CAMPANHA: É hora de limpar o nome

Iniciativa da CDL e do Procon, promove recuperação de crédito de quem tem dívidas no comércio do Vale do Iguaçu

(Foto: Mariana Honesko).
(Foto: Mariana Honesko).

O Departamento Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) de União da Vitória e Porto União em parceria com a Câmara de Dirigentes e Lojistas (CDL) promovem a campanha de recuperação de crédito, ‘Meu Nome Limpo’. O objetivo é incentivar os inadimplentes a renegociar e quitar suas dívidas junto aos lojistas. A ação vai até o dia 30.

Quem está com o “nome sujo” pode procurar o Procon ou a empresa/loja em que deve. “Se por algum motivo você atrasou as dívidas, está em débito com as empresas locais, as lojas estão de portas abertas durante todo o mês para receber essas pessoas. Com ofertas especiais e opções de parcelamento”, destaca Micheli Oanieski, coordenadora do Procon de União da Vitória.

De acordo com o SPC/Serasa, a média nacional de devedores é de 60%. A campanha visa recuperar o crédito destas pessoas. “Nossa intenção e que essas pessoas voltem a consumir na nossa cidade”, afirma Artibano Nhoatto, presidente da CDL.

Para o prefeito Santin Roveda, a ação é uma oportunidade de passar as festas de fim de ano com o nome limpo. “Quem está devendo e está com o nome sujo, tem aquele sentimento de impotência, de angústia. Por isso, nós queremos te ajudar. Principalmente nesta época de fim de ano. É importante para que você volte a comprar”, ressalta.

A expectativa da organização é de que a proposta seja acolhida, especialmente por conta dos pagamentos extras comuns ao final de ano. É o caso do 13º. “Muitos vão aproveitar o recurso para quitar essas dívidas e estar com nome limpo para as festividades de fim de ano. Já para o lojista a principal vantagem é o encerramento da dívida e a volta de um cliente ao mercado consumidor”, ressalta o diretor de Relações Públicas da CDL, Thiago Iwanko.

Construir uma maneira de auxílio para a recuperação do crédito é fruto de uma preocupação dos dirigentes lojistas diante dos números (veja o quadro). “Essa campanha nasceu com o objetivo de ajudar e dar oportunidade àqueles clientes que estavam inadimplentes, mas que gostariam de quitar suas dívidas e limpar seu nome aproveitando as facilidades como taxas de juros mais baixas e reparcelamento da dívida”, pontua Iwanko.

A organização lembra que mesmo que o CPF seja excluído da lista de restrição de crédito – isso acontece após cinco anos da dívida – a dívida ainda existe e pode ser cobrada judicialmente. Na prática, o que se deve não expira, apenas o nome é “limpo” depois deste período, permitindo novas compras – ou dividas.

 

Onde nascem as dívidas

O mais recente levantamento realizado em todas as capitais pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostra que o principal responsável pela negativação de CPFs no País, ou seja, por deixar o “nome sujo”, é o empréstimo pessoal contraído em bancos e financeiras: 69% dos usuários da modalidade de crédito estão com restrição no nome. O crediário (68%) e o cartão de crédito (67%) aparecem logo em seguida no ranking.

Os dados mostram ainda que entre outros vilões da inadimplência estão o cheque especial (52%), o financiamento de automóvel (52%), o financiamento da casa própria (35%), as mensalidades escolares (26%), os empréstimos com parentes e amigos (23%), as contas de telefone (20%), os boletos de TV por assinatura e internet (16%) e as conta de água e luz (11%). Atrasos com condomínio correspondem a 11% das respostas.

O levantamento também mapeou as contas que os inadimplentes possuem em aberto, mas que não levaram à negativação. Os empréstimos feitos com pessoas próximas, como parentes e amigos, estão em primeiro lugar (33%). Em segundo lugar, destacam-se as mensalidades escolares (26%) e, em terceiro, o cheque especial (24%). As parcelas do crediário (21%) e do cartão de crédito (17%) vêm na sequência.

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta