Milho no Monjolo – 10 de Julho de 2020

COMIDA DI BUTECO – A Edição 2020 do tradicional Comida di Buteco, Concurso que elege o melhor bar do Brasil – foi adiada em função da pandemia, que prejudicou o funcionamento de bares e restaurantes em todo o País. Após um monitoramento da situação pandêmica por 90 dias e uma consulta aos patrocinadores, parceiros e participantes, a equipe do Comida di Buteco optou por adiar o Concurso para o ano  de 2021. Em Brasília, a nova data será de 10 de abril a 02 de maio de 2021. Em Curitiba, igualmente. Neste ano, o Concurso aconteceria em abril – data oficial em todo o País – e depois chegou a ser remarcado para 10 de julho, mas a necessidade do isolamento social interrompeu os planos. A Diretora de Operações e uma das fundadoras do Comida di Buteco, Maria Eulália Araújo, diz que o adiamento vale para as 21 cidades que recebem simultaneamente o evento, e que a programação será a mesma em 2021, inclusive com os mesmos participantes. Segundo a Gestora, os proprietários dos bares entenderam a necessidade do adiamento. Ela diz que o planejamento já está sendo feito e todas as medidas protetivas serão tomadas. Por meio de Nota Oficial, o Comida di Buteco lamentou a necessidade do adiamento e dos impactos gerados para os participantes, patrocinadores e parceiros, além do próprio evento. Essa é a primeira vez que o Concurso deixa de acontecer. O Concurso ainda esclarece que os trabalhos presenciais serão retomados em 2021, que a situação dos bares e restaurantes que participam do evento está sendo acompanhada, e o evento vai se preparar “para realizar com segurança, estrutura e entusiasmo o Concurso Comida di Buteco em todo o Brasil”.

LUTO – Na última segunda-feira, dia 06, em Roma, na Itália, morreu o  maestro e compositor Ennio Morricone, aos 91 anos de idade. Nascido no dia 10 de novembro de 1928, em Roma, na Itália, conquistou dois Prêmios no Oscar, um pelo conjunto de sua obra, em 2007, e outro pela trilha sonora original de “Os Oito Odiados”, de Quentin Tarantino, em 2016. Deixou um obituário escrito de próprio punho e no qual explica a razão de ter determinado que seu funeral seja privado. Confira abaixo o obituário deixado pelo maestro: “Ennio Morricone está morto. Anuncio assim a todos os amigos que estiveram próximos e àqueles um pouco distantes, a quem saúdo com grande afeto. É impossível nomear todos, mas uma recordação particular vai para Peppuccio e Roberta, amigos fraternos muito presentes nos últimos anos de nossa vida. Há apenas uma razão que me faz cumprimentar todos dessa maneira e ter um funeral de forma privada: não quero dar trabalho. Saúdo com tanto afeto Ines, Laura, Sara, Enzo, Norbert, por terem compartilhado comigo e minha família grande parte da minha vida. Quero recordar com amor minhas irmãs Adriana, Maria, Franca e seus parentes e dizer o quanto as quis bem. Uma saudação plena, intensa e profunda a meus filhos Marco, Alessandra, Andrea, Giovanni, a minha nora Monica e a meus netos Francesca, Valentina, Francesco e Luca. Espero que saibam o quanto os amei. Por último, Maria (mas não a última). A ela, renovo o amor extraordinário que nos manteve juntos e o qual lamento abandonar. A ela, o mais doloroso adeus”.

A ÚLTIMA – A Coluna de hoje é dedicada ao professor e velho amigo Padre Abel Zastawny, nascido  em Herval do Oeste, Santa Catarina, que, no último sábado, dia 04, celebrou, na Diocese de União da Vitória, Paraná, o seu Jubileu de Ouro no Sacerdócio, aos 77 anos de idade.

Beira do Iguaçu, Julho de 2.020