Resultados do Programa Milho e Feijão são apresentados em propriedade rural

EventoXaconteceuXnaXresidXXnciaXdoXSrXXClaudineiXVardenskiFoi realizado na manhã desta quarta-feira, 4, evento de Início da Colheita do Programa Milho e Feijão, ação que incentiva a diversificação e a otimização no aproveitamento dos recursos das propriedades rurais. No total, são três encontros realizados nos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná. Um produtor de cada estado do Sul do Brasil está abrindo sua propriedade para receber os convidados do dia de campo de apresentação dos resultados do programa de plantio de grãos após a colheita do tabaco.

Em Santa Catarina, o evento foi realizado na propriedade do produtor Claudinei Vardenski, em Salto da Água Verde, município de Canoinhas. Todos os eventos contarão com a presença dos realizadores do Programa Milho e Feijão, produtores e representantes dos governos estaduais e municipais. Além da apresentação dos resultados do programa, há também avaliação da safrinha atual e a realização de colheitas demonstrativas.

Estiveram presentes do evento em Canoinhas o secretário adjunto da Secretaria de Estado da Agricultura e Pesca, Airton Spies; secretário executivo regional de Canoinhas, Ricardo Pereira Martin; prefeito de Canoinhas, Beto Faria; deputado estadual Antônio Aguiar, além de representantes de sindicatos e autoridades locais.

Conforme o presidente do Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco), Iro Schünke, o aproveitamento racional da propriedade é uma alternativa que deve ser incentivada dentro das ações pela sustentabilidade. “Além de colher mais alimentos para a família e economizar na alimentação dos animais, pode haver geração de renda extra com a venda do excedente da produção”, acrescenta. “A indústria entende que o produtor deve ter opções de renda e tem incentivado essa prática desde os anos 70, com o reflorestamento, e a partir de 1985, com o cultivo de grãos para o consumo próprio ou que sirvam como insumos para produtos pecuários”, explica.

Deputado estadual Antônio Aguiar destacou a importância do evento para os agricultores. “Essas ações no meio rural estimulam novas culturas nas terras e incentivam os jovens a permanecer no campo, por isso farei uma moção pedindo a coibição do contrabando do fumo para valorizar o trabalho de pessoas íntegras, daqueles que pagam seus impostos”.

Spies em sua fala destacou a importância de seduzir os jovens na agricultura, para que permaneçam no campo. “Eles tem que ficar no campo por opção. Se o campo oferecer meios atrativos como estradas, energia de qualidade, internet, entre outros diversos benefícios, fica mais fácil de garantirmos a continuidade com qualidade”, destacou.

O objetivo do programa é divulgar as vantagens do plantio da safrinha e incentivar a prática de diversificação da propriedade. O cultivo nas áreas onde foi colhido o tabaco reduz os custos de produção dos grãos, pois ocorre o aproveitamento residual da adubação. Consequentemente, pode haver redução de custo na produção de proteína (carne, leite e ovos), com a utilização do milho da safrinha no trato animal. Outras vantagens são a proteção do solo da erosão e o estancamento da proliferação de pragas e ervas daninhas.

O PROGRAMA – Conduzido pelo SindiTabaco, o Programa Milho e Feijão reúne a ação da estrutura de campo das empresas associadas e de técnicos das entidades apoiadoras, que oferecem assistência técnica e capacitação de produtores. São parceiros os governos dos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná, a Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra), a Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul (Fetag-RS), a Federação da Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul (Farsul), a Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Santa Catariana (Fetaesc), a Federação da Agricultura do Estado de Santa Catarina (Faesc), o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), a Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep) e a Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado Paraná (Fetaep).

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta