Paraná Produtivo - ADI

Novo PAA

A Secretaria da Agricultura e do Abastecimento começa a operar neste segundo semestre uma nova modalidade do PAA – Programa de Aquisição de Alimentos do governo federal que permite atender diretamente o pequeno agricultor individual da agricultura familiar. Os produtos comprados serão destinados a entidades filantrópicas cadastradas. O Paraná foi contemplado pelo Ministério da Cidadania com R$ 5,5 milhões para atendimento a cerca de 900 pequenos agricultores. O atendimento do PAA à pessoa física foi permitido pela Portaria 396, do Ministério da Cidadania, publicada no Diário Oficial da União em 8 de junho deste ano. É a primeira vez que o Paraná é contemplado para executar o modelo de adesão direta.

Tecnologia da Embrapa

As tecnologias desenvolvidas pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) ajudaram o Ceará a dobrar a safra de algodão neste ano. O estado deve colher uma área de aproximadamente 2 mil hectares de algodão a partir deste mês, graças a novas cultivares desenvolvidas pela pesquisa, o manejo moderno e apoio de assistência técnica rural, além do incentivo de grandes empresas têxteis. “Desde 2019, começamos a produzir em uma nova base tecnológica adaptada à região. Com a tecnologia de que dispomos hoje, o Ceará tem todas as condições de ter um algodão de alta produtividade e qualidade”, afirmou Fábio de Albuquerque, pesquisador da Embrapa. Segundo ele, os custos de produção no Ceará podem ser equivalentes à metade, ou até mesmo a um terço dos custos de cultivo de algodão no cerrado.

Cultura da banana

O Boletim Semanal, elaborado por técnicos do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento do Paraná (Seab), sobre a situação dos principais produtos agropecuários paranaenses, destacou, na última sexta-feira, 10, as consequências, sobretudo para a fruticultura, dos ciclones extratropicais que atingiram o Estado em dois eventos recentes. O prejuízo imediato foi observado com a queda de bananais que se recuperavam da debilidade provocada pela estiagem e projetavam uma safra promissora. Os dados preliminares da assistência técnica e prefeituras dos Estados do Sul estimam que 90% a 95% dos bananais foram afetados com perdas parciais ou totais.

Carne de frango

As exportações brasileiras de carne de frango recuaram no mês de junho em quantidade e receita, mas cresceram em volume no primeiro semestre deste ano, segundo dados divulgados pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). Pelo menos cinco países árabes – Egito, Líbia, Kuwait, Iêmen e Catar – aumentaram as compras nos primeiros seis meses deste ano. As exportações brasileiras de carne de frango in natura e processada somou 342 mil toneladas em junho, quantidade 12,4% menor que a registrado no mesmo período do ano passado. Em receita, a exportação chegou a US$ 446 milhões, com queda de 31%.

Vendas de frango

O mercado chinês foi o principal destino de carne de frango do primeiro semestre, com alta de 32% nos embarques. Também compraram mais países como Singapura, Filipinas e Vietnã. “Houve fortalecimento nas vendas para nações da África, como Egito, Líbia e Angola, além de nações árabes como Kuwait, Iêmen e Catar, que deram sustentabilidade aos embarques do setor no ano em médias mensais superiores às realizadas no primeiro semestre de 2019”, declarou Ricardo Santin, Diretor-Executivo da ABPA. No acumulado do ano, houve aumento de 1,7% nas vendas em volume, com 2,106 milhões de toneladas, o que gerou receita de US$ 3,1 bilhões.

Frigorífico alemão

Uma unidade da Toennies em Rheda-Wiedenbrueck, no oeste da Alemanha, está fechada há três semanas, depois que mais de 1.500 trabalhadores testaram positivo para Covid-19. Isso resultou no “lockdown” de 600 mil pessoas na região vizinha de Guetersloh, que foi suspenso nesta semana. Os frigoríficos alemães têm sido alvos de críticas pelo uso generalizado de trabalhadores terceirizados que migram do Leste Europeu e pelas acomodações apertadas em que são instalados, suspeitas de contribuir para os surtos de coronavírus nas fábricas. A Toennies disse que está iniciando um projeto piloto para empregar diretamente 1.000 pessoas nas operações de abate e processamento até 30 de setembro. A medida faz parte de um plano para pôr fim à utilização de terceirizados até o final do ano.

Câmara aprova MP

A Câmara dos Deputados aprovou na última quinta-feira, 9, o texto da Medida Provisória (MP) 975/20, que institui o Programa Emergencial de Acesso a Crédito (Peac). O objetivo da proposta é facilitar o acesso a crédito, com a disponibilização de garantias, e preservar empresas de pequeno e médio portes diante dos impactos econômicos decorrentes da pandemia do covid-19. A matéria, que segue agora para análise no Senado, conta com a inclusão de emendas sugeridas pela OCB e apresentadas pelo deputado Evair de Melo (ES), presidente da Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop), e incluem as cooperativas como beneficiárias do Peac e Pronampe, antes restritos às empresas.

Contração de 6,10%

O mercado passou a ver menor contração econômica neste ano pela segunda semana seguida, em meio a dados mostrando o impacto do surto de coronavírus, de acordo com a pesquisa Focus que o Banco Central divulgou na última segunda-feira, 13. O levantamento semanal mostrou que a projeção agora é de uma contração do Produto Interno Bruto (PIB) em 2020 de 6,10%, contra queda de 6,50% calculada na semana anterior. Para 2021, permanece a expectativa de um crescimento do PIB de 3,50%. Para a inflação, os economistas consultados ajustaram sua estimativa para a alta do IPCA este ano a 1,72%, de 1,63% ante, mantendo a taxa de 3,00% para o índice em 2021.

Volume de serviços

O volume de serviços registrou queda de 0,9% em maio na comparação com abril, segundo dados divulgados na última sexta-feira, 10, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Essas perdas somam-se à queda recorde de 11,9% em abril, chegando ao quarto mês seguido de contração, embora os efeitos da pandemia só tenham sido registrados a partir do final de março, pesando sobre uma atividade que já vinha mostrando dificuldades em engrenar uma recuperação. Nos quatro meses seguidos de retração, o setor de serviços acumula perda de 19,7%. Na comparação com maio de 2019, o setor apresentou recuo de 19,5%. As expectativas eram de alta de 5,2% no mês e de contração de 14,3% no ano.

Plano de Mineração

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, informou na última segunda-feira, 10, que a pasta vai lançar um Plano Nacional de Mineração com metas definidas até 2023. O programa abordará, economia mineral, sustentabilidade, expansão em novas áreas e a imagem da mineração junto à sociedade. O ministro disse ainda que a pasta também pretende formar um conselho nacional que defina as políticas minerais do país. “Nós encontramos a mineração brasileira, com a importância que ela tem para a economia, sem um planejamento. Estamos trabalhando junto com os agentes para que tenhamos um conselho nacional que possa definir as políticas minerais do país”, explicou.

Comercialização da safra

A comercialização da safra nova de café do Brasil 2020/21 (julho/junho) segue adiantada em relação ao ano passado e à média, mas perdeu um pouco do ritmo em junho diante dos preços do grão. É o que mostrou o levantamento mensal da consultoria Safras & Mercado com a evolução das vendas da safra de café. Segundo o levantamento desta safra 2020/21, que está em colheita, a comercialização chegava a 40% do total da produção estimada até o dia 7 de julho. As vendas evoluíram em 6 pontos percentuais em relação ao mês anterior. Estão avançadas em relação ao ano passado, quando 34% da safra 2019/20 estava comercializada até então e acima da média dos últimos 5 anos para o período, que é de 30%. Assim, já foram comercializadas 27,44 milhões de sacas de 60 quilos, tomando-se por base a estimativa de uma safra 2020/21 de café brasileira de 68,1 milhões de sacas.

Redação ADI-PR Curitiba
Coluna publicada simultaneamente em 20 jornais e portais associados. Saiba mais em www.adipr.com.br