ERVA MATE: Novas possibilidades para a cadeia produtiva é debatido no Mate Talks

Evento aconteceu na cidade de Bituruna. Novos produtos e redução do ICMS para o produtor foram algumas sugestões apresentadas no evento

(Foto: Assessoria).
(Foto: Assessoria).

A cidade de Bituruna (PR), vizinha ao Vale do Iguaçu, reuniu na quarta-feira, 13, dezenas de pessoas envolvidas com a cadeia produtiva da erva-mate, como grandes produtores, empresários e gestores públicos. O evento, ‘Mate Talks’, lotou o anfiteatro Romilde Vanzin com participantes do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Alemanha e Paraguai. O foco do encontro foi debater sobre novas possibilidades para o homem do campo e para a indústria nos âmbitos da comercialização de produtos e de políticas públicas.

O prefeito de Bituruna, Claudinei de Paula Castilho, destacou que ainda pode-se ir muito longe neste setor. “Temos reunidos aqui pessoas que juntas representam o maior PIB da erva mate no Brasil. Especialistas apontam que a erva mate sombreada da nossa região é a melhor do mundo e com incentivo, pesquisa e avanços tecnológicos podemos conquistar novos mercados, mais consumidores e crescimento socioeconômico”, destaca. O presidente da Associação Biturunense da Erva Mate (Abem), Naldo Vaz, lançou o desafio de fazer com que Bituruna e todo o Paraná levem a erva mate a outo nível. “Precisamos trabalhar melhor nossa matéria prima, sem menosprezar o chimarrão, mas sair do lugar comum, abrir melhor os olhos para as possibilidades”, explicou o organizador do evento.

O debate sobre mercado e produtos foi mediado pelo o representante da Meta Mate Berlim, Fabrício do Canto, que trouxe da Alemanha, refrigerantes, cervejas, energéticos, misturas em pó e exemplos de outras possibilidades para comercialização. Já no âmbito de políticas públicas, o secretário de Agricultura e Abastecimento do Paraná, Norberto Ortigara, e o deputado estadual Hussein Bakri receberam propostas para incentivo à cadeia produtiva. “A revisão da porcentagem recolhida do produtor rural em ICMS pode ser revista e vamos trabalhar por isso”, adiantou Ortigara. Ao deputado foram solicitadas audiências públicas para ouvir a comunidade envolvida no setor e a articulação com outras pastas até mesmo para inserir a erva mate na publicidade turística do estado.

Os dois temas ainda contaram com a participação do produtor cultural da Matte n’roll, André Zampier, do gerente Regional da Emater, Cleacir Dall Agnol, do pesquisador da Embrapa, Ives Goulart, do vice-presidente do Grupo Remasa, Gilson Geronasso, do consultor do Sebrae, Wilson Petisco e do diretor da WWF no Paraguai, Oscar Rodas. O evento contou com a presença de prefeitos, vice-prefeitos, vereadores e representantes de entidades que aproveitaram no final da tarde um ‘Mate Break’, com alimentos preparados com erva mate, como pizza, esfirra, pães, patê, bolo, brigadeiro, sucos e chás.

Projeto de Hussein Bakri institui o Dia Estadual do Produtor da Erva Mate

Durante o evento, o deputado estadual Hussein Bakri (PSD), anunciou o projeto de lei que cria o Dia Estadual do Produtor de Erva Mate no Paraná. A proposta foi protocolada esta semana na Assembleia Legislativa e após aprovada, coloca o dia 2 de fevereiro no calendário oficial do Estado, homenageando os produtores de erva. “É um gesto simbólico, mas que representa muito. Trata-se de um setor crucial não só para a economia, mas também para a história e a cultura do Paraná”, afirmou Hussein.

Na justificativa do projeto, Bakri afirmou que a erva mate é uma das maiores responsáveis pela construção da identidade histórica do Paraná. Por quase um século, entre 1853 e 1929, o produto respondeu por cerca de 85% da economia estadual. Além disso, a Região do Vale do Iguaçu, no Sul do Estado, é considerada a maior produtora do mundo. “Tendo em vista a relevância social, cultural e importância econômica do produtor de erva-mate no Estado do Paraná, é que se justifica o presente projeto, sendo digno de reconhecimento público por esta Casa de Leis”, diz a proposta.

A escolha pelo dia 2 de fevereiro se dá pelo fato de nesta data, em 1885, ter sido inaugurada a Estrada de Ferro Curitiba-Paranaguá, que permitiu o transporte da erva-mate para exportação.

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta