Visitamos um sebo

Decidimos visitar um sebo nas férias. E recomendo a visita. Só para se ter ideia, no sebo em que fomos com as crianças, haviam mais de nove mil títulos (é muuuuuuuita coisa!), segundo o que nos informou o proprietário. Então, foi um bom tempo ali, naquela imersão cultural. E gente, visitar um sebo tem inúmeras vantagens.

A primeira delas é que ela estimula a leitura. Meus filhos foram buscando primeiro pela capa, depois, pelo conteúdo, pela raridade, pelas folhas amarelas. Saíram com vários títulos nas mãos, lendo no caminho.

É um passeio também, porque um sebo reúne história. Cada livro chegou ali das mãos de alguém, ora por doação ora por troca. Cada página já esteve na casa de alguém, deixando alguém mais feliz, mais culto. São livros de várias mãos, vários donos. Esse rodízio de obras é muito legal.

E o melhor! Os livros de sebo são baratos (bemmmmmmm em conta mesmo). Com poucos reais é possível levar para casa obras clássicas, da literatura infantil, dos contos de terror, dos dramas e romances de novela. Para quem está de férias, a visita se torna também mais um passeio, algo que talvez nem as crianças esperavam ou apostavam ser bacana. No final, saem felizes da vida, muto mais envolvidos com a leitura e longe dos aparelhos eletrônicos.

Li dia desses que alguns sebos podem ser boas opções para a compra de livros agora no período de volta às aulas. Optando pelo local, os pais podem fazer economias que chegam a até 70%. Para este ano, os comerciantes no País esperam que o movimento seja 40% melhor comparado com 2019.
Esse movimento de vai e vem de livros, revistas e gibis, alguns realmente raros, faz ainda com que os sebos se mantenham vivos, superando a tecnologia. Afinal, comércio e afeto se misturam nos sebos 🙂