Nostalgia de um Documentário

(Ronaldo Mochnacz)

Em 19 de Novembro, Dia da Bandeira, pudemos, finalmente, ter lançado o histórico documental Santos de Casa1º Centenário de União da Vitória.

O espaço não poderia ser outro senão o do Cine Teatro Luz, onde aconteceram em grande parte os eventos desde dezembro em 1989 a dezembro de 1990.

Pelo lançamento do livro, textos ilustrados com fotos pertencentes ao professor e vice-presidente da Comissão Organizadora dos eventos, Cordovan Frederico de Melo Junior, muitas congratulações foram-me enviadas, através do Facebook, as quais já me reportei agradecendo.

Algumas, chegaram em cartões e flores de pessoas que conosco então conviveram, e embora o tempo, na leitura experimentaram a nostálgica lembrança do ano em que nossas duas cidades, juntas, viveram dias de movimentadas e alegres realizações.

Permito-me aqui, neste meio de comunicação que me dispensa espaço desde 1988, trazê-las publicamente, não só como um reconhecimento ao meu nome mas a todos os “Santos de Casa”, verdadeiros construtores das promoções efetivadas. São parceiros e amigos, alguns posteriormente, companheiros na ALVI (Academia de Letras do Vale do Iguaçu).


Dos professores Paulo e Fahena Horbatiuk:

“A obra Santos de Casa, de sua autoria, junto com o confrade Cordovan Frederico de Melo Junior, é um marco em nossa História. Certo estava o Prof. Isael Pastuch, de saudosa memória, quando fez questão de abrir o Conselho Editorial da UNIUV com seu primeiro livro ‘Coisas que Tocam’. Ele sabia que seria a primeira de uma cascata generosa de obras de sua lavra, um legado precioso para Porto União da Vitória.”


Da professora Delci Hausen Christ, na época vice-diretora da FAFI:

“Parabéns por mais um livro. São fatos e feitos relembrados que trazem alegria, mas também orgulho de sua capacidade em relatar a História de nossa Região.”


Da professora Thaisa Riesemberg, companheira constante na realização dos eventos sociais:

“Parabéns a quem resgata fatos da nossa História com precisão para que a realidade do presente e futuro não apague o seu brilho.”


Do Dr. Ary Carneiro Junior, então prefeito de Porto União e sua esposa Magali, apoiadores na realização de várias programações:

“Não sei como dizer da alegria que me proporcionou a obra ‘Santos de Casa’, idealizada e realizada pela senhora e acervo fotográfico do professor Cordovan. Li e visualizei página por página. Tive a oportunidade de voltar no tempo e novamente sentir a grandeza dos momentos inesquecíveis proporcionados a todos os filhos e filhas das Gêmeas do Iguaçu. Somente uma pessoa iluminada, determinada, capaz e querida teria a competência de retratar com tanta precisão aqueles momentos. Tenha a certeza, no decorrer da leitura me emocionei e senti com lágrimas de alegria, amor e saudades. Pedindo licença para o nosso querido professor Mário Riesemberg e sua esposa dona Maria para falar em seus nomes, bem como de minha esposa Magali e em meu nome, externar nossa profunda admiração e reconhecimento por tudo que realizou. A nau do Centenário de União da Vitória partiu e chegou segura com absoluto sucesso em seu destino porque o timão estava nas mãos certas. Muita saúde, amor e alegria.”


Da artista plástica Margaret Born Palmeira, autora do símbolo que venceu o concurso “Emblema Símbolo do Centenário”:

“Venho parabenizá-la por esta tão importante e significativa obra que, com certeza, representa mais um marco, num capítulo especial da bela História de União da Vitória. Parabenizo também o professor Cordovan pois, juntos, reuniram memórias num livro que ficou espetacular e muito me emocionou.”


Da senhora Maria Teresa Will, esposa do artista plástico Ivahy Detlev Will, autor do projeto do Marco do Centenário e supervisor de sua execução, localizado próximo a ponte Domício Scaramella, saída das tropas pelo Vau do Iguaçu. Confrade da ALVI, hoje numa casa de repouso e tratamento de saúde, em Curitiba:

“Parabéns pela elaboração deste trabalho pelo muito que apresenta de história e cultura dessas duas cidades. Trabalho feito com muito carinho, com cuidado necessário na comunicação em respeito a cultura. Obrigado por ter lembrado da nossa família.”


Do casal Jurema e Wando Skudlareck que assessorou na dança do ballet “O QUEBRA NOZES” e animou o carnaval do Centenário:

“Agradecemos a brilhante obra Santos de Casa que nos fez, juntos, passarmos as páginas e lembrarmos momentos vividos na alegria da festa do Centenário de União da Vitória. Oferecemos-lhe um CD com músicas brasileiras muito antigas que nos dias atuais são verdadeiras raridades.”


Aqui, aproveito para agradecer as pessoas que participaram da sessão de lançamento do livro e deixaram imorredouros gestos e palavras carinhosas: confrades Ivo Dolinski e Ivan Vidal Portela, Prefeito Municipal de Porto União Eliseu Mibach, magnífico reitor da UNIUV Alysson FrantzCordovan Frederico de Melo Junior, vice-presidente da Comissão Organizadora dos eventos do CentenárioFrancielli Misturini, secretária municipal de Cultura que representou o senhor prefeito de União da Vitória, as professoras da Rede Municipal de Ensino, os jornalistas e repórteres das empresas de comunicação local, os músicos e o coral “Cantare” que embelezaram a sessão.

0 COMENTÁRIOS

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse.

Ao prosseguir você concorda com nossos termos de uso.