator Anthony Hopkins, entra em contato com uma ex-colega, a governanta Miss Keaton, vivida pela atriz Emma Thompson, que nutre sentimentos pelo mordomo — intenções que o homem, devotado à casa e à profissão, não foi capaz de perceber – assim como também não percebeu o desmoronamento do mundo em que vivia, abalado pela ascensão do fascismo e pela iminência da II Guerra. O filme foi lançado em 1993 e indicado a oito Oscar, mas não levou nenhuma estatua. (Fonte: Jornal Diário Catarinense).

A ÚLTIMA / REFLEXÕES

1. “Investir em marcas de qualidade invista em você”. 2. “Neste mundo de inverdades tenho abandonado tantas ilusões”. 3. “Homens, rodos tecidos da tênue teia da vida”. 4. “Se a vida não está ótima que seja sensacional”. (Silmar Bohrer, Presidente da Academia Caçadorense de Letras e Artes – ACLA).

Beira do Iguaçu, Outubro de 2.017.

Odilon Muncinelli é Membro da ALVI e do IHGPr

Milho no Monjolo – 03 de Outubro de 2017

DIA DO IMIGRANTE ITALIANO

‘O Dia Estadual do Imigrante Italiano, em 21 de fevereiro de cada ano, é uma comemoração no Estado de Santa Catarina, que foi estatuída pela Lei nº 14.515, de 21 de outubro de 2008, em apoio ao “Dia Nacional do Imigrante Italiano” no Brasil. A data comemorativa de brasileiros tem por fim, marcar a data de 21 de fevereiro de 1874, em que chegaram ao porto de Vitória, Espírito Santo, no Navio Sofia, as primeiras 380 famílias de italianos acolhidos nas Terras Brasileiras, que então se estabeleceram no Estado do Espírito Santo. Para conhecimento, a imigração italiana no Brasil teve como seu ponto alto, o período entre 1880 e 1930, e, atualmente, os ítalo-brasileiros estão espalhados principalmente pelos estados do Sul e do Sudeste do Brasil. Os ítalo-brasileiros são descendentes da enorme massa de imigrantes italianos que chegaram ao Brasil entre 1870 e 1960. Os ítalo-brasileiros são considerados a maior população de descendentes ou “oriundis” de italianos fora da Itália. Os ítalo-brasileiros mantêm os costumes tradicionais italianos, assim como parte da população brasileira, que acabou por absorvê-los por causa do impacto da imigração italiana no Brasil. A contribuição dos italianos é notável em todos os setores da sociedade brasileira, principalmente na mudança socioeconômica que os italianos produziram no campo e nas cidades. Nesse sentido, pode-se citar desde o modo de vida que mudou profundamente influenciado pelo catolicismo, bem como nas artes, música, arquitetura, alimentação e no empreender italiano na abertura de empresas, e também como trabalhadores especializados. No campo, pode-se citar a introdução de novas técnicas agrícolas, e principalmente na mudança do latifúndio para pequenas propriedades agrícolas e na introdução da policultura de produtos. A grande maioria dos ítalo-brasileiros está no sul e no sudeste do Brasil, mas há ítalo-brasileiros também em outras regiões do Brasil. Muitos ítalo-brasileiros já residentes no Brasil, em especial no sul, teriam migrado para estados do Centro-Oeste – em especial para o Mato Grosso do Sul. No Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Espírito Santo, alguns ítalo-brasileiros ainda falam italiano e outros dialetos regionais da Itália, mas ítalo-brasileiros mais jovens costumam falar apenas português”.

 

A ÚLTIMA

A Coluna de hoje é dedicada ao advogado e professor Aloísio Surgik, meu colega de turma na Faculdade de Direito da Universidade Federal do Paraná, que, na última quinta-feira, dia 28, “mudou-se para o andar de cima”. Uma grande perda para a Ciência Jurídica. Peço ao Senhor Nosso Pai e Nosso Guia que o receba e o tenha na Sua Santa Casa.

 

Beira do Iguaçu, Outubro de 2.017.

Odilon Muncinelli – Membro da ALVI e do IHGPr

Milho no Monjolo – 30 de Setembro de 2017

“EXISTE, LOGO ESCREVE”

No dia 21 deste mês, a jornalista, professora, ensaísta e escritora Raquel Wandelli lançou o livro “Existe, logo escreve – o inumano na arte-literatura”, na Fundação Cultural BADESC às 19 horas. A obra reúne em uma trilogia os potenciais da literatura para comunicar a humanidade e outros seres, inumanos e inanimados. O lançamento terá como atração musical a banda Felixfônica e marca os 30 anos de fundação da Editora da Universidade Regional de Blumenau (EDIFURB), que publica Existe, logo escreve. O livro é prefaciado pela professora e PHD em educação, Gilka Girardello, que se refere à Raquel como “uma escritora-xamã de pensamento vertiginoso”.  “É muito feliz a ida da autora às lendas indígenas contadas por Clarice Lispector à luz do pensamento do antropólogo Eduardo Viveiros de Castro, que resulta em uma crítica acachapante à cultura ocidental vencedora”, define Gilka Girardello.

BOLETIM DO IHGPr

Na última quarta feira, dia 27, recebi, via Correios, o  Boletim do Instituto Histórico e Geográfico do Paraná, em sua edição n. 70, 2017. Este periódico está repleto de artigos primorosos da nossa História e Geografia.

CBN EBTREVISTA

Os Cem Anos do Bardô” faz o assunto do programa “CBN Entrevista”, que será apresentado pelo professor Aluízio Witiuk, neste sábado, dia 30, às 9 horas, nos microfones da CBN Vale do Iguaçu, antiga Rádio Difusora União ZYD-3, “a Pioneira do Vale”. Diretamente do “Pé do Morro da Cruz” para a Coluna “Milho no Monjolo“, o amigo e apresentador informa que a entrevistada será a professora e diretora Alice Voegel, que falará sobre os Cem Anos da Escola de Educação Básica Professor Balduíno Cardoso. Observação: Neste domingo, dia 01, às 15 horas, a professora e diretora Alice Voegel poderá ser assistida e ouvida, em entrevista sobre o mesmo assunto, no Programa “Caminho da Universidade”, que é produzido e apresentado pelo professor Aluízio Witiuk, na TV Mill, a TV de União da Vitória, Paraná.

2º CHIMARRÃO CULTURAL 1

Na próxima quarta-feira, dia 04, em seu Auditório, a Secretaria Municipal de Educação de Porto União, Santa Catarina, promove o 2º Chimarrão Cultural. Vale lembrar que várias personalidades participaram da 1ª edição. Entre elas: Aldair W Muncinelli (a Organizadora), Eliseu Mibach, Percy Storck, Vitor Marcos Gregório, Wannessa Stenzel, Aluízio Witiuk, Pedro Mello, José Zito Alves. Francisca de Mattos, Roberto Bona, Wanderlei Verle, Luiz Fernando Colombelli, Neide Barth Rosenscheg, Valéria Aparecida Schena, Vilma Terezinha Bulek e outras.

2º CHIMARRÃO CULTURAL 2

O chimarrãoou mate é uma bebida característica da cultura do sul da América do Sul legada pelas culturas indígenas caingangue, guarani, aimará e quíchua. É composto por uma cuia, uma bomba, erva-mate moída ou cancheada e água quente a aproximadamente 65 graus Celsius.

Beira do Iguaçu, Setembro de 2.017.

Odilon Muncinelli é Membro da ALVI e do IHGPr

Milho no Monjolo – 23 de Setembro de 2017

“RAPA DE TACHO 2”

Na última terça-feira, dia 19, chegou às minhas mãos, via Correios, um exemplar do livro “Rapa de Tacho 2”, de Apparício Silva Rillo. Brindou-me o pesquisador e velho amigo Carlos Alberto Costa Guérios. Desde logo agradeço a gentileza. Nota: Nascido no dia 08 de agosto de 1931, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Apparício Silva Rillo é poeta, contista, historiador e folclorista. Destaca´se dentro da melhor poesia gaúcha. Original, inventivo, suas imagens se arredondam nas coxilhas e o ritmo no tropel de vigorosos cavalos. Em Tempo: Acompanhou ainda a cópia de uma fotografia que retrata uma “tropa de cargueiros”, passando na frente da Casa São João, em Matos Costa, então Distrito de Porto União, Santa Catarina.

CBN ENTREVISTA

“Homenagem aos Cem Anos de Porto União”, faz o assunto do programa CBN Entrevista, que será apresentado pelo professor Aluízio Witiuk, neste sábado, dia 23, às 9 horas, nos microfones da CBN Vale do Iguaçu, a antiga Rádio Difusora União “a Pioneira do Vale”. Diretamente do “Pé do Morro da Cruz” para a Coluna “Milho no Monjolo“, o amigo e apresentador informa que o entrevistado será o empresário Eliseu Mibach, mui digno Prefeito Municipal de Porto União, SC, que prestará uma Homenagem Aos Cem Anos de Porto União. Observação: Neste domingo, dia 24, às 15 horas, o empresário Eliseu Mibach poderá ser assistido e ouvido, em entrevista sobre o mesmo assunto, no Programa “Caminho da Universidade”, que é produzido e apresentado pelo professor Aluízio Witiuk, na TV Mill, a TV de União da Vitória, Paraná.

LANÇAMENTO 1

No dia 06 de outubro próximo, ocorre o lançamento do livro “Escola de Educação Básica Professor Balduíno Cardoso: Cem Anos de História”, de autoria da professora Valéria Aparecida Schena. O evento acontece durante o Jantar Dançante que será realizado no Centro Cultural 25 de Julho, em Porto União, Santa Catarina. Nota: A professora  Valéria Aparecida Schena possui graduação em Pedagogia pela Faculdade Estadual de Filosofia Ciências e Letras de União da Vitória (2000) e Mestrado em Educação pela UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina, 2008). Atualmente é professora titular da UNESPAR/ Campus de União da Vitória-PR. Pesquisadora do NUCATHE – (Núcleo de Catalogação, Estudos e Pesquisas de Documentos de História da Educação) cadastro junto ao CNPQ. Tem experiência na área de Educação com ênfase em História da Educação e Didática, atuando nos seguintes temas: formação de professores, história da educação e infância. Doutora em Educação pela UEPG (Universidade Estadual de Ponta Grossa-PR, ) na linha de pesquisa: História e Políticas Educacionais.

LANÇAMENTO 2

No dia 19 de outubro próximo, a Secretaria Municipal de Educação de Porto União promove o lançamento do livro “Palavras Por Demais”, da autoria do bombeiro militar Jean Marcel Kreuzberg. O autor nasceu no dia 29 de agosto de 1980, em Porto União, SC.  Depois de estudar teatro por dois anos, atualmente, cursa Gestão Pública. Mora em São Bento do Sul, SC.

A ÚLTIMA

A Coluna de hoje é dedicada ao vizinho e bom amigo Ronald Friederich Bindemann, que, na última quinta-feira, dia 21 “mudou-se para o andar de cima”, aos 55 anos de idade. Era professor de alemão.

Beira do Iguaçu, Setembro de 2.017

Odilon Muncinelli – Membro da ALVI e do IHGPr

Milho no Monjolo – 19 de Setembro de 2017

APRESENTÇÃO

Na noite da última quinta-feira, dia 14, ocorreu o lançamento dos livros “Vidas de Vidro” e “A Cor das Almas”, da autoria de Neide Barth Rosenscheg.  Na ocasião, a professora Aldair Wngerkiewicz Muncinelli fez a apresentação de livro      “Vidas de Vidro”, com sábias e oportunas palavras: “Meus cumprimentos à senhora Neide Barth Rosenscheg, autora dos livros “Vidas de Vidro” e “A Cor das Almas”; uma boa e agradável noite aos convidados que aceitaram o convite de nossa meiga e competente autora. Recebi a agradável missão de apresentar o primeiro livro escrito pela Neide Barth Rosenscheg: “Vidas de Vidro” e, mais agradável ainda, foi o prazer da sua leitura. Um romance instigante e educativo. / Na história relatada com muita precisão e fineza, a autora nos proporciona inúmeras reflexões, enquanto as personagens amaram muito, as circunstâncias e decisões, algumas acertadas e outras equivocadas, geraram conflitos, traumas, carência afetiva, medo, enfim, problemas diversos. Reiteramos, através da leitura, que a família é um laboratório de experiências onde se objetivam os acertos através da evolução moral. Não somos preparados para a morte do corpo e nem para o entendimento que o espírito é imortal. / O amor, ensinamento essencial do Mestre maior Jesus, nos dá coragem para enfrentar os problemas diários e também nos ensina a caridade que é o amor em movimento. Em contrapartida, a autora nos mostrou a irresponsabilidade e covardia da personagem, que causou estragos irreparáveis.  / Excelente alerta na prevenção do uso de drogas. / E, quando tudo acontece, só conseguimos a liberdade através do perdão; o perdão que pedimos ao próximo, o perdão que damos ao próximo e o perdão a si mesmo. / No contexto do romance, a autora confirma o aprendizado que deveria acontecer no amor e, se assim não acontece, será na dor. E, ainda, que o plantio é opcional, mas a colheita é certa. Por tudo o que li e acabo de relatar recomendo a leitura de “Vidas de Vidro”. Boa leitura”.

 

ESCREVE O LEITOR

“Legal, Mestre Muncinelli!  Já tinha lido e agora reli a postagem com os versos sobre o “Cinquentenário”… Tiveste a honra que trazer a público o dito poeminha do futuro escriba (com 17 anos),  ainda meio incipiente, mas fazendo uso dos ensinamentos de Português do inesquecível Professor Werno Kroetz. Este é que me ensinou o caminho das pedras e das flores, ensinando como se escreve corretamente. Nosso inesquecível Professor “Wernão”… lembrado com carinho.  Quando chegar em casa, em Caça City, digo, Caçador, lhe aviso. Inclusive, vou encaminhar um dos meus volumes de versos. Obrigado, amigo, um abraço. Silmar Bohrer”. Nota: Siilmar Bohrer é Presidente da Academia Caçadorense de Letras e Artes (ACLA).

 

Beira do Iguaçu, Setembro de 2.017.

Odilon Muncinelli é Membro da ALVI e do IHGPr

Milho no Monjolo – 16 de Setembro de 2017

BOLETIM DO IHGPR

O Boletim do Instituto Histórico e Geográfico do Paraná 2017, já está circulando e à disposição dos Associados. Este periódico que já conta com sua 70º edição está repleto de artigos primorosos da nossa História e Geografia.

REVISTA ACADÊMICA

Na última terça-feira, dia 12, chegou às minhas mãos, via Correios, um exemplar da Revista Acadêmica, Órgão Oficial da Academia Brasileira de Estudos e Pesquisas Literárias. Brindou-me o escritor e bom amigo Enéas Athanázio, Desde logo agradeço. Trata-se do número 42, Setembro de 2017, que enfeixa crônicas, poesias et caetera. Destaco a crônica “A Seringueira”, de autoria do Amigo Enéas Athanázio.

PORTO UNIÃO CEM ANOS

Na última quinta-feira, dia 14, às 18 horas, no Auditório do SENAC-Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial, em Porto União, SC, ocorreu o lançamento oficial de livro “Porto União Cem Anos”, com textos e farta ilustração fotográfica.

SESSÃO SOLENE

Na próxima sexta-feira, dia 22, às 19h e 30min, no Auditório do Colégio Santos Anjos, a Academia de Letras do Vale do Iguaçu (ALVI), em parceria com a Secretaria Municipal de Educação de Porto União, Santa Catarina, promovem uma Sessão Solene em Homenagem aos Cem Anos de Porto União (1917-2017). Com o lançamento da Edição Especial da Revista da ALVI no. 10, ano de 2017, – “Memórias: Cem Anos de Porto União”. Nessa ocasião, a acadêmica Leni Trentim Gaspari falará em nome da ALVI. E, por fim, serão empossados os Novos Acadêmicos: Luiz Alberto de Araújo, Marli Terezinha Andrucho Boldori, Maris Stela da Luz Stelmachuk e Thiago Daniel Sander. Nesse ato, o acadêmico Aluízio Witiuk fará a saudação aos Novos Acadêmicos em nome da ALVI.

CBN ENTREVISTA

“Homenagem aos Cem Anos de Porto União”, faz o assunto do programa CBN Entrevista, que será apresentado pelo professor Aluízio Witiuk, neste sábado, dia 16, às 9 horas, nos microfones da CBN Vale do Iguaçu, a antiga Rádio Difusora União “a Pioneira do Vale”. Diretamente do “Pé do Morro da Cruz” para a Coluna “Milho no Monjolo“, o amigo e apresentador informa que o entrevistado será o empresário Anízio de Souza, mui digno ex-Prefeito Municipal de Porto União, SC, que prestará uma Homenagem Aos Cem Anos de Porto União. Observação: Neste domingo, dia 17, às 15 horas, o empresário Anízio de Souza poderá ser assistido e ouvido, em entrevista sobre o mesmo assunto, no Programa “Caminho da Universidade”, que é produzido e apresentado pelo professor Aluízio Witiuk, na TV Mill, a TV de União da Vitória, Paraná.

A ÚLTIMA

A Coluna de hoje é dedicada à CBN Vale do Iguaçu 106.5 FM, afiliada da Central Brasileira de Notícias, sucessora da Rádio Difusora União, a “Pioneira do Vale”, com os votos de sucesso.

Beira do Iguaçu, Setembro de 2.017

Odilon Muncinelli é Membro da ALVI e do IHGPr

Milho no Monjolo – 12 de Setembro de 2017

AUDIOLIVROS

Se é a voz de Cid Moreira narrando as histórias da Bíblia que lhe vem à cabeça quando se fala em audiolivros, atualize seus conceitos. Mais tendência que nunca, e bem mais simples que os jurássicos CD-Rooms, os livros em áudio são os que mais crescem em vendas pela internet. Durante a 18ª Bienal do Livro do Rio, maior evento literário e da indústria editorial do Brasil que ocorre até o dia 10 no Rio de Janeiro, a possibilidade de ouvir histórias em vez de decifrá-las com os olhos foi uma ideia que caiu bem para adultos e crianças. (Fonte Jornal Diário Catarinense);

AUTOPUBLICAÇÕES

Quantos bons livros existem guardados em gavetas porque foram recusados por editoras ou porque sequer foram lidos. Das boas revoluções que a internet trouxe, uma delas é a possibilidade de você ser seu próprio editor por meio de plataformas de autopublicação. Para quem é ávido por leitura, significa ficar por dentro do que se produz de literatura contemporânea no Brasil e no mundo a preços a partir de R$ 1,90 (e às vezes até de graça). Para quem escreve, é a oportunidade de fazer o conteúdo chegar aos leitores. Embora não seja um fenômeno novíssimo — no Brasil, a Amazon disponibilizou a ferramenta em dezembro de 2012 e a Saraiva desde 2013 —, as autopublicações estão crescendo. Dos 100 livros mais vendidos Amazon no país, 30 foram lançados pela ferramenta “self service”. E a Saraiva hoje tem um catálogo com 11 mil livros publicados e 12 milhões de acessos por mês. — Às vezes, até conseguir o retorno de uma editora, pode demorar anos — diz a escritora e roteirista Gisele Mirabai, paulista de 37 anos que no ano passado venceu o Prêmio Kindle de Literatura pelo romance Machamba, lançado via autopublicação. Ela chegou a mostrar a obra a três editoras. Duas negaram e uma sequer respondeu. Depois do prêmio e sucesso pela internet, ela conseguiu lançar a obra no final do ano passado pela Editora Nova Fronteira. — Eu me perguntava se literatura e ficção contemporâneas tinham público e descobri que sim. Conheci muitos leitores depois disso. É importante estimular que livros de qualidade estejam na plataforma — diz ela. O escritor catarinense Amilcar Neves também publicou livros de contos na internet. Para ele, a experiência é válida desde que se faça um bom trabalho de divulgação da obra: — Resolve-se o problema de distribuição. Mas é um balaio com muitas coisas, de boa e má qualidade — observa. Escritor Amilcar Neves, Arquivo / DCFoto: Charles Guerra / Agência RBS — O maior valor da autopublicação é que tira o aspecto comercial das obras. Algumas editoras apostam apenas no que vai vender. Mas quanta coisa boa deixa de ser publicada porque não tem potencial de best-seller. Tem obras que talvez não vendam milhares de livros, mas quem sabe toque profundamente 10 pessoas — complementa Adriano Tarolassi, diretor de e-commerce da Saraiva. Os gêneros dos autores independentes são os mais variados possíveis. Os que mais vendem, no entanto, ainda são os romances eróticos. A história de uma professora que abandonou o magistério para dedicar-se à carreira de escritora é uma das lendas que se conta. Depois do sucesso do primeiro, ela já lançou outros 18 livros e hoje inclusive publica no papel. O escritor Paulo Coelho é outro exemplo: ele mesmo publica seus livros digitais, enquanto que as versões impressas são lançadas por editoras. (Fonte Jornal Diário Catarinense);

