“Seca tende a piorar em Santa Catarina até junho”, diz Santos

Clodoaldo Ribas dos Santos, Coordenador Regional de Proteção e Defesa Civil Estadual do Planalto Norte de Santa Catarina - da Regional Canoinhas, falou sobre o assunto

Rio Canoinhas no município de Major Vieira. (Foto: Reprodução).
Rio Canoinhas no município de Major Vieira. (Foto: Reprodução).

Foi divulgado em 24 de abril o novo relatório de acompanhamento da estiagem no Planalto Norte de Santa Catarina. A preocupação é a evolução do quadro para seca mais intensa, o que significa períodos de estiagem prolongados (ler abaixo). A precipitação pluviométrica na Região Sul, desde o ano passado, apresenta uma anomalia com déficit de 547,3 milímetros de chuva.

Recentes reuniões com os coordenadores das defesas civis municipais levantaram os problemas do baixo índice pluviométrico nas cidades do Planalto Norte de Santa Catarina, sendo: Bela Vista do Toldo, Canoinhas, Irineópolis, Itaiópolis, Major Vieira, Mafra, Monte Castelo, Papanduva, Porto União e Três Barras.

A ação é conjunta com a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cigerd) de Canoinhas e órgãos responsáveis pelo abastecimento urbanos dos municípios. Em razão da pandemia do novo coronavírus, as discussões aconteceram por meio de vídeo conferência.

Segundo o Coordenador Regional de Proteção e Defesa Civil Estadual do Planalto Norte de Santa Catarina – Regional de Canoinhas, Clodoaldo Ribas dos Santos, após solicitação feita pela diretoria de Gestão de Risco, visando a possibilidade de se iniciar a “Operação Integrada para Atendimento à Estiagem”, foram coletadas informações da Associação dos Municípios do Planalto Norte de Santa Catarina (Amplanorte).

“A maioria dos municípios do Planalto Norte de Santa Catarina estão em situação de alerta com relação aos baixos índices pluviométricos”.

clodoaldoribas-defesacivil-sc


Situação dos municípios

BELA VISTA DO TOLDO:

A prefeitura deve decretar situação de emergência nos próximos dias em função da estiagem.


CANOINHAS

Apresenta problemas da estiagem no interior, sendo a produção leiteira a principal atividade afetada. Também as safrinhas de feijão e soja – que estão em pleno desenvolvimento, sofreram quedas de produção. De acordo com a Secretaria de Agricultura, muitos agricultores reclamam a falta de água em poços. O abastecimento urbano ainda está normal, segundo a Casan.


IRINEÓPOLIS

A Prefeitura já decretou situação de emergência em razão da estiagem. A decisão ocorreu no dia 24 de abril, após serem ouvidos os integrantes do Grupo de Ações Coordenadas (GRAC) da Defesa Civil Municipal, que relataram as dificuldades enfrentadas principalmente pela população que reside na área rural. Foi enviado caminhão pipa à diversas localidades do interior para distribuir água nas residências.

Na mesma situação se encontram as cidades de Major Vieira, Monte Castelo, Itaiópolis e Papanduva.


MAFRA

Não apontou até agora nenhum atendimento via defesa civil, porém os níveis dos rios estão baixos e o problema segue sendo monitorado. Na agricultura, já há relatos de perdas na colheita do milho safrinha, porém a área não é muito expressiva.


PORTO UNIÃO

O Corpo de Bombeiros foi solicitado para abastecimento no interior do município. As informações do Comitê do Rio Timbó e Afluentes sugere redução na disponibilidade de alimento de qualidade aos animais, reduzindo a produção de leite e aumento nos custos de produção pela necessidade de aquisição de alimentos concentrados. Nos grãos de verão houveram perdas que variam de 20 a 50%.

Não houveram perdas em fruticultura e apicultura.

Já com relação a piscicultura houve diminuição do potencial, com impossibilidade de trocas de água, piorando a conversão alimentar de tilápias.

Com relação ao abastecimento das famílias rurais não houve necessidade do uso de transporte de água via caminhão pipa, até o momento.


TRÊS BARRAS

Desde dezembro de 2019, a cidade enfrenta problemas com a falta de chuva, sendo que na localidade de Campininha, os poços secaram, não suportando mais o abastecimento. O município realiza abastecimento com o caminhão pipa e requer como solução do problema a perfuração de poços artesianos, com instalação de reservatórios para distribuição às residências. O mesmo acontece na localidade de São João dos Cavalheiros.

Os produtores de leite afirmaram baixa produção de pasto e a produção de silagem. A estimativa de redução na produção de leite é de 30%.


No Estado

De acordo com dados Epagri/Ciram, anomalias negativas de precipitação mensal acumulada do período entre maio de 2019 a abril de 2020 variaram de: -66,6 (Litoral Norte), -330,6 (Litoral Sul), -378,1 (Florianópolis Litorânea), -523,4 (Vale do Itajaí), 544,5 (Planalto Sul), -547,3 (Planalto Norte), -564,45 (Extremo Oeste), -612,3 (Florianópolis Serrana), -614,2 (Oeste) a -635,0 (Meio Oeste). Sendo que o período de chuvas previsto para ocorrer entre janeiro e março não se confirmou, intensificando os níveis baixos que já vinham ocorrendo de forma cumulativa desde o ano passado.


Diferença entre seca e estiagem

No Brasil, os termos seca e estiagem correspondem a eventos climáticos de intensidade diferentes.

As estiagens resultam da ausência de chuvas, previstas para uma determinada temporada, ou da redução na sua quantidade, ou mesmo do atraso em sua chegada.

A seca é a ausência prolongada de chuvas, sua escassez acentuada ou sua fraca distribuição. Corresponde a um período de tempo seco, suficientemente extenso, que provoque grave desequilíbrio hidrológico. A seca é a forma crônica da estiagem.

 

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta