Vendas de fim ano oportunizam seis mil vagas temporárias no Paraná

68% dos empregadores estão dispostos a efetivar os trabalhadores que se destacarem no período

(Foto: Reprodução).
(Foto: Reprodução).

Uma sondagem realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), estima que seis mil trabalhadores temporários serão contratados para as vendas de fim de ano no estado.

As empresas pretendem, em média, contratar 16,59% trabalhadores a mais do que em 2018. Os estabelecimentos que contratarão entre duas e cinco pessoas, passam de 24% no ano passado para 35% neste ano. Já o número de empresas que anseiam contratar mais de dez colaboradores temporários também subiu, de 5% para 8%.

Embora esses números sejam positivos, a pesquisa também alerta que o número de empresas que irão realizar contratações temporárias neste fim de ano no Paraná caiu, de 17% para 8,9%.

Segundo o diretor de Planejamento e Gestão da Fecomércio PR, Rodrigo Rosalem, “muitas empresas não pretendem contratar temporários porque, gradativamente, já começaram a retomar seu quadro funcional efetivo, o que, na visão dos gestores, será suficiente para atender à demanda de Natal e fim de ano, bem como a expectativa de aumento de vendas para 2020”.

O número de empregos no comércio está em ascensão desde agosto e, no setor de serviços, praticamente dobrou nos meses de agosto e setembro, em relação com o mês de julho, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Oportunidades

Cerca de 46,2% das vagas temporárias no Paraná serão para a função de vendedor, 15,4% para atendente geral, 7,7% para porteiro, 7,7% para caixa e a mesma porcentagem para assistente de cabeleireiro. Além disso, também devem ser contratados auxiliares de cozinha e de serviços gerais, montadores, empacotadores, profissionais de limpeza, conservação, portaria, conferente e de produção.

Das vagas temporárias, 69,23% exige o Ensino Médio completo, 23,08% exige apenas o Ensino Fundamental, 3,85% o Ensino Técnico e apenas 3,85% não exige nenhum grau de escolaridade dos interessados. Além da qualificação, cerca de 60% das vagas exigem experiência de pelo menos seis meses na função.

Embora tenha diminuído em comparação com 2018, a chance de efetivação após o período de fim de ano continua alta: passou de 70% para 68% o número de empregadores dispostos a efetivar os colaboradores que se destacarem.

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta