“Se não houver parceria com o poder público, fecha o hospital”, diz diretor

Funcionários e diretoria do HSCC acompanharam a sessão da Câmara/Edinei Wassoaski/JMais
Funcionários e diretoria do HSCC acompanharam a sessão da Câmara/Edinei Wassoaski/JMais

Acompanhado por um plenário lotado, o presidente do conselho deliberativo do Hospital Santa Cruz de Canoinhas (HSCC), João Mario Grosskopp, e o diretor administrativo do hospital, Derby Fontana Neto, falaram por mais de uma hora durante a sessão desta segunda-feira, 19, da Câmara de Vereadores de Canoinhas. Além de fazer uma prestação de contas, eles defenderam a necessidade de o Município ajudar a manter o hospital. Há duas semanas o HSCC encaminhou ofício à Câmara “implorando” pelas sobras financeiras do exercício.

Grosskopp explicou como funciona o fluxograma do HSCC. Lembrou que o hospital é filantrópico e que, ao contrário do que chegou a ser aventado, o atestado de filantropia foi renovado em agosto de 2018. “Todo o ano o HSCC é auditado por empresa externa, uma exigência para garantir a filantropia. Além de auditoria externa, responde a um conselho fiscal. Falaram em caixa preta, deixamos aqui nossas portas abertas.”

Grosskopp respondeu, também, aos rumores de que outra pessoa assumiria a direção do HSCC a partir de janeiro. “Dizem que outras pessoas vão assumir o HSCC a partir do ano que vem e que vão fazer uma limpa. Isso é jogar gasolina no fogo. Gente que desconhece o estatuto do HSCC”, disse.

Ele negou, também, que partiu do HSCC a decisão de romper os contratos do sobreaviso médico, Unidade de Pronto Atendimento e manutenção da maternidade. “Em várias reuniões a Prefeitura nos solicitou a devolução dos serviços porque estavam em desconformidade e que por isso o Município era constantemente cobrado pelo Ministério Público”, afirmou.

Matéria completa no Portal Jmais

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta