Professora conta que a ikebana é a arte do belo

“É a arte do belo, a arte das flores vivas”, define Ivete Behrens Rey
ikebana-vaso-dourado

 

Por Mariana Honesko

ikebana-vaso-douradoNão se trata de um arranjo simples de flores. Na verdade, a Ikebana vai além, e consegue expressar sua definição – flores vivas, termo japonês – em cada galho, em cada folha, em cada cor usada para montar a peça. A Ikebana é a arte de montar arranjos com base em regras e simbolismos preestabelecidos. Geralmente, eles decoram altares e são feitos usando flores – sempre naturais – folhas, frutos e plantas secas. “É a arte do belo”, resume a professora assistente do curso de Ikebana – realizado na Igreja Messiânica, em União da Vitória – Ivete Behrens Rey. Conforme ela, a técnica é conhecida na região do Vale do Iguaçu desde 1985. “Quando nós fazemos uma Ikebana, estamos dando vida à planta. Damos à ela a função de embelezar, mas a missão dela é de salvar, salvar através do belo”, completa.

Dentro deste contexto, Ivete recomenda a colocação de afeto durante a confecção do arranjo. “Quando eu vou dar um presente para um aniversariante, é importante pensar na pessoa, no que ela gosta. Ela leva o que a gente sente”, sorri. Em casa, a Ikebana pode ser colocada na entrada, na área de maior convívio da família, mas também pode ficar na escrivaninha, no banheiro: o que importa é o carinho ao montar a peça.

A Ikebana teve origem na Índia, onde os religiosos faziam grandes decorações para o altar de Buda, porém, foram os japoneses que tornaram a prática conhecida, e estenderam-na até o Ocidente.

No Vale do Iguaçu

ivete reyA arte da Ikebana, disponível há mais de 30 anos na região, está acessível da comunidade. Em União da Vitória, a técnica é ensinada na Igreja Messiânica, que fica no centro, na rua 1º de Maio, em União. No momento, duas turmas estão em andamento: o curso dura quatro anos, com uma aula mensal. “Quando a gente entrar num lugar sem flor, parece que falta amor, falta energia”, sorri. A Ikebana não é vendida em nenhum lugar. Contudo, quem tem interesse em adquirir o arranjo, pode procurar por mais informações na Igreja Messiânica. No Brasil, existem atualmente 14 escolas filiadas à Associação de lkebana do Brasil.

Quer montar a sua Ikebana? 

Embora o curso seja longo, é possível fazer um arranjo em casa, simples. Para uma mini Ikebana, um copo de café é suficiente. A decoração vai precisar de massa floral – uma esponja encontrada em floriculturas – uma flor pequena e um galho verde. “Você coloca numa disposição onde o mais alto é sempre o mais fechado e a cor mais escura fica mais embaixo”, explica.

 

Arte japonesa tem data comemorativa

Foi aprovado pelo Plenário, em 2017, substitutivo ao Projeto de Lei da Câmara (PLC) 55/2008, que cria o Dia Nacional da Ikebana, com objetivo de difundir e celebrar a cultura dos arranjos florais, como elementos de harmonização e embelezamento dos ambientes e da convivência. A data escolhida para homenagear a arte é o dia que marca o início da Primavera (23 de setembro) e em que se comemora o Dia da Juventude.

IKEBANA

A arte, que significa Ka-dô, o caminho da flor, teve origem no Japão e traz características naturais da cultura japonesa como a valorização da natureza e o hábito de oferecer flores a Buda. Assim como outras artes tradicionais japonesas, a lkebana é hoje largamente praticada em países com culturas e costumes diversos.