AÇAÍ: Uma frutinha que caiu no gosto do povo

Há quem diga que o açaí tem gosto de terra. E há quem lamenta a afirmação. Sim, é oito ou oitenta: quem gosta dessa frutinha, gosta mesmo e, quem odeia, odeia de verdade. Acontece que o açaí vem crescendo em popularidade, especialmente quando transformado em suco ou sorvete. O produto, garante quem gosta, é fresco, mais leve que o sorvete de massa, e bem docinho. “Quando eu experimentei pela primeira vez, não gostei. Mas aí, com meu marido, comi de novo e gostei. Agora virou vício”, conta a professora, Bruna Hresko. Nessa semana, ela estava com uma colega mantendo o ritual de toda semana, degustar de um bom açaí. No copo, ele veio caprichado, com todos os complementos colocados por quem aprecia o produto. São indispensáveis o morango, o leite em pó e a banana. Na lista, aparecem a granola e o leite condensado. “Prefiro hoje o açaí à sorvete”, sorri Bruna.

No Vale do Iguaçu, o produto vem criando fãs de carteirinha. Como a Bruna e sua amiga, por exemplo. Basta fazer uma pesquisa no site de busca da palavra açaí em União da Vitória e Porto União. São vários os estabelecimentos que introduziram o produto no menu. Há alguns, embora em menor quantidade, de novos endereços voltados apenas à degustação da iguaria.

Se no Vale, que é uma região de temperatura amena, o açaí já faz sucesso, basta imaginar o efeito do produto e de todas as suas versões em endereços mais quentes. Não é à toa que o Maranhão ocupa o terceiro lugar no ranking de produtor da fruta. Conforme o IBGE, com a produção concentrada no noroeste do estado, o Maranhão aumentou a extração de açaí nos últimos cinco anos, consolidando-se como um dos maiores produtores do fruto. Atualmente, o estado ocupa o terceiro lugar no ranking no País em relação ao alimento, típico da culinária local.

Os dados da Produção da Extração Vegetal e Silvicultura (PEVS) do IBGE confirmam esse fenômeno. No ano de 2012, por exemplo, foram extraídas 12,3 mil toneladas do produto, mantendo a tendência nos anos seguintes, chegando a 17,5 mil toneladas em 2016. O Maranhão foi um dos poucos onde foi registrado crescimento da extração ao longo deste período. Segundo os dados de 2016, o principal produtor de açaí no Brasil continua sendo o estado do Pará, onde foram extraídas 131.836 toneladas em 2016. Em seguida, aparecem Amazonas (57.572 toneladas), Maranhão (17.508 toneladas), Acre (4.459 toneladas), Amapá (2.627 toneladas) e Rondônia (1.605 toneladas).

Fonte de minerais

Com predominância na região Norte do País e em alguns estados do Nordeste, o açaí tem diversas utilidades. A principal delas vem das propriedades nutricionais da fruta: ela é uma importante fonte de minerais como ferro, cálcio, fósforo e algumas vitaminas. O palmito da planta também é extraído para o consumo.

Já o extrato da fruta é utilizado na área de cosméticos e de estética como sabonetes, óleos corporais entre outros. Logo depois da extração da polpa, o caroço é reaproveitado no artesanato e como adubo orgânico, após sua decomposição.

Em São Luís, também no Maranhão, nos meses de outubro e novembro, é realizada a tradicional Festa da Juçara (a forma como o açaí é chamado por lá). O evento é realizado há quase 50 anos no bairro do Maracanã, localizado na zona rural da capital maranhense.

Segundo os comerciantes do local, são vendidos em média mais de 10 mil litros da polpa da fruta por dia durante a festa. No local, a juçara pode ser degustada pura, com açúcar, com camarão seco, com farinha e vários outros ingredientes a gosto do visitante, da mesma forma como acontece em todo o Maranhão.

Nova OIinda do Maranhão produz mais

Segundo o IBGE, é no noroeste do Maranhão onde estão os municípios que concentram a maior parte da produção do açaí de todo o estado. A extração do fruto na região vem aumentando gradativamente ao longo dos últimos anos, liderando o crescimento do fruto no estado.

O município de Nova Olinda do Maranhão (a cerca de 360 km de São Luís) é o principal produtor de açaí do estado, com uma extração de 2.404 tonelada em 2016. Nos últimos cinco anos, a produção na região cresceu principalmente entre os anos de 2014 e 2015 em que a extração do fruto aumentou 222,5%, passando de 683 para 2.203 toneladas.

MAIORES PRODUTORES

1º lugar – Pará

2º lugar – Amazonas

3º lugar – Maranhão

4º lugar – Acre

5º lugar – Amapá

6º lugar – Rondônia

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta