Hip-hop e visita de tribo indígena marcam a I Semana da Diversidade do IFPR

Os representantes da tribo Xokleng passaram o dia conversando com os estudantes e tirando dúvidas sobre a cultura indígena

O Campus União da Vitória realizou nos dias 14 e 16 de maio a I Semana da Diversidade, com o objetivo de debater temas relevantes para a sociedade e combater a discriminação, preconceitos e exclusão.

O evento teve início com a inauguração do painel de grafite executado pelo artista e educador social, Thiago Yaakov Moreira, que conversou com os alunos sobre a cultura hip-hop, o trabalho de um educador social e a importância de aceitar as diferenças culturais e sociais das pessoas que nos cercam.

“A cultura hip-hop para mim é uma ferramenta de empoderamento da juventude, eu trabalho como educador social no Instituto Latino-Americano Inspiração e uso, tanto o rap quanto o grafite, para realizar uma aproximação com os jovens, especialmente aqueles que estão em uma situação de vulnerabilidade”, explica Thiago.

Thiago Yaakov Moreira, Educador Social e artista que pintou o painel de grafite da unidade (Fotos: Assessoria IFPR – Campus União da Vitória).

Ainda na manhã do primeiro dia do evento, os estudantes participaram da palestra Diversidade e desigualdade na história do Brasil, com o professor da Unespar, Ilton César Martins, que falou sobre a situação do negro no Brasil, com dados históricos coletados ao longo de anos de pesquisa. E a tarde, os alunos puderam prestigiar a fala da professora da Unespar, Dulceli Tonet Estacheski, com o tema Gênero, Sexo e Sexualidade.

Palestra do professor da Unespar, Ilton César Martins
Palestra do professor da Unespar, Ilton César Martins

O segundo dia do evento ficou marcado pela visita dos indígenas Xokleng, da aldeia Quati, de Porto União, que durante todo o dia conversaram com os alunos, contaram histórias, tiraram dúvidas e falaram sobre a cultura do povo. Durante a fala do grupo, houve momentos de muita emoção, especialmente quando relataram os diversos ataques que o povo sofreu, que o levou quase à extinção.

Representantes da tribo Xokleng

“Fomos muito bem recebidos, tanto por professores quanto alunos, foi fantástico! A gente pode se abrir para o pessoal, falamos um pouco na nossa língua nativa, contamos nossa história e isso tudo fortalece muito a nossa cultura, é importante que as pessoas conheçam a história indígena na nossa região”, conta um dos integrantes da tribo, Simeão Pripra.

A I Semana da Diversidade foi finalizada com um momento de perguntas e respostas para os integrantes da aldeia e com a apresentação dos desenhos realizados por Ricardo, artista da tribo.

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta