Milho no Monjolo

Odilon Muncinelli

Milho no Monjolo – 25 de Fevereiro de 2017

 

APOSENTADORIA

No último dia 15 deste mês, ocorreu a Solenidade de Aposentadoria da jornalista e pesquisadora Zélia Maria Nascimento Sell, na Prefeitura Municipal de Curitiba, Paraná. Brilhante, valiosa e profícua a sua trajetória de vida contada no excelente artigo “Minha História – Da Creche no Alto Boqueirão Ao Reconhecimento Mundial”. Desde logo agradeço o texto que me foi enviado via e-mail. De efeito, lamento profundamente o término da apresentação do Programa “Nossa História”, – “a História Contada Por Quem Sabe”. Todavia, almejo que continue pesquisando e escrevendo sobre a História da Terra Araucariana e da Terra Barriga-Verde, enfim, das suas gentes e das suas coisas.

“AVÓS COM VOZ”

Na última terça-feira, dia 21, no Auditório da Secretaria de Educação de Porto União, SC, ocorreu a apresentação de “Avós Com Voz”, referente ao mês de fevereiro, em alusão aos Cem Anos de Porto União. O evento contou com a participação da escritora, cronista e memorialista Therezinha Leony Wolff que falou sobre os Carnavais Antigos e a Igreja Matriz Nossa Senhora das Vitórias.

“MOMENTO DA EDUCAÇÃO” 1

“Projetos Sociais e Parcerias” fazem os assuntos do Programa “Momento da Educação”, que será apresentado pelo professor Aluízio Witiuk, no próximo domingo, dia 26, às 11 horas, nos microfones da Rádio Difusora União, a antiga ZYD-3, “a Pioneira do Vale”. Diretamente do “Pé do Morro da Cruz” para a Coluna “Milho no Monjolo”, o amigo e apresentador informa que o entrevistado será o Promotor de Justiça Júlio Ribeiro de Campos Neto, que falará sobre os projetos sociais realizados no ano de 2016, as parcerias e as perspectivas para o ano de 2017. Observação: Neste mesmo domingo, dia 26, às 15 horas, o Promotor de Justiça Júlio Ribeiro de Campos Neto poderá ser assistido e ouvido, em entrevista sobre os mesmos assuntos, no Programa “Caminho da Universidade”, que é produzido e apresentado pelo professor Aluízio Witiuik, na TV Mill, a TV de União da Vitória, Paraná.

“MOMENTO DA EDUCAÇÃO” 2

Júlio Ribeiro de Campos Neto é o Promotor de Justiça da Vara da Infância e da Juventude, da Família e Anexos da Comarca de União da Vitória, Paraná. Pesquisador e estudioso de temas de ordem escolar e social, já realizou a abordagem de vários assuntos, como evasão escolar, o papel da família e da escola e outros. Possui muitas honrarias, inclusive a Comenda Pinhão do Vale, conferida pela Academia de Letras do Vale do Iguaçu (ALVI)

A ÚLTIMA

A coluna de hoje é dedicada ao bom amigo e confrade Dago Alfredo Woehl, que, neste mês, foi agraciado com a Medalha Coronel Dario Natan Bezerra, numa homenagem prestada pela Defesa Civil do Paraná pelos serviços prestados à Comunidade durante a cheia de 2014.

Beira do Iguaçu, Fevereiro de 2.017.

Odilon Muncinelli é Membro da ALVI e do IHGPr

Milho no Monjolo – 21 de Fevereiro de 2017

 

COMEMORAM CEM ANOS

Pois bem, não é somente Porto União que comemora Cem Anos. Em União da Vitória também comemoram Cem Anos, a Igreja Matriz Sagrado Coração de Jesus, atualmente Catedral, o Grupo Escolar Professor Serapião, a antiga Prefeitura Municipal e o Fórum, localizados na Praça Coronel Amazonas. Havia ainda o Hotel Paraná que “incendiou-se”, ou melhor, foi incendiado, formando com os demais, além da Praça Coronel Amazonas, um verdadeiro e valioso patrimônio histórico e cultural.

