Milho no Monjolo – 12 de Novembro de 2021

ESCREVE A LEITORA

“Professora, Sensacional a coluna do Dr. e as perguntas (retóricas) ao final do texto sobre a posse da Fernanda Montenegro são demais! Estamos em consonância nesse assunto! Grande abraço e muito obrigada! Izabel Calliari”.

UMA ATRIZ IMORTAL

Na edição da última terça-feira, dia 09, a Coluna Milho no Monjolo anotou a eleição da atriz Fernanda Montenegro para ocupar a cadeira no 17 da Academia Brasileira de Letras (ABL). Ao final da anotação, deixou duas perguntas para os leitores e as leitoras: A atriz escreveu livros? Ou escreveu peças de teatro? No entanto, os leitores e as leitoras não se manifestaram a respeito do questionamento. Por isso, depois de uma detalhada pesquisa, a Coluna Milho no Monjolo encontrou a resposta àquelas perguntas… A título de marco aos seus 90 anos de idade, a atriz Fernanda Montenegro escreveu o livro “Prólogo, Ato, Epílogo: Memórias”, em parceria com a escritora Marta Góes, publicado pela Editora Companhia das Letras. A obra é uma autobiografia onde a atriz narra suas memórias numa prosa afetiva, cheia de inteligência e sensibilidade. Anteriormente, ela havia publicado o livro “Itinerário Fotobiográfico”, organizado pela própria atriz. A obra reúne pequenos textos e imagens que contam a sua trajetória pessoal e profissional, que se mistura à memória da dramaturgia nacional.

“DE FILHA PARA MÃE”

A caríssima amiga Izabel Ribas Rodrigues Calliari, redatora-chefe da Revista Virtual “Magazine Contestado”, convida para a vernissage “De Filha Para Mãe”, a realizar-se do dia 22 deste mês até o dia 04 de dezembro, das 9 às 12 horas e das 14 às 17 horas, no Centro Cultural Dom Agostinho José Sartori, na cidade de Palmas, Paraná. Serão expostas 22 telas, pintadas a óleo, retratando o Cotidiano Interiorano e a Cultura de Vida Palmense, como forma de homenagear e agradecer a construção da personalidade da autora do projeto, que aprendeu com sua mãe, Eloyna Ribas Rodrigues, a reconhecer nas suas raízes familiares e na sua origem, a importância de “ser” e de “estar” nesse meio social. A presença dos leitores e das leitoras é muito importante!

DESTAQUE

Autores negras e negros são destaque neste novembro, mês da Consciência Negra, na programação das Casas da Leitura. As atividades para circular da produção literária, principalmente a afro-brasileira, são diferentes em cada uma das 17 Bibliotecas Públicas da Fundação Cultural de Curitiba. No Tatuquara, a Casa da Leitura Laura Santos faz uma exposição de fotos de artistas negras e a poeta curitibana que empresta o nome ao espaço é uma das homenageadas.

“É uma mistura e não apenas artistas da literatura. Tem cantoras, atrizes, grafiteiras e personagens variadas”, conta Alana Albinati, mediadora de leitura da Casa Laura Santos. No Boqueirão, poesias de mulheres negras serão estendidas pela Casa da Leitura Wilson Martins em um varal colocado no centro da Rua da Cidadania. As poesias ficarão disponíveis para os pedestres levarem para casa ou aproveitarem o momento para lerem os textos. Um Varal fica instalado de 03 a 30 deste mês. As poesias foram escritas por mulheres negras de diversas regiões e períodos históricos, entre elas Maya Angelou, Cristiane Sobral, Elisa Lucinda, Conceição Evaristo. O Dia Nacional da Consciência Negra é celebrado no próximo dia 20 deste mês.

Beira do Iguaçu, Novembro de 2.021.
Odilon Muncinelli – ALVI, IHGPR e AJEBPR