Beira do Iguaçu, Setembro de 2017.

Odilon Muncinelli é Membro da ALVI e do IHGPr

Milho no Monjolo – 07 de Setembro de 2017

HONRADO E GRATIFICADO

Foi escrito na faixa de frente: “Senhor Odilon Muncinelli obrigado por ter nos proporcionado estes anos de História”. Sinto-me imensamente honrado e gratificado com esta significativa homenagem que me foi prestada pelo Núcleo Educacional Infantil “Castelo Encantado”, por ocasião do Desfile dos Cem Anos de Porto União, ocorrido no último domingo, dia 03. Valeu, Professora Yara!

DOIS SIMBOLOS

Na última terça-feira, dia 05, ocorreu a inauguração de dois símbolos significativos que marcam Os Cem Anos de Porto União, Santa Catariana, lembrados naquele dia. São eles: 1. A Praça “Prefeito Victor BuchFilho”,  o “Doutor Vitinho”, o Prefeito Municipal dos 50 Anos em 1967, localizada na Rua Expedicionário Edmundo Arrabar, no Bairro Santa Rosa. Esta Praça abriga um Obelisco Histórico idealizado por este Colunista. 2. O “Monumento Ao Centenário de Porto União”, que registra o nome de todos os Prefeitos do Município, localizado no Largo da Praça Hercílio Luz.

LANÇAMENTO

No próximo dia 14, uma quinta-feira, às 19 horas, em seu Auditório, a Secretaria Municipal de Educação de Porto União, Santa Catarina, promove o lançamento dos livros “Vidas de Vidro” e “A Cor das Almas”, da autoria de Neide Barth Rosenscheg, sob a chancela da DIOESC – Diretoria Oficial do Estado de Santa Catarina / Imprensa Oficial e Arquivo Publico. Nota: O livro “Vidas de Vidro” será apresentado pela professora Aldair Wengerkiewicz Muncinelli, mi digna Secretária municipal de Educação de Porto União, Santa Catarina.  A autora nasceu no dia 11 de dezembro de 1970, em Porto União, Santa Catarina. Escreve desde os 11 anos de idade. Formou-se em Letras pela UnC – Campus de Porto União, Santa Catarina.

SESSÃO SOLENE

Não próximo dia 22, uma sexta-feira, às 19h e 30min, no Auditório do Colégio Santos Anjos, a Academia de Letras do Vale do Iguaçu (ALVI), em parceria com a Secretaria Municipal de Educação de Porto União, Santa Cataria, promovem uma Sessão Solene em Homenagem aos Cem Anos de Porto União (1917-2017) e mais o lançamento da Edição Especial da Revista da ALVI n.o 10 (2017) – “Memórias: Cem Anos de Porto União”. A acadêmica Leni Trentim Gaspari falará em nome da ALVI. Promovem ainda a Posse dos Novos Acadêmicos: Luiz Alberto de Araújo, Marli Terezinha Andrucho Boldori, Maris Stela da Luz Stelmachuk e Thiago Daniel Sander. O acadêmico Aluízio Witiuk fará a saudação aos Novos Acadêmicos em nome da ALVI.

A ÚLTIMA – A Coluna de hoje é dedicada à professora Yara Pinto Ferreira Kurutz, mui digna Diretora do Núcleo Educacional Infantil “Castelo Encantado”, do Bairro São Bernardo do Campo, que idealizou e realizou a homenagem que me foi prestada no Desfile dos Cem Anos de Porto União, SC.

Beira do Iguaçu, Setembro de 2.017.

Odilon Muncinelli – Membro da ALVI e do IHGPr

 

Milho no Monjolo – 02 de Setembro de 2017

III FESTIVAL DA POESIA

Na noite de sexta-feira, dia 11 de agosto passado, Dia do Estudante, ocorreu no Colégio Santos Anjos de Porto União, SC, a 3ª edição do Festival da Poesia, com grande sucesso. O Conselho de Jurados foi composto pela professora e Secretária Municipal de Educação Aldair Muncinelli, pelo professor Pedro da Silva de Mello e pelo artista plástico Israel Checozzi.  A vencedora foi a aluna Luisa Fecht Bindemann, com a poesia “Amor Próprio”. Bastante eloquente e significativa!

FOGO SIMBÓLICO

Ontem, dia 01, às 11 horas, em Jangada do Sul, SC, ocorreu o Acendimento do Fogo Simbólico do Centenário de Porto União, SC, no marco histórico da divisa entre SC/PR. Nota: O “Fodo Simbólico da Pátria” surgiu em 1937, como ideia de um grupo de patriotas, no Rio Grande do Sul, que procurava um símbolo que representasse o ardor cívico do nosso povo. A escolha recaiu sobre o Fogo, elemento cuja  descoberta  deu início a evolução do homem.    Levada a idéia à  Liga da Defesa Nacional, foi acolhida com muito entusiasmo, sendo complementada com o acréscimo de que o Fogo Simbólico da Pátria deveria percorrer o território nacional, numa corrida de revezamento que iria ser denominada Corrida do Fogo Simbólico da Pátria. Assim, em 1938, foi realizada uma pequena corrida, num trecho de 26 km, entre as cidades  de Viamão e de Porto Alegre, constituindo-se  ela na 1º Corrida do Fogo Simbólico da Pátria.

SCHUWALOFF

Ainda ontem, dia 01, às 19h e 30 min, na Galeria de Artes Erich Herbert Will, Estação União, ocorreu a Abertura da Exposição de Quadros de Schuwaloff, numa promoção da Secretaria Municipal de Cultura de União da Vitória, e da Associação dos Artistas Plásticos “Amadeu Bona”, em Homenagem aos 100 Anos de Porto União. Nota: Eugênio Schuwaloff era um artista russo, radicado em Porto União, Santa Catarina. Morreu em 1970. E é considerado o “Pai da Pintura das Gêmeas do Iguaçu” – Porto União e União da Vitória.

NOITE DE ARTES

Ainda ontem, dia 01, às 19 horas, no Cine Teatro Ópera, ocorreu a “Noite de Artes”, numa promoção da Secretaria Municipal de Educação de Porto União, Santa Catarina. O evento apresentou as mais variadas aptidões artísticas das crianças do nosso Município e arredores

PORTO UNIÃO 100 ANOS

Neste sábado, dia 02, às 20 horas, no Centro Cultural 25 de Julho, ocorre o lançamento do livro “Porto União 100 Anos”, uma valiosa obra comemorativa que registra uma boa parte da sua magnífica história à luz de inúmeros textos e vasto acervo fotográfico.

A ÚLTIMA

Aguarde a inauguração do Jardinete “Raimundo Colaço”, em homenagem ao 1º Mestre Escola de Porto União (1.868).

  • Beira do Iguaçu, Setembro de 2.017.
  • Odilon Muncinelli é Membro da ALVI e do IHGPr