Saúde libera cirurgias eletivas e funcionamento de escolas no Paraná

Documentos vêm sendo atualizados conforme o cenário epidemiológico estadual e as novidades dos decretos do Governo do Estado

A Secretaria da Saúde do Paraná (Sesa) publicou no dia 30, três novas resoluções sobre o funcionamento de igrejas e templos religiosos, aulas presenciais e procedimentos cirúrgicos considerados eletivos.

Os documentos vêm sendo atualizados conforme o cenário epidemiológico estadual e as novidades dos decretos do Governo do Estado.

resolucao-pr
Secretaria da Saúde revogou limite de ocupação de 30% para escolas (Foto: SEED/divulgação)

Em relação às escolas documentos vêm sendo atualizados conforme o cenário epidemiológico estadual e as novidades dos decretos do Governo do Estado., a Resolução Sesa n°432/2021 revoga a capacidade máxima de 30% de alunos frequentando as aulas presencialmente e mantém as medidas de distanciamento e uso de medidas de prevenção previstas na Resolução Sesa n° 98/2021. Neste caso, verificou-se que a diversidade entre os espaços físicos de cada escola se controlaria melhor com normas de distanciamento entre alunos, amoldando-se aos casos concretos específicos, diz a secretaria.

No Paraná, as escolas particulares retomaram as aulas presenciais no último dia 5. As escolas públicas estaduais seguem com ensino remoto. Nas escolas municipais, muitas cidades já retomaram as aulas presenciais. 

A Resolução Sesa nº 440/2021, sobre as igrejas e templos religiosos, por exemplo, aumenta de 25% para 35% a capacidade de público presencial, preservando na íntegra as medidas de distanciamento, uso de álcool gel, utilização dos bancos e recomendando aos frequentadores as medidas preventivas de higienização das mãos e uso de máscaras. O documento mantêm a recomendação para os líderes religiosos de priorizar as cerimônias virtuais.


A Resolução Sesa nº 441/2021, das cirurgias eletivas, permite a realização de cirurgias que não demandem internação em UTI no pós-operatório, daqueles pacientes que, a critério médico, poderiam agravar sua condição caso tivessem que esperar. A medida tem validade de 30 dias.

“A Sesa acompanha, desde o início da pandemia, a movimentação diária de casos da Covid-19 e o cenário epidemiológico e, após análises que envolvem as várias equipes profissionais, atualizamos as resoluções”, disse o secretário estadual da Saúde, Beto Preto.

“Vale lembrar que estas medidas, contudo, que essas medidas não são álibi. O momento nos permite esta pequena movimentação, mas com a condição de que todos continuem seguindo os protocolos de prevenção da Covid-19, como distanciamento social, uso de máscaras, lavagem das mãos e uso de álcool gel 70%”, acrescentou.

0 COMENTÁRIOS