OBSERVAÇÕES

Com a devida permissão, compartilho as três oportunas observações do professor Caio Ricardo Bona Moreira, meu bom estimado amigo. Observou ele: “Só uma observação para aqueles que acham que Raduan Nassar deveria devolver o dinheiro do Prêmio Camões com o qual foi contemplado: o valor da propriedade que ele doou ao Governo Federal de bom grado para a construção de um campus da UFSCAR é muito superior à quantia simbólica do prêmio. Vale milhões! Segundo, o Governo não fez um favor a um oposicionista, mas deu andamento a um processo de premiação – já iniciado – ao maior escritor vivo da literatura brasileira. Terceiro, o senhor Roberto Freire, Ministro da Cultura, nem é da Cultura, mas sim o presidente de um partido subserviente ao Golpe e àquilo que ganhou com ele”. Permissa vênia, assino embaixo.

ANTOLOGIA

Nesta segunda-feira, dia 20, ocorreu o lançamento da antologia “Algumas Vozes — Narrativas Contemporâneas”, na Biblioteca Pública do Paraná, no Centro de Curitiba. O livro reúne contos de 20 escritores brasileiros – entre eles Milton Hatoum, Bernardo Carvalho, Luiz Ruffato, Cristóvão Tezza e Luci Collin – e faz parte do projeto Curitiba Literária – Bienal de Curitiba 2016. A obra tem tiragem de 2 mil exemplares que serão encaminhados para a Biblioteca Pública do Paraná, bibliotecas municipais e os autores — alguns deles estavam no evento. Os 30 primeiros leitores que chegaram ao lançamento receberam um exemplar da antologia. Estações-tubo já estampam em diversos pontos de Curitiba frases de autores que participam de Algumas vozes — Narrativas contemporâneas. O Evento: O projeto Curitiba Literária / Bienal de Curitiba 2016 é apresentado pelo Ministério da Cultura, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, com o patrocínio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), COPEL e SANEPAR. Também conta com o co-patrocínio da FECOMÉRCIO, SESC e Paço da Liberdade, Tecnologia e Serviços e Master Brasil. É realizado pela Secretaria de Cultura do Paraná, Ministério da Cultura e Governo Federal.

A ÚLTIMA

A Coluna de hoje é dedicada ao jovem advogado Demerson Luís Furtado Levandoski, que, na última quarta-feira, dia 16, “mudou-se para o andar de cima”, aos 45 anos de idade. Durante  algum tempo ele exerceu a sua profissão aqui na Beira do Iguaçu. Foi Secretário de Obras em União da Vitória (PR) entre 2001 e 2009 e Secretário de Administração em São João do Triunfo (PR) entre 2010 e 2013.

Beira do Iguaçu, Fevereiro de 2.017

 

Odilon Muncinelli é Membro da ALVI e do IHGPr

 

Milho no Monjolo – 18 de Fevereiro de 2017

 

PORTO UNIÃO FAZ CEM ANOS

No dia 08 deste mês (quarta-feira), a 2ª Comissão Central do Centenário do Município de Porto União, mais alguns professores e pesquisadores aprovaram, em reunião, as três obras de arte a serem construídas em homenagem aos Cem Anos de Porto União, Santa Catarina. São elas: 1. O Marco do Centenário, na confluência das Ruas 7 de Setembro e Siqueira Campos, com a inscrição dos nomes dos Prefeitos e Vice-Prefeitos em duas placas fixadas na base 2. O Obelisco, já aprovado no começo do ano passado, como Marco Histórico, pela 1ª Comissão Central do Centenário do Município de Porto União (vide Decreto n.o 825, de 14 de dezembro de 2015). .O Parque do Centenário, com o aproveitamento e a preservação de uma imponente chaminé de uma antiga olaria, na margem esquerda do majestoso Rio Iguaçu, e melhorias na Rua Professor Weynand e arredores. As duas últimas no Bairro Santa Rosa.

“MOMENTO DA EDUCAÇÃO” 1

Pós-Graduação” faz o assunto do Programa “Momento da Educação”, que será apresentado pelo professor Aluízio Witiuk, no próximo domingo, dia 19, às 11 horas, nos microfones da Rádio Difusora União, a antiga ZYD-3, “a Pioneira do Vale”. Diretamente do “Pé do Morro da Cruz” para a Coluna “Milho no Monjolo”, o amigo e apresentador informa que o entrevistado será o mestre e doutor Ilton Cesar Martins, que falará sobre a sua pós-graduação e os resultados de uma pesquisa. Observação: Neste mesmo domingo, dia 19, às 15 horas, o professor Ilton Cesar Martins poderá ser assistido e ouvido, em entrevista sobre o mesmo assunto, no Programa “Caminho da Universidade”, que é produzido e apresentado pelo professor Aluízio Witiuik, na TV Mill, a TV de União da Vitória, Paraná.

MOMENTO DA EDUCAÇÃO” 2

Ilton Cesar Martins possui graduação em História pela Faculdade Estadual de Filosofia Ciências e Letras de União da Vitória (2000), onde também obteve o título de especialista em História do Brasil no ano de 2003. É mestre em História: Cultura e Poder pela Universidade Federal do Paraná (2005), e doutor pela mesma linha de pesquisa em 2011. Dedica-se aos estudos sobre a escravidão negra na Província do Paraná, especialmente a questão da criminalidade escrava e a questão da lei e justiça dentro daquele contexto e, nos últimos anos, vem estudando a problemática dos topeiros como mediadores culturais no espaço dos Campos Gerais do Paraná. Atualmente realiza estágio pós-doutoral junto ao programa de pós-graduação em História da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), com bolsa da Capes”.

A ÚLTIMA

A Coluna de hoje é dedicada ao colunista Victor Marcos Gregório, mui digno professor de História no Instituto Federal do Paraná, em União da Vitória, que assina a apreciada Coluna “Projeções da História”, no Jornal Caiçara, desde o dia 10 de novembro de 2015.

 

Beira do Iguaçu, Fevereiro de 2.017

Odilon Muncinelli é Membro da ALVI e do IHGPR

 

Milho no Monjolo – 14 de Fevereiro de 2017

AINDA A CASA DA CULTURA

Voltando ao assunto, o jornalista e confrade Ivo Dolinski acrescentou outras informações históricas: “Peço desculpas, mas acabei postando o texto narrativo da história do prédio da Casa da Cultura, do que evidentemente eu sei, sem a devida correção e conclusão. Um fato importante daquele histórico prédio, que não pode deixar de ser registrado, sobretudo no ano do Centenário de Porto União. Ele sediou a instalação do Corpo de Bombeiros, desviado de uma cidade importante para Porto União, como presente no ano do Cinquentenário pelo governador Ivo Silveira. O prédio, realmente, tem um currículo histórico significativo para a comunidade de Porto União”.

AUTORIDADES

Nos Cinquenta Anos de Porto União, Santa Catarina, era Juiz de Direito, Mário Gonzaga da Costa. Promotor de Justiça, Hélio Juk. Prefeito Municipal, Victor Buch Filho, Vereadores, Abílio Heiss, Ênio Geraldo Nogara, Josué de Oliveira, João Maria Olinger, João Nitto Gaspari, Lando Rogério Kroetz e Roberto Cyro Corrêa. Olha só, quanta gente admirável! Nota: Na época, o exercício da vereança não era remunerado.

EXTERNATO SANTA TEREZINHA

Deu no Blog do Ivo: “A foto que você vê foi postada na Internet por iniciativa do advogado/historiador Odilon Muncinelli, é do início de 1968, poucos meses antes da realização do pleito municipal que garantiu, através dos votos da legenda – eram três os candidatos da extinta ARENA – ao engenheiro Tancredo Benghi”. Observação: Este Colunista não postou a referida fotografia, apenas comentou e compartilhou a pesquisadora Renate Ihlenfeld, autora do artigo “Dois Estados, Duas Cidades e Um Rio”, publicado neste Jornal O Comércio.

NOVA DIRETORIA

No último sábado, dia 11, a Academia de Letras do Vale do Iguaçu (ALVI) recomeçou as suas atividades. E, de pronto os seus membros elegeram a Nova Diretoria para o biênio 1917-1918 que ficou assim formada: Presidente de Honra, Odilon Túlio Vargas. Presidente, Márcia Marlene Stentzler. Vice-Presidente, Margareth Rose Ribas. 1ª Secretária, Soeli Regina Lima. 2º Secretário, Dago Alfredo Woehl. 1ª Tesoureira, Marilúcia Flenik. 2ª Tesoureira, Maria Rosa Gaiovicz. Bibliotecária, Roseli Bilobran Klein, Cerimonial Ivo Dolinski e Aluízio Witiuk. Coordenadora da Revista, Leni Trentim Gaspari, Nota: Na mesma ocasião, esta Nova Diretoria foi empossada oficialmente. Deliberou-se também pela publicação da próxima Revista da ALVI n.o 10, de 2017, numa Edição Especial em Homenagem ao Centenário de Porto União, Santa Catarina, que será comemorado no dia 05 de setembro deste ano.

A ÚLTIMA

A Coluna de hoje é dedicada à porto-unionense Angélica Candido Nogara Slomp, mui digna e MMa Juíza da Vara do Trabalho de Francisco Beltrão, Paraná, vencedora do concurso nacional de sentenças sobre direitos humanos, sob o tema Direitos do Imigrante. Ela recebe a justa e merecida honraria nesta terça feira, dia 14, em Brasília, Distrito Federal.

Beira do Iguaçu, Fevereiro de 2.017.

Odilon Muncinelli é Membro da ALVI e do IHGPR.

Milho no Monjolo – 11 de Fevereiro de 2017

CASA DA CULTURA

Deu no Blog do Ivo: “No Facebook de hoje (08/02) uma agradável surpresa de iniciativa do advogado Odilon Muncinelli, um dos mais dedicados historiadores e membro da Academia de Letras do Vale do Iguaçu (ALVI): a foto do histórico prédio que denominamos de Casa da Cultura, mas que já foi, como ele escreveu, uma Escola Alemã. Mas foi também, até 1966, a sede dos Poderes Executivo e Legislativo de Porto União. Lembro do gabinete do prefeito, ocupado na época por Salustiano Costa Júnior, que morreu num acidente de carro na região do Canivete, Município de Mafra. Ocupada interinamente após a morte do prefeito Nenê Costa pelo então presidente da Câmara Municipal, Dr. Victor Buch Filho”Nota: Meu caro jornalista e confrade Ivo Dolinski, agradeço a sua valiosa contribuição para a nossa História Local.

“MOMENTO DA EDUCAÇÃO” 1

Segredos Revelados” faz o assunto do Programa “Momento da Educação”, que será apresentado pelo professor Aluízio Witiuk, no próximo domingo, dia 12, às 11 horas, nos microfones da Rádio Difusora União, a antiga ZYD-3, “a Pioneira do Vale”. Diretamente do “Pé do Morro da Cruz” para a Coluna “Milho no Monjolo”, o amigo e apresentador informa que o entrevistado será o engenheiro eletricista e escritor Licyomar Hugo Ulrich, que falará sobre o seu livro “Segredos Revelados – O Livro Esquecido”, com 272 páginas, lançado em 2014, com o selo da Editora Saraiva. O Prefácio é assinado por este Colunista. Confesso que, numa primeira e rápida leitura do “esboço” do livro, não gostei. Depois, no mês de fevereiro do mesmo ano, esse mesmo “esboço” provocou, veladamente, um sério reboliço e inclusive uma acentuada polêmica aqui na Beira do Iguaçu e, consequentemente, uma oportuna reunião entre  membros da Academia de Letras do Vale do Iguaçu (ALVI) e alguns interessados no assunto, com a participação do autor. Algumas questiúnculas foram dissipadas. Observação: Neste mesmo domingo, dia 12, às 15 horas, o engenheiro eletricista e escritor Licyomar Hugo Ulrich  poderá ser assistido e ouvido, em entrevista sobre o mesmo assunto, no Programa “Caminho da Universidade”, que é produzido e apresentado  pelo professor Aluízio Witiuik, na TV Mill, a TV de União da Vitória, Paraná.

“MOMENTO DA EDUCAÇÃO” 2

Sinopse do Livro: No mês de outubro de 1948, logo após a chegada do Detetive Júlio Braun à cidade de União da Vitória, Paraná, um capitão do Exército é assassinado no refeitório do Colégio São José, na vizinha cidade de Porto União, Santa Catarina. Que segredos envolvem esse misterioso assassinato? Que fatos envolveram esse crime, para que sua narrativa ficasse escondida, no fundo falso de um cofre, durante todo esse tempo?

A ÚLTIMA

A Coluna de hoje é dedicada ao colunista Jonas Paulo da Silva Filho que assina a Coluna “Toque de Amigo”, no Jornal Tribuna A2;

Beira do Iguaçu, Fevereiro de 2.017.

Odilon Muncinelli é Membro da ALVI e do IHGPr.

Milho no Monjolo – 7 de Fevereiro de 2017

“MILHO DE PIPOCA” 1

“Milho de pipoca que não passa pelo fogo continua a ser milho para sempre. Assim acontece com a gente… / As grandes transformações acontecem quando passamos pelo fogo. / Quem não passa pelo fogo, fica do mesmo jeito a vida inteira. São pessoas de uma mesmice e de uma dureza assombrosas. Só que elas não percebem e acham que seu jeito de ser é o melhor. / Mas, de repente, vem o fogo. O fogo é quando a vida nos lança numa situação que nunca imaginamos: a dor. / Pode ser fogo de fora, perder um amor, um filho, o pai, a mãe, o emprego ou ficar pobre. Pode ser fogo de dentro: pânico, medo, depressão ou sofrimento, cujas causas ignoramos. / Há sempre o recurso do remédio: apagar o fogo! Sem fogo, o sofrimento diminui. Com isso, a possibilidade da grande transformação, também. Imagino que a pobre pipoca, dentro da panela fechada, cada vez mais quente, pense que chegou a sua hora: vai morrer… / Dentro de sua casca dura, fechada em si mesma, não pode imaginar um destino diferente para si. Não pode imaginar a transformação que está sendo preparada para ela.  / A pipoca não imagina aquilo do que é capaz. Aí, sem aviso prévio, pelo poder do fogo, a grande transformação acontece: bum! E ela aparece como outra coisa completamente diferente, algo que nunca havia sonhado.  / Bom, mas ainda temos o piruá, que é o milho de pipoca que se recusa a estourar. São como aquelas pessoas que, por mais que o fogo esquente, recusam-se a mudar. / A presunção e o medo são a casca dura do milho que não estoura. No entanto, o destino delas é triste, já que ficarão duras a vida inteira. Não vão se transformar na flor branca, macia e nutritiva. Não vão dar alegria a ninguém”. (Rbem Alves).

“MILHO DE PIPOCA” 2

Esta crônica é da autoria do escritor Rubem Azevedo Alves, psicanalista, educador, teólogo e escritor, nascido a 15 de setembro de 1933, em Boa Esperança, Minas Gerais, e falecido a 10 de julho de 2014, em Capinas, São Pulo. Publicou vários livros educacionais, religiosos, existenciais e infantis. É considerado um dos maiores pedagogos brasileiro de todos os tempos e um dos fundadores da Teologia da Libertação e intelectual polivalente nos debates sociais no Brasil.

A ÚLTIMA

A Coluna de hoje é dedicada à estimada senhora Zeuza Francisca de Paula Xavier Pereira Guerra, minha adorável amiga de infância, quando das frequentes e costumeiras visitas do seu pai com toda a família aos meus avós maternos Maria e  Alfeu Balardini, nos fins de semana, em meu sempre lembrado  Porto Almeida: que, no dia 09 de janeiro passado, “mudou-se para o andar de cima”, aos 78 anos de idade. Era filha de Dona Ione Catta Preta de Paula Xavier e do Doutor Xavier, ou melhor, do inesquecível Desembargador Francisco de Paula Xavier Filho que foi Juiz de Direito da Comarca de União da Vitória, Paraná, durante muitos anos e, consequentemente, deu nome ao imponente Prédio do Fórum.

Beira do Iguaçu, Fevereiro de 2.017.

Odilon Muncinelli é Membro da ALVI e do IHGPr

Milho no Monjolo – 4 de Fevereiro de 2016

DOIS LIVROS E UM CARTÃO

Na manhã da última terça-feira, dia 31, chegaram às minhas mãos, via Correios, dois livros recentemente saídos do prelo que vieram enriquecer a minha biblioteca. Brindou-me o escritor e velho amigo Enéas Athanázio, Desde logo agradeço os valiosos livros. Tratam-se dos livros “O Perto e O Longe” e “A Conquista – Novela e Crônicas”, ambos editados neste ano (2017), com o selo da Editora Minarete, da cidade de Balneário Camboriú, Santa Catarina. Vieram acompanhados de um evocativo cartão subscrito pelo autor que diz textualmente: “24.01.17 Caro Muncinelli; Muito grato pela nota a respeito da minha Mãe.Com o sobradão da Rua Prudente fechado e lúgubre, o velho Porto da minha infância já não será o mesmo. Ele abria as portas e se exibia florido e perfumado à nossa espera, com as paredes adornadas com os múltiplos quadros que ela pintava. Mas assim é a vida e só nos resta se conformar. Ficará sempre conosco a imagem serena de quem soube viver feliz. Aproveito o ensejo para comunicar que estou no Jornal Página 3 on line: www.pagina3.com.br Colunas. Todas as segundas-feiras. Grande abraço, Enéas Athanázio”. Valeu, Enéas!

DUAS AGENDAS

Na manhã da mesma terça-feira, dia 31, chegaram às minhas mãos, via Correios, duas valiosas Agendas 2017, editadas pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), ilustradas, mês a mês, com fotografias de momentos universitários. Uma para a Aldair e outra para este Colunista. Brindou-nos o bom amigo e confrade Rubens Tarcísio da Luz Stelmachuk. Agradecemos a gentileza.

UM CALENDÁRIO

Já no meio da tarde da mesma terça-feira, dia 31, o velho amigo e pesquisador Altamiro Lisboa esteve na minha banca advocatícia e brindou-me com um valioso Calendário que retrata as dependências, livros e objetos do Convento Franciscano Widenbrück, na Alemanha. Observação: Nesse Convento, o Padre Márcio Lisboa, seu filho, exerce a sua missão sacerdotal há 16 anos.

“MOMENTO DA EDUCAÇÃO”

“Projetos Sociais e Parcerias” fazem os assuntos do programa “Momento da Educação”, que será apresentado pelo professor Aluízio Witiuk, no próximo domingo, 05, às 11 horas, nos microfones da Rádio Difusora União, a antiga ZYD-3, “a Pioneira do Vale”. Diretamente do “Pé do Morro da Cruz” para a Coluna “Milho no Monjolo”, o amigo e apresentador informa que o entrevistado será o juíz Carlos Eduardo Mattioli Kockanny, mui digno Juiz de Direito da Vara da Infância e da Juventude, da Família e Anexos de União da Vitória, Paraná, que falará sobre os Projetos Sociais realizados no ano de 2016, as parcerias e as perspectivas para o ano de 2017.. Observação: Neste mesmo domingo, dia 05, às 15 horas, o Juiz Carlos Eduardo Mattioli Kockanny poderá ser assistido e ouvido, em entrevista sobre os mesmos assuntos, no Programa “Caminho da Universidade”, que é produzido e apresentado  pelo professor Aluízio Witiuik, na TV Mill, a TV de União da Vitória, Paraná.

Beira do Iguaçu, Fevereiro de 2.017

Odilon Muncinelli é Membro da ALVI e do IHGPr

Milho no Monjolo – 31 de Janeiro de 2017

NOVA COMISSÃO

Porto União Faz Cem Anos. O Decreto Municipal n.o 21, do dia 09 deste mês e ano, alterou o a redação do Decreto Municipal n.o 825, de 14 de dezembro de 2016, e modificou a formação da Comissão Central do Centenário do Município de Porto União – SC, que agora fica assim constituída: Marcelo Daniel Storck, Presidente, e, Membros: José Luiz Rodrigues Lírio, Aldair Wengerkiewicz Muncinelli, Elieser Lourenzzetti. Aluízio Witiuk e Odilon Muncinelli. Permissa vênia, por questões óbvias de respeito cultural e de justiça, a professora Therezinha Leony Wolff não pode ficar de fora da referida Nova Comissão. Anotação: Na última quarta-feira, dia 25, essa nova comissão realizou mais uma Reunião, nessa vez com a participação do advogado Victor Buch Filho, que era o Prefeito Municipal no Ano do Cinquentenário (1966-1970), Na ocasião, o Doutor Vitinho fazia uma visita à Secretária Municipal de Educação, a educadora Aldair W. Muncinelli, e, ainda brindou este Colunista com um material informativo sobre o Obelisco de Buenos Aires, Argentina.

LUTO

Na noite do último sábado, dia 28, em Porto União, Santa Catarina, morreu o ilustre advogado Jairo Mello Christ, aos 77 anos de idade. Jairo de Mello Christ era natural de Lajeado, Rio Grande do Sul, nascido no dia 07 de maio de 1939. Desde cedo iniciou na radiofonia gaúcha. Aos 15 anos de idade já atuava como locutor esportivo e comercial na então ZYU-25 Rádio Independente de Lajeado onde forjou sua atuação profissional. Em 1957, já residindo em Porto Alegre, onde cursava o Ensino Médio – Curso Clássico no Colégio Nossa Senhora do Rosário, foi contratado como locutor esportivo pela Rádio Guaíba, quando deu início às transmissões daquela emissora no final do mês de abril. No dia 06 de fevereiro de 1958, transferiu-se para a conhecida Rádio Farroupilha, No mesmo ano assinou contrato com a Rádio Difusora de Porto Alegre. Em 1960 já acadêmico de Direito e ante a impossibilidade de conciliar o trabalho em Porto Alegre com os estudos na Universidade de Passo Fundo, RS, transferiu-se de todo para essa cidade e ali continuou seu trabalho na Rádio Municipal, apresentando inclusive programa de auditório. Em 1964, já advogado e residindo em nossas cidades atuou nos Departamentos Esportivos das Rádios Difusora União (de União da Vitória, PR) e Rádio Difusora Colmeia (de Porto União, SC). No início da carreira profissional, Jairo Mello Christ e este Colunista foram discípulos do inesquecível advogado João Farani Mansur Guérios. Depois, lecionou a disciplina de Economia Política, na extinta Escola Técnica de Comércio ‘Coronel David Carneiro”,  em União da Vitória, Paraná. Exerceu a advocacia durante alguns anos. Mais tarde, ingressou no Ministério Público de Santa Catarina, quando exerceu a Promotoria de Justiça em Porto União, SC e em outras Comarcas. Por fim, retomou o exercício da Advocacia, em Porto União, SC e União da Vitória, PR. Um brilhante orador, enfim! Meus sentimentos à sua esposa Delci Aparecida Hausen Christ e demais familiares. Rogo ao Senhor Nosso Pai e Nosso Guia que o receba e o tenha na Sua Santa Casa. Descanse em paz, meu bom e velho amigo!

A ÚLTIMA

“Os covardes morrem várias vezes antes de sua morte, mas o homem corajoso experimenta a morte apenas um vez”. (William Shakespeare).

Beira do Iguaçu Janeiro de 2.017

Odilon Muncinelli é Membro da ALVI e do IHGPr

Milho no Monjolo – 28 de Janeiro de 2017

“ORAÇÃO DO MILHO” 1 – “Sou a planta humilde dos quintais pequenos e das lavouras pobres. / Meu grão, perdido por acaso, nasce e cresce na terra descuidada. Ponho folhas e haste e se me ajudares Senhor, mesmo planta de acaso, solitária, dou espigas e devolvo em muitos grãos, o grão perdido inicial, salvo por milagre, que a terra fecundou. / Sou a planta primária da lavoura. / Não me pertence a hierarquia tradicional do trigo. E de mim, não se faz o pão alvo, universal. / O Justo não me consagrou Pão da Vida, nem lugar me foi dado nos altares. Sou apenas o alimento forte e substancial dos que trabalham a terra, onde não vinga o trigo nobre. / Sou de origem obscura e de ascendência pobre. Alimento de rústicos e animais do jugo. / Fui o angú pesado e constante do escravo na exaustão do eito. / Sou a broa grosseira e modesta do pequeno sitiante. Sou a farinha econômica do proletário. / Sou a polenta do imigrante e a miga dos que começam a vida em terra estranha. / Sou apenas a fartura generosa e despreocupada dos paióis. / Sou o cocho abastecido donde rumina o gado / Sou o canto festivo dos galos na glória do dia que amanhece. / Sou o carcarejo alegre das poedeiras à volta dos seus ninhos. / Sou a pobreza vegetal, agradecida a Vós, Senhor, que me fizeste necessária e humilde / Sou o milho”!

.* * *

“ORAÇÃO DO MILHO” 2 – Este poema “Oração do Milho” é da autoria da poetisa e contista goiana Anna Lins dos Guimarães Peixoto Bretas, mais conhecida nacionalmente pelo pseudônimo de Cora Coralina. Nasceu a 20 de agosto de 1889, em Cidade Goiás, e morreu a 10 de abril de 1985, em Goiânia. Publicou vários livros. Era membro da academia Goiana de Letras, da Academia Feminina de Letras e Artes de Goiás, da União Brasileira de Escritores e da Academia Brasileira de Letras.

“MOMENTO DA EDUCAÇÃO” – “O Batalhão Heróis do Contestado” faz o assunto do programa “Momento da Educação”, que será apresentado pelo professor Aluízio Witiuk, no próximo domingo, dia 29 às 11 horas, nos microfones da Rádio Difusora União, a antiga ZYD-3, “a Pioneira do Vale”. Diretamente do “Pé do Morro da Cruz” para a Coluna “Milho no Monjolo”, o amigo e apresentador informa que o entrevistado será o Major Renato dos Santos Taborda, mui digno Comandante do 27º Batalhão da Policia Militar “Heróis do Contestado”, sediado em União da Vitória, Paraná, que falará sobre a sua formação profissional, a referida Unidade Policial Militar, a questão prisional e outros assuntos.; Observação: Neste mesmo domingo, dia 29, às 15 horas, o Major Roberto dos Santos Taborda poderá ser assistido e ouvido, em entrevista sobre o mesmo assunto, no Programa “Caminho da Universidade”, que é produzido e apresentado pelo professor Aluízio Witiuk, na TV Mill, a TV de União da Vitória (PR).

A ÚLTIMA – A Coluna de hoje é dedicada ao velho amigo Otacílio Eustáchio do Amaral, ex-vereador em União da Vitória, Paraná, que, na madrugada do último dia 18, quarta-feira, “mudou-se para o andar de cima”, aos 92 anos de idade.

Beira do Iguaçu, Janeiro de 2.017

Odilon Muncinelli é Membro da ALVI e do IHGPr

Milho no Monjolo – 24 de Janeiro de 2017

EDIÇÃO DO AUTOR

Na última quarta-feira, dia 18, chegou às minhas mãos, via Correios, um exemplar do livro “Os Crimes Hediondos da Ditadura Militar”, do jornalista Milton Ivan Heller, numa Edição do Autor. Brindou-me o próprio autor. E desde logo agradeço. Anotação: O autor começou no Jornal Diário da Tarde (de Curitiba), como “repórter”. Passou pelo O Dia, O Diário do Paraná, a Rádio Cultura, a Revista Panorama e a sucursal da Última Hora. Publicou vários livros sobre o Contestado e o Movimento Militar de 64.

“AVÓS COM VOZ”

Nesta terça-feira, dia 24, às 20 horas, no Salão Nobre do “aristocrático” Clube Concórdia, em Porto União, Santa Catarina, ocorre o lançamento oficial do Projeto “Avós Com Voz” alusivo aos festejos  Cem Anos de Porto União, SC, numa promoção da Secretaria de Cultura e Turismo e da Comissão do Centenário da Porto União, SC, O evento mostrará e contará atos e fatos, com a valorização de empresas e personalidades que escreveram algumas páginas da História de Porto União, SC.  Assim, iniciando o Projeto, o primeiro evento contará a história da fundação da “Casa do Ferro” (1933), a primeira revenda de automóveis de Porto União, SC, de propriedade do senhor Theodoro Kroetz. E ainda mostrará uma grande parte do acervo da família,  com a participação de um dos seus netos, Lando Rogério Kroetz. Ademais, o Projeto “Avós Com Voz” será realizado, mensalmente, com a presença de “vovôs” e “Vovós” que contarão um pouco das suas histórias e memórias sobre Porto União, SC, que serão gravadas em vídeos para serem distribuídos nas escolas locais em formato de contagem de histórias. Anotação: O porto-unionense Lando Rogério Kroetz era vereador durante os festejos dos Cinquenta Anos de Porto União, SC, em 1967, aliás, o único ainda vivo. É profundo conhecedor da História da Ferrovia no Paraná e Santa Catarina., inclusive publicou dois livros a respeito do assunto. Além disso, foi um bom amigo deste Colunista nos áureos tempos dos bancos escolares no Ginásio São José. E continua sendo!

“O MEU LUGAR”

Na próxima quinta-feira, dia 26, às 19 horas, na Associação Vêneta La Bella Itália, em Canoinhas, SC, ocorre o lançamento do livro “O Meu Lugar”, da acadêmica e colunista Adair Dittrich, com o apoio da Academia de Letras do Brasil/SC – Seccional de Canoinhas, SC. A obra reúne crônicas sobre o Distrito de Marcílio Dias, SC. Agradeço o convite.

A ÚLTIMA

A Coluna de hoje é dedicada ao velho e bom amigo Carlos Silva, conhecido popularmente como “Brito”, um exemplo de garçom atencioso e prestativo, que, na manhã do último dia 16, segunda-feira, “mudou-se para o andar de cima”, aos 77 anos de idade. Peço a Deus que o receba e o tenha na Sua Santa Casa! Descanse em Paz!

Beira do Iguaçu, Janeiro de 2.017

Odilon Muncinelli é Membro da ALVI e do IHGPr