“Macetaram na nossa cabeça que União da Vitória não ia pra frente”

O prefeito de União da Vitória, Santin Roveda (PR), foi o convidado da série de entrevistas POLÍTICO É TUDO IGUAL?
santinroveda-cbn-serieespecial

O prefeito de União da Vitória, Santin Roveda (PR), foi o convidado desta sexta-feira, 9, da série de entrevistas POLÍTICO É TUDO IGUAL?

A participação aconteceu durante o Programa CBN Tarde de Notícias.

Convidado

Santin é empresário; em 2014, se candidatou a um cargo de deputado Estadual do Paraná pelo Partido da República (PR); dois anos depois, pelo mesmo partido, se candidatou ao cargo de prefeito de União da Vitória, sendo eleito com um total de 16.333 votos validos sendo 57,39%


Confira a entrevista:

CBN Vale do Iguaçu: Em sua visão, qual foi sua principal atitude como Prefeito durante este mandato?

Santin Roveda: Talvez a esperança da resposta que muita gente espera da minha pessoa, vendo uma União da Vitória com obras em todos os lugares, graças a Deus, graças ao nosso emprenho e graças ao nosso trabalho, graças a qualidade técnica da equipe que compõe atualmente a prefeitura de União da Vitória, eu poderia dizer que é a ponte, que é a revitalização urbana e o novo direcionamento de toda a cidade. Porém, eu digo de todo o coração que o que eu mais gostei, e que eu mais sinto que eu deixo de legado, é o que eu vi lá trás, por isso me dediquei pela política; eu vi uma União da Vitória sem liderança, sem rumo, perdida, com pessoas que compõe o nosso município, que são as famílias, o trabalhador, as pessoas criativas, dedicadas, e que estavam desmotivadas, porque se falava muito que: “União da Vitória não dá certo”, é complicada aqui não dá mesmo”, tínhamos vários grupos na cidade como, “União da depressão”, “União da Vitória nada dá certo”, e isso começou a me irritar muito. Eu acho que eu ajudei a colocar um clima de entusiasmo e otimismo, de fôlego, e eu vendi União da Vitória de uma maneira muito orgulhosa. Eu sou nascido no Hospital Regional, estudei na Luterana, no Anchieta, no Santos Anjos, e eu conheci e vi pela primeira vez, de longe, no Concórdia, a minha esposa Ana Claudia e aí começamos a namorar, enfim tenho muitos amigos, que tem histórias bonitas daqui. Eu deixo um clima de ótimo, entusiasmo, de orgulho de ser de União da Vitória, porque eu sinto que a gente tinha perdido porque macetaram na nossa cabeça que União da Vitória não ia pra frente; isso me irritava profundamente.

CBN Vale do Iguaçu: O que pensa sobre os patamares salariais do funcionalismo municipal, principalmente sobre os cargos comissionados de livre nomeação?

Santin Roveda: Eu penso que se a pessoa for técnica, competente, fizer um trabalho descente e que traga mudança na qualidade de vida e melhorias no dia a dia da rotina de um município, é merecido. Quando colocam esses cargos que são de confiança, que são comissionados, porque na verdade eles acabaram sendo demonizados né, pois quando se colocam lá um primo, parente, compadre, pessoa incompetente, sem menor possibilidade de estar a frente de um cargo de liderança, é complicado; pois eu mesmo coloquei diversos servidores de carreira em cargos de confiança, porque já sabiam da estrutura, já sabiam o que faziam e demonstraram ao logo de anos, anos e anos, e eu nem era perfeito, e eu fui pesquisar que eram pessoas extremamente competentes e, que hoje ocupam cargo de lideranças do Santin.

A resposta da pergunta é: Se tem competência, se muda a vida das pessoas e do cotidiano de uma cidade para melhor, eu acho merecido. Mas se é pura politicagem eu acho que daí é uma sem-vergonhice e atitude de péssima situação e de um político sem vergonha. Espero nunca me enquadrar em uma situação como essa.

CBN Vale do Iguaçu: Qual sua opinião sobre a contratação de parentes?

Santin Roveda: Não vejo com bons olhos, sinceramente. Mas posso acrescentar o mesmo que eu disse na pergunta anterior. Repito: Se tem competência, se muda a vida das pessoas e do cotidiano de uma cidade para melhor, eu acho merecido. Mas se é pura politicagem eu acho que daí é uma sem-vergonhice.

CBN Vale do Iguaçu: Qual é a nota que dá e porque para o Presidente Bolsonaro?

Santin Roveda: O Bolsonaro é um político que está indo contra o estilo politiqueiro que sempre se teve em Brasília, de favores; Ele está indo simplesmente no instinto de fazer o melhor que ele consegue. Em algumas situações é muito bem-sucedido; em outras ele ou comete algum erro, deslize. Quero dizer que eu não sou bolsonarista, nem lulista, eu sou extremante contra o extremismo. Eu não gosto de misturar “eu sou Bolsonaro acima de tudo”, ou “eu sou Lula acima de tudo”, a gente tem que ser Brasil acima de tudo, paranaense e querer o melhor. Mas eu vejo que o Bolsonaro em nenhuma vez trabalhou para fazer roubalheira ou sem-vergonhice. Eu aprendi com meu pai: “meu filho, tenha vergonha na cara, faça o melhor que puder sempre, mas com honestidade, isso foi o que eu te ensinei e o que eu espero de você”, e é isso que estou fazendo na prefeitura de União da Vitória. Podem me criticar, falar o que quiserem, mas falar que o Santin tem algum deslize ético ou de honestidade, graças ao bom Deus, eu consegui provar que eu estou na prefeitura para contribuir.

Então qual é a nota do Bolsonaro? Eu não posso dar nota, porque eu na minha gestão, também não gostaria que alguém desse uma nota com um ano e meio de governo. Acho equivocado dar uma nota nesse momento.

Para o Governador do Paraná, Ratinho Júnior?

Santin Roveda: Também não dou nota, mas digo o seguinte: para quem como eu que passou por três governos, sendo Beto Richa, Cida Borghetti e agora Ratinho Junior, sou extremamente grato pela parceria, pela maneira com que me trata, porque eu representando União da Vitória, represento o povo, represento as pessoas que moram aqui e garanto, que esses três governadores que passaram no período que eu estive a frente da prefeitura nos trataram com dignidade, com respeito e atenção. O Governador Carlos Massa Ratinho Júnior tem o meu total respeito e administração.

Para o prefeito de União da Vitória, Santin Roveda?

Santin Roveda: Não é certo eu dar uma nota para mim, porque o político tem que ser criticado, mas não críticas para a pessoa, a índole, família, mas a crítica ela é positiva, bem-vinda e te abre o olho para situações que você não enxerga. Estou a frente, junto, ao lado, de colaboradores que estão trabalhando em diversos setores de uma prefeitura que cuida da maternidade ao cemitério. Eu entendo quando as pessoas falam: tem uma boca de lobo entupida aqui, Santin me ajude! Mas eu tô vendo boca de lobo, Covid, obras da ponte, tem um milhão de coisas que a gente tem que estar atendo. O político tem que saber lidar com a avaliação. Eu sempre vou estar a disposição para fazer o meu melhor. Eu me orgulho de ter dado otimismo, entusiasmo para União da Vitória. Eu sempre vou estar com um sorriso no rosto por mais difíceis que sejam os desafios e mais complexos. Eu sempre digo: o que que o Santin fez pela cidade? Ele fez algo que melhorou a minha vida, a vida da minha sogra, da minha avó, aí ele é bom político, mas se ele não fez nada, aí sim, político é tudo igual.  

CBN Vale do Iguaçu: Como o senhor (a) avalia o cenário eleitoral do município neste momento? (Expectativas, candidaturas / apoio)

Santin Roveda: Eu acho que estamos em um cenário sereno. Nós já vimos em União da Vitória brigas, ódio, calúnia. Eu acho que a gente conseguiu nesses três anos e meio, eu ao lado do vice-prefeito Bachir Abbas, que é uma pessoa fantástica, é um super cara, uma pessoa espetacular que Deus colocou no meu caminho. Então fico lisonjeado em trabalhar com o pessoal de obras, saúde, assistência social, administrativa, feliz realmente em fazer pela minha cidade o que eu sonhei.

CBN Vale do Iguaçu: É pré-candidato a algum cargo na atual eleição? Se sim, qual?

Santin Roveda: Vai se clarear daqui a pouco. Eu garanto e sempre garanti que eu não largo o meu companheiro, o meu amigo Bachir Abbas, porque nós estaremos juntos nesse pleito eleitoral, porque o nosso sonho é dar continuidade para uma União da Vitória que vem se desenvolvendo muito.

CBN: O senhor coloca o seu nome à disposição para as eleições 2020, sim ou não?

Santin Roveda: Eu coloco o meu nome a disposição de União da Vitória, não só hoje, mas sempre.