“O Brasil que dá Certo” foi destaque no Congresso de Rádio e Televisão da Acaert

Os chefes dos Poderes Executivos do Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina destacaram ações que fizeram seus Estados atingirem bons índices de desenvolvimento econômico e social

O Brasil que dá Certo foi destaque no 18º Congresso de Rádio e Televisão da Acaert, em painel com governadores dos três Estados do Sul. Os chefes dos Poderes Executivos do Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina destacaram ações que fizeram seus Estados atingirem bons índices de desenvolvimento econômico e social, o que garante ao Sul brasileiro bons indicadores em comparação com outras regiões da federação.

O governador catarinense, Carlos Moisés da Silva falou como o Estado se recuperou do déficit de R$ 1,2 bi e avançou para um superávit superior a R$ 1,8 bi e investiu mais R$ 2 milhões em recursos próprios. O governante destacou ainda o perfil municipalista do seu Governo, o foco em infraestrutura, aplicando recursos inclusive em rodovias federais.

“Esse movimento trouxe a garantia e a segurança jurídica que animou empresariado brasileiro e estrangeiro para escolher Santa Catarina como um lugar para investir. Por isso, nosso Estado cresce acima da média brasileira e gera mais postos de trabalho. Comemoramos ainda, que, durante a pandemia tivemos a menor taxa de letalidade e o menor desemprego do Brasil.”

Já o governador do Rio Grande do Sul, Ranolfo Vieira Júnior, lembrou que há poucos anos o Estado pagava o salário de seus servidores com atraso e parcelado, acumulava dívidas com fornecedores, na saúde a dívida supera a casa do R$ 1 bilhão. Reformas, estruturas administrativas, privatizações e concessões possibilitaram uma “virada de jogo no Rio Grande do Sul”, enfatizou Ranolfo.

O governador gaúcho Ranolfo Vieira Júnior enfatizou ainda a relevância do Congresso Catarinense de Rádio e Televisão para evidenciar a importância da imprensa livre. “Isso é basilar do sistema democrático, o direito fundamental das pessoas serem informadas”.

O governador do Paraná, Carlos Massa Júnior, explicou que o planejamento, voltado especialmente para as questões de logística, transformou o Paraná na “central logística da América do Sul”, o que tem impactado na geração de empregos. O Estado registrou geração de emprego histórica em 2021, e iniciou este ano superando os números de geração de emprego no primeiro trimestre.

“Nesse encontro do Sul, em especial da radiodifusão, temos um momento oportuno para discutir com o setor empresarial os três Estados do Sul, que respondem por uma fatia considerável do PIB brasileiro”, finalizou Ratinho Júnior.


Fonte: Acaert