Projeto cinematográfico de Malu Grabowski será filmado no Vale do Iguaçu

A presença de Malu no Vale do Iguaçu é passageira, mas com promessa de uma lembrança pela eternidade

A echarpe cobrindo os ombros mostra o estilo e o charme que ela, aos 70 anos de idade, faz questão de exibir. Apesar de afirmar que prefere a coxia (também chamada de bastidores) ao invés do palco, Maria Luiza Grabowski, de nome artístico Malu, é dona de uma presença marcante.

A voz grave e de frases repletas de conhecimento sobre o mundo é convidativa para um bate-papo mais longo. Não por acaso, Malu tem uma história de superação, força, garra e muito talento, que muito contribui para a preservação de manifestações culturais pelo País. Ao longo de décadas ela acompanhou a evolução das artes visuais, da literatura, da música, do cinema e sobre o fazer artístico. Ela é uma artista nata.

era a representante de grupos de teatro e marcou presença nos corais. Apoiada pela sua família, que habitualmente acompanhavam o glamour das artes requintadas como o ballet e óperas, Malu sempre evidenciou a pluralidade do seu olhar para a arte; são 30 anos de experiência em cinema, teatro e televisão.

Malu, natural de União da Vitória, há 50 anos deixou a cidade para morar no Rio de Janeiro. Foi na cidade chamada de Maravilhosa que ela aprendeu ainda mais sobre o ramo que a acompanha desde o seu nascimento. Ela participou da criação e da gravação de programas marcantes na televisão brasileira, como o Radical Chic e Muvuca, da Rede Globo, e diversas teledramaturgias como a novela Esperança sobre a imigração italiana, e Um Só Coração sobre a Semana de Arte Moderna no Brasil em 1922. Na Rede Record, Malu chefiou o departamento de Figurinos e Arte da emissora durante três anos.

Trabalhou ao lado dos premiados diretores de teatro Marcos Flaksman, Wolf Maia e Marcos Paulo, entre outros. Recebeu inúmeras críticas por seu trabalho, inclusive pela Revista Veja. Foi entrevistada no Programa do Jô (Jô Soares, apresentador da Rede Globo) e pelo programa dominical Fantástico, também da Rede Globo, por ocasião do lançamento de seu livro Aceita um cafezinho?, com capa do premiado fotógrafo Eduardo Simões.

O currículo de Malu é extenso e não por aí. Ela já participou de diversos curta-metragens e media-metragens no Brasil e lançou seu próprio programa sobre arquitetura “Casa Viva”, em TV a Cabo, entrevistando os maiores nomes da nossa arquitetura, como Sérgio Bernardes, Zanini e Sergio Rodrigues.