Em São Mateus do Sul, piscicultura faz parte da formação da Casa Familiar Rural

Com apoio dos técnicos do IDR-Paraná (Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná), em parceria com a Petrobras, os educadores da Casa Familiar Rural de São Mateus do Sul desenvolveram um projeto sobre a cadeia produtiva do peixe, a piscicultura.

Piscicultura faz parte da formação de estudantes da Casa Familiar Rural de São Mateus do Sul – Curitiba, 14/10/2021 – Foto: IDR-PR

Os alunos conhecem desde a criação dos alevinos até o abate e preparo de pratos à base de peixe, e esse conhecimento é levado para suas comunidades.

Na Casa Familiar Rural o sistema de alternância (em que o aluno permanece na escola por uma semana e na semana seguinte fica na propriedade) permite que os jovens se qualifiquem e se adaptem às evoluções da profissão de agricultor, em conjunto com a família e a comunidade onde vivem.

Piscicultura faz parte da formação de estudantes da Casa Familiar Rural de São Mateus do Sul – Curitiba, 14/10/2021 – Foto: IDR-PR

Como a piscicultura é uma atividade que vem ganhando destaque na região, há alguns anos a escola incluiu a produção de peixe entre as atividades dos estudantes. Os jovens colocam em prática os conhecimentos adquiridos nas aulas teóricas, transformando a piscicultura em mais uma possibilidade de geração de renda para suas famílias.

Nas propriedades, os agricultores contam com o apoio da Petrobras e IDR-Paraná em todas as etapas de implantação da piscicultura. Graças a esse projeto os seis viveiros da escola foram reativados e foi construída uma Unidade Demonstrativa (UD), com capacidade de abater 500 kg de peixe diariamente.

Por enquanto somente o peixe produzido na escola está sendo abatido no local para ser fornecido na merenda escolar, uma vez por semana.

A UD cumpre todos os protocolos ambientais e sanitários e já tem o registro no SIM (Sistema de Inspeção Municipal).

Piscicultura faz parte da formação de estudantes da Casa Familiar Rural de São Mateus do Sul – Curitiba, 14/10/2021 – Foto: IDR-PR

A Casa Familiar estuda, ainda, a possibilidade de oferecer aos piscicultores do município o serviço de abate de peixes. A Casa Familiar Rural mantém 45 jovens, com idade entre 14 e 17 anos, no curso de Técnico em Agroecologia, que a partir do próximo ano passará a ser de Técnico Agrícola.

0 COMENTÁRIOS

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse.

Ao prosseguir você concorda com nossos termos de uso.