Síndrome de Down: Dia 21 de março: porque esta data?

A Síndrome de Down é definida como acidente genético causado pela alteração de um dos pares de cromossomos da célula humana, o de número 21. Melhor explicando: toda pessoa possui 23 pares de cromossomos, num total de 46. Porém a pessoa com Síndrome de Down tem 47 cromossomos, por possuir um a mais no “par” número 21 (passando a ter três cromossomos). Assim fica fácil memorizar o dia 21 do mês 3.

As causas responsáveis por essa causa genética são diversas e não especificas, a síndrome ocorre em cerca de 1 a cada 800 nascidos, sendo a causa mais comum de atrasos no desenvolvimento psicomotor.

Entre as características está o atraso generalizado em seu desenvolvimento motor, intelectual e de linguagem. Esse atraso pode ser diminuído à medida que a criança recebe a estimulação adequada.

As características mais comuns:

  • Cabeça achatada;
  • Cabelo liso e fino;
  • Olhos puxados;
  • Orelhas pequenas abaixo do nível dos olhos;
  • Muita gordura na nuca;
  • Céu da boca mais encurvado;
  • Menor número de dentes pode acontecer de colocar a língua para fora;
  • Musculatura flácida (mole);
  • Mãos: linha única na mão. Maior dobra do quinto dedo;
  • Pés: separação grande entre o primeiro e segundo dedo;
  • Cardiopatias congênitas;
  • Afecções do aparelho gastrointestinais;
  • Problemas na visão e audição:
  • Hipotireoidismo;
  • Tendência para obesidade, acompanhada de atraso no desenvolvimento.

É importante o diagnóstico precoce para iniciar o processo de habilitação\reabilitação e para isso é necessário conversar (avaliar) com vários profissionais.

Quem são eles: Médico para falar de sua saúde, Fonoaudiólogo para ajudar a falar melhor, Psicólogo para auxiliar no emocional, Pedagogo para ajudar a estudar, Fisioterapeuta ou Professor de Educação Física para orientar a prática de exercícios e Nutricionista para conversar sobre o que você come.

Por tanto para que este aprendizado ocorra de uma forma harmoniosa, é importante que a criança seja estimulada através de um trabalho integrado, para que as suas aquisições sejam reforçadas a cada passo conquistado.

Fonte: Movimento Down

Por Cristina Breyer Ell (Fisioterapeuta), Melissa Schultz (Fonoaudióloga) e Regeane Manfredini (Fonoaudióloga) da Apae de União da Vitória

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta