Pelo Estado

SC tem quase 300 mil pessoas sem imunização completa

Secretaria da Saúde encaminhou ofício aos municípios solicitando busca ativa e atualização da notificação dos vacinados | Foto Divulgação/PMF

O número só aumenta e já assusta. Conforme dados oficiais da secretaria da Saúde, 297.016 moradores de SC estão sem a imunização completa contra a Covid-19. Desses, 147.909 mil tomaram a AstraZeneca; 78.005 mil, a Coronavac; e 71.101, Pfizer. Apesar de o Vacinômetro, a página onde estão todos os dados da vacinação no Estado, apontar que já foram aplicadas 4.956.055 doses 1 (68,34% da população); 2.572.945 doses 2 (35,48%) e 7.529.000 das duas doses, o fato que quase 300 mil não terem  fechado o ciclo completo acende o sinal de alerta. É como se uma cidade do porte de Blumenau, por exemplo, estivesse vulnerável às ocorrências mais graves da doença.

Para reverter este quadro, um ofício foi encaminhado aos municípios com orientação para que ações sejam feitas. Conforme o documento,“as Secretarias Municipais de Saúde devem organizar e reforçar as estratégias para garantir a aplicação da segunda dose (D2) nas pessoas que iniciaram o esquema, especialmente considerando a circulação de Variantes de Preocupação no território catarinense, como a Delta”. O Ofício 056/DIVE, assinado João Augusto Brancher Fuck, diretor da Vigilância Epidemiológica; e Arieli Schiessl Fialho, gerente de Doenças Infecciosas Agudas e Imunização, da Diretoria de Vigilância Epidemiológica, destaca a “necessidade de manter as informações atualizados, com registro oportuno em até 48h após a aplicação das vacinas”.

O avanço da imunização em Santa Catarina já possibilitou mudanças na Matriz de Risco. Das 16 regiões, somente a Nordeste aparece ainda em risco gravíssimo; as demais estão em riscos grave e alto. Um alento no mapa que já apresentou todas as áreas em vermelho. Além disso, as taxas de ocupação de leitos de UTI, que já bateram quase 97%, hoje estão em 65,5%. Tudo graças à aplicação das duas doses das vacinas ou a dose única da Janssen.


Rodovias Federais

Recursos do Estado servirão para agilizar obras , como na rodovia BR-470 | Foto Julio Cavalheiro/Secom

O governador Carlos Moisés (sem partido) oficializou nesta quarta-feira (15) a assinatura do Acordo de Cooperação Técnica que garantirá a aplicação de recursos estaduais para acelerar as obras nas BRs 470, 163, 280 e 285 em SC. Os recursos serão aplicados na BR-470 (R$ 300 milhões), BR-163 (R$ 100 milhões), BR-280 (R$ 50 milhões) e BR-285 (R$ 15 milhões). “Na prática, não existe dinheiro do Governo Federal, do Estado ou do Município. O dinheiro é do povo e precisa ser investido para melhorar a vida de todos “, resumiu o governador.


  • “Rodovia da Morte”  

O deputado Valdir Cobalchini (MDB) usou a tribuna da Alesc para disparar palavras fortes sobre o atual cenário da BR-282: “A BR-101 não pode mais ser considerada, como foi por tantos anos, a Rodovia da Morte em Santa Catarina. Este título agora, de maneira triste, pertence sem dúvida nenhuma à BR-282”.  Ele apresentou dados sobre a importância econômica da BR-282 e a desproporção no número de mortes em relação ao número de veículos que trafegam diariamente pela rodovia. “Segundo estudo da Fiesc, um acidente grave ocorre a cada dois dias na BR-282”, afirmou. Cobalchini encerrou seu pronunciamento propondo a criação de uma Frente Parlamentar em Prol da Duplicação da BR-282.

  • Inovação

A equipe Scuderia Milano, formada por alunos do Senai de São José, ficou em primeiro lugar na fase catarinense do Grand Prix SENAI de Inovação. O time, formado pelos alunos Gustavo Neves dos Santos, Maria Luisa Santos Miranda, Camille Martins Weber, Ryan Adan de Pinho Vicente e Alan Nunes de Matos, superou 164 equipes de escolas do Sistema S de 34 cidades do Estado. Em segundo lugar ficou a equipe Venom, do Senai de Rio do Sul; e em terceiro, a equipe Kadan Elite, do Senai, de Brusque.

  • Visita presencial

A Secretaria de Administração Prisional e Socioeducativa (SAP) vai iniciar em 4 de outubro o processo de retomada gradual das rotinas nas unidades prisionais catarinenses. A princípio serão retomadas as visitas presenciais, aulas presenciais, atividades laborais externas e entrada de religiosos, sempre de forma gradual e controlada, obedecendo protocolos sanitários. Trabalho interno, visitas virtuais e atividade educacional remota também serão mantidos. O avanço se dá em função da vacinação.