“Baleia Azul é jogo satânico”, afirma pai que desconfia que filha entrou no jogo - Vvale

“Baleia Azul é jogo satânico”, afirma pai que desconfia que filha entrou no jogo

A luta do morador de União da Vitória é mobilizar as autoridades competentes para salvar a menina de 15 anos de idade

PAI
O pai não fez exigências quanto a divulgação da sua identidade e disse que fala sem censura o sobre o dilema que vem passando. (Foto: Wannessa Stenzel)

Um morador de União da Vitória está desesperado ao relatar desconfiança de que a sua filha de 15 anos possa estar participando do jogo da Baleia Azul. O jogo é perigoso e tem deixado o mundo em total estado de alerta. Especialistas apontam que o ‘desafio’ surgiu na Rússia em 2015 depois de notícia falsa. No Brasil, a polícia investiga casos de suicídio em três estados.

Para tanto, o jogo também vem repercutindo no Vale do Iguaçu. Conta o pai, que procurou nesta manhã, 19, a reportagem do Portal Vvale, que vem reparando que a filha tem apresentado atitudes estranhas, tais como, permanecer na Internet durante a madrugada. O pior, segundo ele, foi que na semana passada a jovem apareceu com cortes superficiais nos braços. “Uma parente chegou e notou essa atrocidade na minha filha. Além disso, ela apareceu com um desenho de uma baleia azul no braço. Estamos desconfiados de que ela tenha entrado nesse jogo satânico”, afirma.

O pai conta que já pressionaram a menina, mas ela nega participação no jogo. “Ela não fala nada. Desvia o assunto. Eu fiz o seguinte, tirei o roteador para ela não usar mais a internet na madrugada. Estou de olho em tudo o que ela faz”, diz.

Outra medida tomada pela família da jovem foi recorrer as pedagogas da escola, Policia Militar e Conselho Tutelar. “Os conselheiros inclusive já foram até a minha casa para verificar a situação. Meu desejo é que a minha família fique longe desse negócio que está matando gente”, conta.

O jogo

O jogo da ‘Baleia Azul’ propõe 50 desafios aos adolescentes e sugere o suicídio como última etapa. Há pelo menos dois casos de morte sob investigação policial, em Mato Grosso e na Paraíba, além de uma tentativa de suicídio, no Rio de Janeiro, que supostamente podem ter relação com o jogo.

O que atualmente está sendo conhecido como “jogo” na verdade é uma sequência de troca de mensagens em redes sociais e tarefas a serem cumpridas. Nas conversas, um grupo de organizadores, chamados “curadores”, propõe 50 desafios macabros aos adolescentes, como fazer fotos assistindo a filmes de terror, automutilar-se desenhando baleias com instrumentos afiados em partes do corpo e ficar doente.

Identidade

O pai não fez exigências quanto a divulgação da sua identidade e disse que fala sem censura o sobre o dilema que vem passando. Porém, nossa equipe decidiu preservar a jovem e seus familiares.

 

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

  • Joao Santos - 20 de abril de 2017 - 14h 37
    Isso é resultado de uma geração que não foi educada, que não está sendo educada. Uma geração que em vez de ser mandada, manda, dita regras. Infelizmente, filhos de pais covardes, medrosos. Dá nisso!!! Literalmente, Satanás as "educa"!!!
    Responder