Novo PER terá 10 turmas-piloto em 2019

Sistema FAEP/SENAR-PR e Sebrae estão reformulando o modelo do Programa Empreendedor Rural, com foco prioritário nas famílias dos produtores rurais

No ano de 2019, ocorrerá a validação da metodologia do Programa Empreendedor Rural (PER), desenvolvido há 16 anos pelo Sistema FAEP/SENAR-PR e Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-PR). Após quase duas décadas bem-sucedidas, formando mais de 28 mil produtores rurais em todas as regiões do Paraná, o Programa será reformulado ao longo deste ano, com novos temas, metodologias e materiais à disposição dos participantes. A última reestruturação ocorreu em 2008.

“O campo mudou bastante nos últimos 16 anos, e o Sistema FAEP/SENAR-PR acompanha essa evolução. Fizemos um trabalho para identificar os principais pontos do Programa Empreendedor Rural que precisam passar por reformulação. Esse ano será um laboratório para, a partir de 2020, passarmos a oferecer um programa muito mais robusto, com conteúdos atuais, alinhados e engajados com a realidade do agronegócio. Esse é o nosso compromisso com os nossos produtores rurais”, destaca Ágide Meneguette, presidente do Sistema FAEP/SENAR-PR.

O processo de reformulação do Programa Empreendedor Rural está sendo conduzindo por um grupo de seis especialistas, sendo três que participaram da formatação da primeira versão do PER em 2003, além de técnicos das entidades, mobilizadores de sindicatos rurais e instrutores do PER.

“À medida que acompanhamos o desenvolvimento do programa, passamos a sentir algumas angústias por parte dos participantes, que muitas vezes não conseguiam atingir certos objetivos. Agora, o foco é totalmente voltado para a administração rural, tão relevante para o homem do campo”, destaca Fernando Curi Peres, um dos autores do PER.

No primeiro momento, neste ano, 10 turmas-piloto, uma em cada regional do SENAR-PR, serão formadas para a implantação do novo modelo do PER. De forma paralela, outras 35 turmas irão acontecer com a metodologia já existente. Apesar da reformulação, os pilares do Programa continuam sendo a formação de lideranças, desenvolvimento humano e sucessão familiar, ou seja, conhecimentos fundamentais em prol do empreendedorismo no campo. “Será um processo experiencial, envolvendo a família, não apenas o indivíduo. O Programa irá trabalhar o desenvolvimento dos capitais humano, social e institucional para que as propriedades sejam ainda mais sucedidas após a capacitação”, ressalta Vânia.

Inovações

Talvez a principal mudança dentro do processo e reformulação do Programa Empreendedor Rural passa pelo foco, deixando de ser especificamente o produtor rural individual para a família. “Os últimos anos mostraram que o Programa realmente funciona quando envolve a família. A metodologia não irá mais incluir projeto, mas a empresa familiar”, aponta Peres.

A carga-horária do programa segue com 136 horas. Porém, a distribuição foi alterada. Serão 17 encontros semanais de oito horas e ainda uma visita técnica. Ainda, acompanhado a modernização do campo, as entidades desenvolvedoras do PER irão fornecer tablets aos alunos das 10 turmas-piloto.

Os materiais, incluindo as apostilas, vídeos e outras ferramentas, estarão à disposição dos produtores rurais participantes. E, conforme o transcorrer do Programa, novos materiais estarão à disposição. “O uso de tablets abre a possibilidade de muitos recursos, inclusive visuais, como vídeos e apresentações. Ainda, poderá ser usado como canal para pesquisa”, destaca Luciana Matsuguma, técnica do Sistema FAEP/SENAR-PR e responsável pelo Programa Empreendedor Rural.

O aparelho será entregue aos participantes no sistema de comodato. Ou seja, eventualmente, em caso de desistências, o aparelho deverá ser devolvido. Ao término do Programa, os concluintes seguem com os tablets no sistema de comodato por tempo indeterminado. Construção O processo de reformulação do PER aconteceu ao longo de 2018.

Desde o início do ano passado, um Grupo de Trabalho (GT) formado por técnicos do Sistema FAEP/ SENAR-PR, Sebrae-PR e Fetaep, produtores rurais (ex- -alunos) e instrutores do Programa Empreendedor Rural (PER) trabalharam, em diversos momentos, na atualização do curso, sempre ao encontro das novas necessidades impostas pelas transformações dos cenários econômico, político, social, tecnológico e legal ocorridas nos últimos anos, posteriormente, os especialistas foram envolvidos para contribuir com a reformulação.

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta