Paraná e Santa Catarina em alerta de temporais

Alerta maior é para os campos gerais

O tempo nesta terça-feira, 7, é chuvoso desde o início da tarde sobre a região Noroeste do Paraná e progressivamente as áreas de instabilidade avançam sobre as regiões Central e Norte em direção aos Campos Gerais e Norte Pioneiro. No extremo Norte/Noroeste, divisa com São Paulo, as chuvas são fortes e estão com incidência de descargas atmosféricas. As informações são do Simepar – Sistema Meteorológico do Paraná.

No começo da tarde, chuvas isoladas já eram registradas na Grande Curitiba e em alguns bairros da Capital. Até o final da tarde a chuva em Curitiba e região pode se intensificar.

Mais cedo o Inmet – Instituto Nacional de Meteorologia divulgou um alerta para chuva forte em praticamente todo o Paraná, que inclui risco de chuva entre 30 a 100 mm, ventos de até 100 km/h em alguns pontos e queda de granizo. O alerta vale até a manhã da quarta-feira, 8.

As chuvas mais volumosas eram registradas na faixa norte e Campos Gerais do estado e no setor leste as precipitações são isoladas. Os volumes de chuva registrados até as 14 h foram muito significativos em vários municípios da região Noroeste do estado, chegando a 147 mm em algumas localidades.

O tempo voltou a ficar estável e com predomínio de sol nas regiões Oeste e Sudoeste do Paraná no começo da tarde.

Santa Catarina

A terça-feira será mais um dia quente em Santa Catarina, com possibilidade grande de temporais. As temperaturas altas e o abafamento são características da aproximação da frente fria. Chama-se calor pré-frontal.

No final da manhã já existe condição de chuva com temporais que vão começar no Oeste e à noite chegam ao litoral. A chuva vem acompanhada de raios, possível queda de granizo e ventos com rajadas em torno de 50/60 km/h, mais intensos afastados da costa. O mar fica mais agitado também longe da costa e na costa ondas baixas.

Antes de a frente fria chegar, teremos muito calor e temperaturas que passam de 30°C em muitas cidades. Bom para os turistas, mas a agricultura já sente os efeitos negativos.

0 COMENTÁRIOS