Eva: uma grávida em tempos do coronavírus

A moradora de União da Vitória quer exibir a sua gestação a todos, porém isso só tem acontecido pelas redes sociais; ela está em isolamento social

2020-eva-gravida-pandemia
(Foto: Arquivo Pessoal)

Tudo foi planejado para que o ano de 2020 ficasse para a história de uma família aqui em União da Vitória. O diário que contemplaria apenas páginas com floreios, também irá retratar o temor de uma sociedade. Quando planejaram ter um filho, Eva e Willian jamais imaginariam que o mundo viveria a pandemia do novo coronavírus – Covid-19.

Eva Beatriz Hasse passa bem. Ela está em isolamento social há algumas semanas. Sua rotina tem contemplado sua morada com os pais em União da Vitória e na casa do seu noivo, Willian Vieira, em Porto União.

Até então, antes do anúncio da pandemia mundial, o casal organizou o Chá Revelação para descobrir o sexo do bebê. No mesmo dia, Eva foi surpreendida com o pedido de noivado.

“Ela disse sim e é um menino que será chamado de Yuri. Seu nascimento está previsto para setembro. Estou me cuidando muito. É triste tudo isso, mas é precisa de cuidados”, comenta.

A jovem tem lavado as mãos frequentemente e tralhado em casa. Ela é professora de dança em uma academia em Paulo Frontin (PR). Também faz exercícios e pilates regulamente (um método de controle muscular) – mas sempre mantendo o distanciamento social.

“Estou planejando as aulas e as coreografias para a apresentado de fim do ano, também envio atividades pelas redes sociais aos meus alunos para que não fiquem parados”.

2020-eva-gravida-pandemia2

 

Grávida de primeira viagem, Eva tem dúvidas habituais junto as dúvidas do momento excepcional em que vivemos.


Transmissão de coronavírus

Em um novo estudo, publicado na revista Frontiers in Pediatrics, cientistas chineses relatam que a transmissão de coronavírus não deve ocorrer de mãe para filho (a). Com base nos casos de mães que foram infectadas na China, os pesquisadores descobriram que o vírus não foi transmitido para os recém-nascidos durante a gravidez. Após curados, todos os bebês foram reportados como saudáveis, assim como suas respectivas mães.

As orientações da Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) e do Ministério da Saúde para as gestantes são basicamente as mesmas que as recomendações para a população geral:

-Evite tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

-O risco de infecção de uma mulher grávida é o mesmo para qualquer ser humano;

-Em uma situação de epidemia, o ideal é mantermos o isolamento social;

– Lave as mãos com mais frequência, com água e sabonete por pelo menos 20 segundos;

-Use álcool gel em mãos e punhos;

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta