Piloto Online

O Papo das Duas

papo-das-duas2Enquanto esperavam 2014 morrer e 2015 nascer, as duas aproveitavam para colocar o papo em dia.

– ♪ Adeus ano velhoooooooo, feliz ano novooooo ♫, que tudo se realizeeeeeeeee ♪♫…

– Ô pequena, vamos parar com essa cantoria toda. Ainda mais com essa voz de taquara rachada.

– Ah, pode falar o que quiser, grandona, hoje eu não vou estragar meu bom humor. O que achou da minha roupa branca?

– Tá mais para encardida do que para branca, pequena. O Zé das Fanfarras não mandou passar uma demão de tinta em você, menina?

– Olha quem fala, você está cinza escuro. Parece roupa de velório, grandona.

– Nem me fale, mas o Secretário Tubérculo disse que vai me dar uma roupa nova e um teleférico no ano que vem, pequena.

– Bom, o Zé das Fanfarras mandou asfaltar o caminho até eu, fez uma via sacra tão bonita quanto a sua e ainda mandou fazer um mirante, para a negada olhar a cidade aqui perto de mim.

– Que massa pequena. Mas sabe, bem que eu queria que aquela gringa verde com uma tocha na mão viesse para cá. Ia ser legal zoar com a cara dele, né?

– Sei não grandona. Esses dias eu estava lembrando daquela nossa amiga lá da Terra do Vinho. Tadinha, passou por maus bocados. Quase caiu né?

– É, mais o pessoal sério da terra do Grossoni cuidou bem dela, pequena.

– Então grandona, preparada para o ano novo?

– Penso que sim. Com a mesma esperança dos pobres, com a mesma fé dos aflitos, com a mesma alegria dos abastados e com a mesma determinação dos que buscam a verdade, pequena. E você?

– Bom, eu quero menos pedidos de promessas, mais agradecimento, menos esquecimentos e mais lembranças que nós duas estamos aqui, chova ou faça sol, zelando por esse povo humilde, trabalhador.

– É verdade, pequena. Sempre estamos intercedendo lá em cima para que as cheias não castiguem tanto, para que os políticos sejam honestos e trabalhadores, para que não falte saúde e determinação, para cada um carregar a sua cruz.

– Pena que ninguém dê valor né, grandona? É o velho ditado: os que vem de fora, rezam, choram e molham nossos pés com as lágrimas e enxugam com os cabelos. Mas nossos queridos filhos nem lembram de fazer uma oração, uma prece.

– Mas ano que vem será diferente. Vamos continuar aqui, firmes e fortes, abençoando esses dois municípios, estes dois estados e nosso país. Dias melhores virão, pequena.

– Amém. Agora fica quieta aí para a gente ver as pessoas se abraçando cheias de ternura, carinho e esperança. Feliz ano novo povo de Deus. Até amanhã, eu aqui e a grandona lá no outro morro…

OBS.: O Papo das Duas é uma crônica de humor, com fatos e personagens absolutamente fictícios. Afinal de contas, já viram estátuas falarem? Feliz 2015 pessoal e até semana que vem.

O Papo das Duas

papo-das-duas2Enquanto se preparavam para assistir a eleição da mesa na casa dos representantes do povo, as duas se puseram a tagarelar sem parar:

É hoje que essa caxanga pega fogo, grandona.

– Então pequena, quais são os prognósticos? O Loirinho da Carne Moída leva ou o Trairini senta na grande cadeira de palha importada da casa de leis?

– Isso é uma coisa interessante grandona. O Trairini sabotou o grupo do prefeito Careca da Água Mineral e entregou o comando da casa do povo para a oposição.

– Sim, eu lembro, pequena.

– Então. Agora ele está sabotando o grupo da oposição para ser presidente. Dá pra entender?

– Mas e daí ele volta a apoiar o grupo do Careca da Água Mineral?

– Isso eu não sei dizer. Mas os emedebê, que foram os traídos, votam todos no Trairini.

Mas e o vereador do Beco? Vai junto também, pequena?

– Esse é o revoltado, mas o ex-prefeito Polaquinho Contador vai convencer ele. O emedebê precisa de seis votos para aprovar as contas do Polaquinho. Daí já viu né?

– Mas então o Loirinho da Carne Moída dançou, pequena?

– Tá no caminho. Mas prometeu que vai infernizar a vida do Trairini, grandona.

– Nossa, aqui embaixo tá tão tranquilo.

– O Dadinho será o presidente?

– Bom, está 99,99% confirmado. O grupo dele tem oito votos, pequena.

– E o Dinheraldo Gás, aquele do zóio verde, é o candidato da oposição, grandona?

– Parece que sim. O licenciado Xícara disse que o voto do Pirulito é dele e tem de votar no Gás.

– Então, quantos votam no Gás?

– Ele mesmo, o Dário do Banco, o Dani Pedregulho, o Buenão e o Pirulito. Ou o Xícara.

– Ah tá. O resto do povo vota no Dadinho, grandona?

– Dizem que sim. Só posso te dizer com certeza depois da votação.

– O seguro morreu de velho, hein Grandona?

– Pois é. Mas aqui embaixo o pessoal é ponta firme. Não é chegado nessas loucuras que os caras fazem aí em cima, pequena.

– Como diz o Britaço, em política só não se vê vaca voar.

– É mesmo! Ei, pera lá, o que é aquilo, pequena?

– Parece uma vaca. Ela tá voando??????

OBS.: O Papo das Duas é uma crônica de humor, com personagens e fatos meramente fictícios. Qualquer semelhança é mera coincidência. Ou não? Vamos perguntar aos universitários? As cartas?

Papo das Duas

Enquanto as duas observavam o movimento de Natal, aproveitavam para cornetear um pouquinho.

papo-das-duas– Ei pequena, acho que eu conheço aquele de cabelo branco que está entrando na loja ali na frente.

– Ah, já sei, você vai dizer que é o Grossoni.

– Não, é o Rei da Areia mesmo. Tá entrando ali comprar uns badulaques para seu amigo secreto.

– Daria um pedacinho do meu gesso para saber quem é o amigo secreto dele, grandona.

– Mas acho que sei, pequena.

– E quem seria, grandona?

– Ah, Tia Dilma Petesseff.

– Mas será? Por que você acha isso?

– Fácil pequena. Ela deu a restauração da rodovia para o Rei da Areia. Nunca deu um presente deste tamanho. Só a Petesseff…

– Bom, aí tem sentido, grandona. Mas quem será que tirou o prefeito Careca da Água Mineral?

– Tomara que não seja o ex-prefeito Polaquinho Contador, pequena.

– É mesmo grandona, vai que ele queira ganhar a cadeira de palha importada que o Careca está sentado até 2016…

– E o Prefeito Polaquinho do Mercado? Quem tirou?

– O Lúcio Bagre, grandona. Que tal?

– Huahuahuahua… É muita maldade. Os dois estão mais para inimigos públicos, pequena.

– Pior é o Loirinho da Picanha. Já imaginou se ele tira o Trairini, grandona?

– Não quero nem imaginar o presente que o Loirinho iria dar pro Trairini…

– Mudando de assunto, será que teremos muitas novidades para o ano que vem?

– Bom, pequena, o Polaquinho do Mercado está cheio das ideias. Parece que o ano que vem será o ano do povo na prefeitura. E o Careca, tá aprontando o que?

– Primeiro ele quer uma conversa definitiva com o Polaquinho Contador. Depois vai tratar de ficar mais perto do povo para tentar a reeleição.

– E os alongadores testiculares, serão os mesmos ano que vem, pequena?

– Tomara que não. Uns deles vão para a fila do Sine, grandona.

Nisso as duas olharam para aquele homem barbudo de vermelho entrando em uma loja. Seria o Papai Noel comprando alguns presentes que faltaram? Não era o Zilidin Daldioto, o novo presidente da casa do povo com seu visual de natal? Sabe que ele fica bem parecido com o bom velhinho?!!?!

OBS.: O Papo das Duas é uma crônica de humor com personagens e fatos absolutamente fictícios. Qualquer semelhança é a carapuça do saci, ou a touca do Papai Noel mesmo…

O Papo das Duas

papo-das-duas2Enquanto sentiam aquele cheirinho de churrasquinho de gato com graspa importada, as duas se divertiam, aguardando a abertura da festa.

Ei pequena, quem é aquele motoqueiro ali?

– Pois você não sabe? É o Polaquinho Contador. Depois que deixou de ser prefeito, comprou uma motoca e viaja pelo país com a ex primeira dama.

– Olha sóóóó. O polaquinho Contador chegou com tudo.

– Pois é grandona. Parece que a estrela maior do “emedebê” está se preparando para disputar uma eleição. Senão não estaria aparecendo mais que umbigo de vedete.

– Será? Mas parece que tem mais gente querendo sentar na cadeira de palha importada do prefeito Careca da Água Mineral, pequena.

– O que você está sabendo grandona?

– Ah o que todo mundo sabe. O Salva do Xixo também quer, o vereador Zé Bonitinho Martins também, o Tubérculo e mais meia dúzia do emedebê, pequena.

– Nossa mãe. Fora o próprio Careca da Água Mineral, O Italianinho dos Carros usados, o Loirinho da Carne Moída. Não é muito cacique para pouco índio, grandona?

– É né? Mas esse povo todo quer ser prefeito de Porto Fantasma, fazer o que né, pequena?

– Mas e aí embaixo não tem candidato?

– Aqui o pessoal não está muito interessado nisso não. O Polaquinho do mercado tem muita coisa para fazer e seu principal opositor, o Lúcio Bagre, se elegeu e tem muita coisa para fazer.

– Mas são só esses dois? Não tem outros nomes?

– Tem, mas colocar agora queima o filme, né pequena.

– Então você quer dizer que aqui em cima estão queimando o filme, grandona?

– Mas é lógico. A hora não é de se lançar candidato e ficar brigando entre esses partidinhos mequetrefes. A hora é de trabalhar. O povo ainda está enjoado com a eleição que aconteceu agora pouco, pequena.

– Sabe que olhando por esse ângulo, faz sentido, grandona?!?

– E não é? Quem quer saber se o polaquinho Contador, ou o Careca, ou o Salva querem ser candidatos? Faltam dois anos para outra eleição. Que esqueçam os conchavos e vão trabalhar pelo povo, fazer jus aos seus gordos proventos…

– Olha, se você fosse candidata, eu votaria em você grandona.

– Deus me livre, pequena. Eu seria derrubada em uma semana.

– Porque?

– Simples, eu sou justiceira e não sei mentir.

Nisso as duas olharam para a multidão que se reunia para a abertura da festa do churrasquinho de gato com graspa importada. Era dia de alegria, dia de esquecer as tristezas e comemorar muito.

Obs: O papo das duas é uma crônica de humor, com personagens e fatos absolutamente fictícios. Qualquer semelhança põe na conta que depois a gente acerta

 

 

O Papo das Duas

papo-das-duas2Enquanto tomavam uma chuva daquelas as duas, sem nada para fazer, colocavam as fofocas em dia:

– Pequena do céu, você nem sabe da última.

– Não sei nem da primeira, quem dirá da última. Estou mais por fora que cotovelo de motorista de caminhão, grandona.

– Mas é que aqui embaixo o povo acha que meu ouvido é penico, pequena. Me contam coisas do arco da véia.

– Mas então diga lá, grandona. Quais são as novis?

– Então, menina. Dizem que o prefeito Polaquinho do Mercado está preparando uma reforma maior do que se imaginava.

– Sério grandona? E ele vai reformar a casa? O carro? A fazenda?

– Não, monte, tô falando de outro tipo de reforma. A reforma administrativa.

– Ahhhhhhhhhhhh. Então é por isso que tem um monte de comissionado subindo todo o dia aí no seu morro?

– E não é, pequena? Tem gente morrendo de medo de parar na fila do Sine.

– Mas aqui em cima também, grandona. Parece que o Careca da Água Mineral está virado no tocha e vai fazer uma revolução.

– Verdade que a oposição, comandada pelo Loirinho da Carne Moída, garantiu um grupo forte pro Careca da Água Mineral se ele mandar o emedebê chupar prego?

– É verdade. O Salva do Xixo confessou para o seu Ailton no programa Linha Fechada, grandona.

– Mas o emedebê não tem força para andar sozinho, pequena?

– É isso que se discute nessas rodinhas. Tem gente que acha que se ressuscitar o Polaquinho Contador fica tudo meio igual.

– Parece que no emedebê tem muito cacique para pouco índio né?

– Então, grandona. Disseram que um dos caciques queria encerrar sua carreira de comissionado e o Careca da Água Mineral não deixou e exigiu ele em outra secretaria.

– E era verdade? Se for o cara tá por cima da carne seca.

– Parece que o Careca queria ele bem longe mesmo, grandona. Mas tem um grande e comprido que o Careca tá mesmo prestigiando.

– Quem? Quem?

– Aquele que tem nome de calça jeans, grandona.

– Mas ele não é o causídico da prefeitura?

– É, mas pode ser bem mais que isso em janeiro. Quem viver, verá…

– Eu não perco essa pauleira por nada, pequena…

Nisso as duas pararam para ver um véio barbudo de roupa vermelha chegando numa carroça. As duas pensaram que era o Papai Noel, mas era só Bigode Britto que fez promessa e deixou a barba crescer.

 

OBS.: O Papo das Duas é uma crônica de humor com personagens e fatos fictícios. Qualquer coincidência, só pode ser sacanagem ou falta do que fazer mesmo…

O Papo das Duas

papo-das-duas2Enquanto olhavam a montagem das tendas para a festa do churrasquinho de gato e da cachaça, as duas aproveitaram para colocar a prosa em dia:

– Ei grandona, você viu o movimento aqui na lojona nova?

– Se vi. Tinha gente esperando na fila para entrar. Cidade grande é outra coisa né?

– Pois é. Viu, me conte uma coisa, grandona. É verdade que vem outras duas lojonas aí embaixo?

– Um contabilista da cidade andou espalhando por aí que vem uma tal de Casa do Chinês e a Bodega da Mariusa.

– Mas que chique nós somos, né?

– Chique é a festa do espetinho de gato com cachaça aí em cima, pequena. O povo já ta empolgado com a festança.

– Pois é, parece que neste ano a bicicletona vem com o Careca da Água Mineral puxando os alemães no desfile.

– Mas ele não vai no carro oficial das autoridades, pequena?

– Não. O carro tem muito cacique para pouco índio, grandona.

– Será que o governador Mundinho vem para a festa?

– Hiiii, você não soube, grandona?

– Soube do que menina? Me conte já.

– O coração do Mundinho deu umas pifadas e ele fez uns remendos para funcionar direito.

– Nossa, que babado! Será que foi de emoção pela eleição?

– Ou remorso pela rodovia da curva da morte, que ele não mandou arrumar até hoje, grandona.

– Nem quero falar nisso. Mudando de assunto, o bicho tá pegando aqui embaixo, pequena.

– O que aconteceu, grandona?

– Ah, o Dário do Banco e o Tubérculo do lado de cá da linha andam se desentendendo.

– E por quê?

– Por causa de um ginásio de esportes. A coisa começou no “Rostobook” e terminou na tribuna da casa do povo.

– Adoro esses babados. Vai ter desdobramentos?

– Vai né, pequena. O Tubérculo da Indústria e Comércio anda com uns arquivos de fotos mostrando o antes e o depois do tal ginásio de esportes.

– E agora, grandona?

Nisso as duas pararam para apreciar a grande tenda branca e ficaram imaginando o cheirinho de churrasquinho de gato se espalhando pela praça. Dizem que até papai Noel vem para a festa…

OBS.: O Papo das Duas é uma crônica de humor com personagens e fatos fictícios e só usa a carapuça do saci quem quer. No mais é tudo mera coincidência.

O Papo das Duas

papo-das-duas2Enquanto tomam um solzinho de 35ºC, as duas aproveitam para por a conversa em dia:

– Mas que chique hein grandona. Quem diria que um dia meus olhos iriam ver o Grossoni como governador da província?

– Pior que o “miserento” nem veio aqui em cima me agradecer. Nem tirou um selfie comigo, pequena. Já viu gente mais mal agradecida?

– Ah, grandona, vai ver que ele tava ocupado. Tenho certeza que ele vai pegar o avião de rosca dele e vai aí dizer umas palavrinhas de agradecimento nos seus pés.

– Não sei não, pequena. Antes das coisas acontecerem, todo mundo vem aqui desfiar um rosário nos meus pés. Depois que conseguem o que querem, deitam a gadeia, como diz o cabeludo do jornal.

– Ei, aquele ali no aeroporto não é o Lúcio Bagre, grandona?

– Então, pequena, como ele de burro não tem nada já foi apoiar o Grossoni na sua curta, mas intensa, caminhada de chefe do Palácio Iguaçu.

– Ele vai ver a boca quente que é representar a sua região, grandona.

– Bom, ele sabe né pequena? Dia 1º de janeiro as cobranças vão chover em cima dele. E não adianta falar que é começo de governo, porque o Beto Lixa já está no poder há quatro anos.

– Bom, aqui, depois da peleja da eleição da mesa na Câmara, depois de contar os mortos e feridos, o povo já vai começar a campanha eleitoral, grandona…

– Mas já, menina?!? A Zilma Petezeff acabou de ganhar.

– É, mais o Careca da Água Mineral não está nem um pouco a fim de perder o trono, grandona.

– Para quem?

– Para ninguém. Ele sabe que a turma do emedebê já está se mexendo atrás do toco faz tempo.

– Sabe, pequena?

– Claro que sabe. E como a Zilma ganhou, o Careca também quer mais um mandato. Com ou sem o emedebê. Melhor com eles, mas o “Plano B” existe também…

– Sabe que aqui embaixo o Polaquinho do Mercado está mais faceiro que piá de calça jeans nova.

– Por que grandona?

– A cidade tá virada num canteiro de obras. Ganhou mais R$ 4 milhões do Grossoni para asfalto e tem mais um monte de dinheiro para obras no ano que vem. Quer apostar? Candidatíssimo à reeleição.

Nisso as duas param para olhar um avião de rosca chegando na cidade. Aí pensaram que deveria ser o Laércio Geadas ou a Zilma Petezeff vindo prestigiar a posse do Grossoni como governador. Não era. Era o Careca dono da lojona Havana que veio inaugurar o empreendimento. As duas pensaram: “Ainda bem que aquela metida verde com uma tocha na mão não veio junto”.

OBS: O Papo das Duas é uma crônica de humor com personagens e fatos absolutamente fictícios. Quem se servir da carapuça que pelo menos devolva depois…

O Papo das Duas

papo-das-duas2E, pela primeira vez em muito tempo, as duas estavam quietas, analisando os acontecimentos recentes:

Então pequena. O que se pode dizer numa hora dessas? Os leitores estão esperando.

– Bom, grandona, posso dizer que três vidas inocentes se perderam por conta do entrave da burocracia que existe na administração estadual e por consequência na federal.

– Parece que a comunidade já tinha pedido o fim da “Curva do Tomate” faz tempo né?

– Então grandona. Dezenas de vidas já se foram nessa curva. Nessa estrada. Será que é mesmo a mão do destino?

– Não sei responder, mas tem tanto representante de Porto sem Navio. Onde eles estão agora?

– Como assim, tantos representantes, grandona?

– Ué, cada vereador se julga dono de um curral de votos, cada representante de bairro pensa que é o rei dos votos, cada secretário de governo municipal pensa que tem mais votos do que os candidatos. Então, onde foram parar os que foram apoiados nas últimas eleições, pequena?

– Parece que vai ter um protesto e vão fechar a estrada amanhã. Será que é o suficiente, grandona?

 – Mas as próprias ações políticas parecem fogo de palha. No calor da tragédia vale tudo. Teve vereador dizendo, satisfeito por ver a casa cheia, que a cidade não tem médico legista.

– Pois é, como pode uma cidade não ter médico legista, grandona?

– Mas eu que moro aqui embaixo, sei que tem três médicos aí. Antes de falar para um público que passou dois dias sofrendo emocionalmente, nossos despreparados edis deveriam antes se informar, pequena.

– Bom, é até estranho esses pronunciamentos, porque vereador não constrói estrada, não tapa buracos, ele só faz leis e fiscaliza o executivo, grandona. O povo precisa parar de acreditar nesses contos da carochinha.

– Mas, pequena, uma coisa é certa. Eles fariam muito mais ligando para seus deputados, eleitos ou derrotados, para pressionar e ver se sai a obra que vai retirar a curva do tomate daquela estrada.

– Já tem gente chamando aquela curva de curva da incompetência, grandona.

Nisso as duas pararam e refletiram que mesmo com essa tragédia, se de agora em diante alguma coisa for feita, nada trará àquela jovem família a vida de novo. No entanto vale a pena não perder outras vidas. Ou ficaremos naquela: não foi a primeira e nem será a última tragédia naquele local. Fora os buracos na rodovia que atormentam a vida da população. O Papo das Duas de hoje não teve graça, nem irreverência, mas pelo menos convoca às “autoridades” à reflexão.

OBS.: O Papo das Duas é uma crônica de um cotidiano fictício, mas nem tanto. Qualquer semelhança é para provocar a reflexão. Até a semana que vem, como o coração mais aliviado.

O Papo das Duas

papo-das-duas2Enquanto se abanam para espantar o calor insuportável, as duas mais reclamam do que fofocam, mas vamos lá:

– Tá louco pequena, estou me sentindo um gesso assado. Isso aqui parece a casa do cap%#@, digo, um caldeirão fervente, menina.

– Nem me fale, grandona. Imagina quando chegar o verão de verdade?

– Esse planeta está ficando insuportável. Mas mudando de assunto pequena, é verdade que o Magrelo do 25 e o Marchalentai quase foram para a porrada dias atrás?

– E não é? Rolou uma gritaria e o magrelo do 25 queria bater o brim do Marchalentai, grandona. Se não fosse a turma do deixa disso…

– Mas a treta ainda é por causa da campanha, pequena?

– Pois é, grandona. O Marchalentai disse que o Magrelo do 25, a Maria Votair e mais um puxa saco do partido deles abandonaram o próprio candidato para fazer campanha para o Silvo Dinhereck, lá de Rio Pretinho.

– Mas o Marchalentai nem perdeu muito. Os três e mais meia dúzia de soldados eleitorais não fizeram 300 votos para o Dinhereck. Foi um fiasco, pequena.

– Mas foi tipo aí embaixo grandona. O Aguinaldo Raiol de Cascavel foi abandonado pelo próprio partido. Achou que ia fazer um caminhão de votos, mas a turma do Lúcio Bagre foi toda de Grossoni.

– É, mais eles tinham desculpa. O Grossoni é da terra, pequena. Aí em cima os caras tinham que ser mais bairristas e apoiar o Marchalentai.

– Mudando de assunto, soube que o Grossoni Filho está de mala e cuia para morar aqui em cima, grandona.

– Já soube, pequena. Parece que ele vai morar na maloca que era do Black Strong.

– Quem? Black Strong?

– Ah, esqueci que você é analfabeta em inglês, pequena. Black Strong é o Moreno Forçudo. Aquele da madeireira.

– Ah ta. Será que o Grossoni filho quer ser prefeito de Porto sem Navio, grandona?

– Não. Parece que a conversa é aqui embaixo mesmo, pequena.

– Mas ele mora aqui em cima.

– E daí? O Farmácia, o Lúcio Bagre e um monte de políticos com mandato mora aí e exerce mandato aqui Buraco City.

– E pode grandona?

– Poder, não pode, mas nos registros sempre constam um domicílio eleitoral daqui. Daí fica tudo por isso mesmo.

– Mesmo sendo outro estado da federação, grandona?

– Aí eu não sei, tem de perguntar para os capa preta do eleitoral, pequena.

Nisso as duas pararam para prestar atenção em um fanático, pelado, de joelhos, com uma bandeira azul. Como estava longe não deu para ver que nome estava escrito, mas pelo jeito tava pagando promessa por algum candidato eleito. É mole?

OBS.: O Papo das Duas é uma crônica com personagens e fatos absolutamente fictícios. Qualquer semelhança é a maldita carapuça. Aquela da eleição ainda. Credo. Até semana que vem…

O Papo das Duas

Enquanto assistiam o último comício antes das eleições, as duas aproveitavam para por o papo em dia:

– Mas quanta gente aí grandona. Vão distribuir o que aí, menina?

– Nada. É que esse é o comício de encerramento do Príncipe da Areia, filho do lendário Kid Draga, o Rei da Areia.

– Mas como tem eleitor aí. Tá nadando de braçada o piá…

– Então, pequena. O Príncipe da Areia foi o cara que mais cresceu nessa campanha. Recebeu apoio de tudo que é lado. A expectativa é de um caminhão de votos.

– Mas será que é tudo isso mesmo, grandona?

– Bom, além de ser estudado, educado, trabalhador, é filho da dona Hirda e do Rei da Areia, dois campeões de voto. Precisa mais?

– E o Lúcio Bagre, pequena? Esse é perigoso.

– Bom, ele tem os votos dele. Agora vai todo mundo para a calculadora fazer contas.

– Que contas, grandona?

– Ué, para ver se a região de Buraco City consegue eleger dois candidatos e se o Camundongo Júnior vai fazer mesmo os 300 mil votos que acha que faz, pequena.

– Pois é. Aqui em Porto Fantasma o Águia vai arrebentar a boca do balão. Quer ser o mais votado, grandona.

– Mas o povo dele tá trabalhando?

– Opa, aquele magricela do Noites e o diabêdo dele está na rua 24 horas por dia. O Águia tá bem servido de cabos eleitorais, grandona.

– Duro é essa abertura que o Polaquinho Contador fez. Deixar todo mundo escolher um candidato, me parece uma daquelas coisas ruins que serão sentidas lá na frente, pequena.

– Azar é dele. Vão se matar tudo na próxima eleição municipal. Ei, grandona? Quem é aquele subindo no palanque do Príncipe da Areia? Parece o Chico Cuoco…

– Daonde, cegueta, é o Grossoni com sua cabeleira branca. Há quem diga que ele mandou descolorir para ficar com cara de senhor.

– Mas ele é mais véio que andar pra frente, nem precisava descolorir a gadeia.

– Ele não é velho, pequena, é rodado. E vai usar toda essa experiência em Brasília.

– E não é? Imagina o agito dele e o Mariano lá no planalto, grandona?

– Mas o Mariano apóia a Zilma e o Grossoni o Aécio…

Nisso começou o comício. O Príncipe da Areia chegou ao fim da sua jornada política. Agora seja o que Deus quiser. E que o povo eleja os melhores.

OBS.: O Papo das Duas é uma crônica de humor. Nem adianta tentar vestir a carapuça porque, pela Lei Eleitoral, nenhuma das duas por ir presa até as eleições. Huahuahuahauhau…