“O que não queremos é que uma guerra volte a dividir Bituruna”

Claudinei de Paula Castilho, prefeito pelo Podemos, foi o convidado desta segunda-feira, 10, da CBN Vale do Iguaçu
2020 08 10 Claudinei de Paula Castilho

O prefeito de Bituruna, Claudinei de Paula Castilho (Podemos), foi o convidado da CBN Vale do Iguaçu, nesta segunda-feira, 10. Ele participou da série de entrevistas Político é tudo igual?

A polarização das redes sociais somada à frustração geral das pessoas com a política; faz com que o cidadão pense que os políticos são todos iguais.

Mas e você?


Confira a entrevista:

CBN Vale do Iguaçu: Em sua visão, qual foi sua principal atitude como Prefeito durante este mandato?

Claudinei de Paula Castilho: Olha, o nosso lema aqui em Bituruna, foi um legado de trabalho. Trabalhamos nos últimos seis anos incansavelmente em prol de Bituruna, e todos sabem do desgaste político que nós tivemos, principalmente a partir de 2010, com a troca de prefeitos sucessiva de prefeitos aqui na cidade, e graças a Deus as lideranças políticas tiveram a maturidade, a partir de 2015, de estabelecer um pacto em prol do desenvolvimento de Bituruna. A gente fez esse trabalho unido com todos da classe política do município, de trabalho de desenvolvimento da cidade. O grande legado é o trabalho que realizamos na cidade.

CBN Vale do Iguaçu: O que pensa sobre os patamares salariais do funcionalismo municipal, principalmente sobre os cargos comissionados de livre nomeação?

Claudinei de Paula Castilho: Olha, aqui em Bituruna, só para você ter uma ideia, em 2015, quando nós assumimos, em 2014 nós tinhamos102 cargos em comissão do município, hoje nós trabalhamos com 47. É claro que para muitas pessoas o nível salarial nos cargos comissionados é alto, eu digo que para você ter um bom profissional ele precisa estar contente com que ele está ganhando, se não ele não desempenha um bom papel. O nível salarial em Bituruna condiz com a realidade profissional de cada um, coordenador, secretário, diretor, e dificilmente vamos encontrar um professor para secretário de educação, um agrônomo, veterinário para secretário da agricultura, pagamento mal esse servidor. O que a gente fez, por exemplo, esse ano ainda, no mês de abril, foi o não reajuste salarial dos agentes políticos, prefeito, vice, secretários e cargos em comissão, e em junho fomos além, reduzimos o salário do prefeito, secretário e cargos em comissão, para que pudéssemos enfrentar essa crise financeira e chegar até o final de 2020 com uma economia em torno de 700 mil reais, que vai garantir, além da manutenção dos salários dos servidores, também o pagamento de décimo terceiro salário.

CBN Vale do Iguaçu: Qual sua opinião sobre a contratação de parentes?

Claudinei de Paula Castilho: Esse é um tema já discutido no STF, na súmula vinculante de número 13, que trata a questão do nepotismo. Eu vejo duas situações essa questão: se for apenas para você ter a politicagem de ter um parente no serviço público, eu sou contrário. Agora se for uma pessoa capacitada, técnica, nada melhor do que uma pessoa de tua confiança. Como o próprio nome fala “cargo de confiança”, deve-se ter a confiança nesse servidor e eles farão com que o serviço público ande a contento do gestor. Então, sou contra a questão de nepotismo, menos na questão de agente político, porque é de livre nomeação e o prefeito precisa de pessoas de confiança para ajudar na administração do município.

CBN Vale do Iguaçu: Qual é a nota que dá e porque para o Presidente Bolsonaro?

Claudinei de Paula Castilho: Olha eu, entendo que o presidente Jair Bolsonaro, em que pese, as vezes acaba falando aquilo que não deve em determinados momentos, mas ninguém pode negar que o trabalho que ele tem feito, pelo menos em um ano e pouco, não ouvimos sobre a corrupção do nosso País. Tem feito junto com a sua equipe, na área econômica um trabalho de desenvolvimento do País. É claro que que com um ano e meio de mandato é difícil dar uma nota para a pessoa do presidente. Mas em nível de administração do Brasil eu não tenho dúvidas, que se seguir esse trabalho, as reformas que são necessárias para que o País ande. Se o poder público não atrapalhar, o setor privado por si só ele se desenvolve cresce, gera renda e riqueza para o País. Então, eu dou uma nota seis para o Presidente, tendo em vista, durante a pandemia uma dificuldade enorme especificamente no comando da saúde.

CBN Vale do Iguaçu: Para o Governador do Paraná, Ratinho Júnior?

Claudinei de Paula Castilho: Digo sempre que os governadores do Paraná tem sido grandes parceiros do município. Isso começa lá, onde eu tive o prazer, de dizer que talvez o maior governador municipalista foi o Beto Richa. Em que pese, tudo o que aconteceu, nós não podemos, enquanto prefeitos, políticos, virar as costas para quem ajudou nós naquele momento. Bituruna foi um canteiro de obras e recebeu muitos investimentos do estado do Paraná, naquele mandato. Hoje o governador do estado, Ratinho Junior também tem feito esse trabalho. Graças também à liderança do deputado Hussein que tem ajudado as lideranças aqui da região. Então o governador Ratinho tem se demonstrado uma pessoa que quer que o Paraná se desenvolva e esse revolvimento precisa vir aos pequenos municípios, é algo que nós, enquanto Amsulpar, estamos cobrando há muitos anos. Um olhar especial do governo, principalmente na questão do desenvolvimento, emprego e de renda. Quando nós trabalhamos com o desenvolvimento da cadeia produtiva da erva mate nós queremos que isso se desenvolva na região, e que acabe trazendo uma dívida até com o próprio governo, em tecnologia, desenvolvimento. A gente vê que o Ratinho Junior tem feito todos os esforços e está no caminho certo.

Eu daria uma nota sete.

CBN Vale do Iguaçu: Para o prefeito de Bituruna, Claudinei de Paula Castilho?

Claudinei de Paula Castilho: Aí fica difícil e eu deixo para a população. A gente tem trabalhado muito e tenho falado isso para todos os meus secretários. Nenhum deles se licenciou para ser candidatos. Todos estão trabalhando e temos um compromisso até 31 de dezembro. Vai ser bem diferente de quando assumi o município, nós vamos deixar Bituruna com muitos projetos encaminhados a nível de governo do estado, com recursos, projetos, obras em andamento, tenho certeza que eu vou deixar a prefeitura com a sensação de dever cumprido, graças à parceria com deputados estaduais, de diversos partidos políticos, diversas frentes, recursos de governo de estado e federal. Hoje, se eu fosse elencar, estamos no mínimo com dez obras que estão em andamento e outras em licitação. São milhares de reais em recursos.

A nota eu deixo para a polpação avaliar o trabalho que a gente fez nos últimos seis anos.

CBN Vale do Iguaçu: Como o senhor (a) avalia o cenário eleitoral do município neste momento? (Expectativas, candidaturas / apoio)

Claudinei de Paula Castilho: Tenho conversado muito com os pré-candidatos. A gente sempre fala que aqui em Bituruna é um lugar diferente, pois quando se fala em eleição, em política, sempre temos grandes lideranças, personalidades que surgem no nosso município. E agora não é diferente. Nós temos várias pessoas disputando um lugar na pré-candidatura. O que nós esperamos e não queremos é que uma guerra volte a dividir o nosso município. Eu, graças a Deus, em dou bem com os quatro candidatos. Mas o meu apoio hoje é ao pré-candidato Rodrigo Rossoni, que é um jovem, tem experiência, foi prefeito e está com vontade de se cumprir e o que iniciou em 2011 que a gente possa fazer.

Eu apoio o ex-prefeito Rodrigo Rossoni.

CBN Vale do Iguaçu: É pré-candidato a algum cargo na atual eleição? Se sim, qual?

Claudinei de Paula Castilho: Não. Pela lei eleitoral eu não posso ser candidato e acredito que já fiz a minha parte nesses seis anos. Eu volto para o meu trabalho na iniciativa privada e ajudar o município de outras formas.