Rede municipal de ensino de Ireneópolis retomam atividades presenciais

Para a volta às aulas no período de pandemia foram realizadas adaptações no transporte e em todo o ambiente escolar.

Murais com mensagens desejando boas vindas, acenos e demonstrações de afeto respeitando o distanciamento marcaram o primeiro dia do ano letivo na rede municipal de ensino de Irineópolis. Para a volta às aulas no período de pandemia foram realizadas adaptações no transporte e em todo o ambiente escolar, oferecendo mais segurança aos profissionais e estudantes.

Na tarde de quinta-feira, 18, o prefeito Lademir Arcari visitou a Escola Municipal Nossa Senhora Aparecida e conversou com professores e alunos sobre o início do ano letivo. “Que todos vocês tenham um bom ano, com muita saúde e aprendizado”, disse o prefeito. A secretária de Educação, Chirlei Lezan Kuyava acompanhou Arcari e também passou por outras escolas do município.

Estudante do Grupo Escolar Zélia Milles, Emanuele Bodek conta que durante os meses em casa sentia falta dos amigos e dos professores, mas que agora é o momento de compreender as mudanças e seguir as orientações para que todos estejam protegidos do Coronavírus. “É difícil, mas nós temos que acostumar porque é uma fase”, comenta. Marcações no piso indicando a distância segura, aferição da temperatura, totens e dispensers com álcool em gel para a higienização das mãos, distanciamento entre as carteiras nas salas de aula e uso obrigatório de máscara foram algumas das mudanças encontradas pelos alunos no primeiro dia de aula presencial.

O intervalo para o lanche e a forma de servir as refeições, também será diferente neste ano letivo. No Grupo Escolar Dalmo Edson Sfair, as grandes mesas e bancos foram substituídas por carteiras e cadeiras, para que os estudantes continuem respeitando a distância segura. Para Pablo Michaoski, aluno do nono ano do Grupo Escolar Dalmo Edson Sfair, as mudanças chamaram a atenção ao entrar na escola, mas a adaptação ao novo normal não está sendo difícil. “ Causa uma estranheza, foi um pouquinho diferente. A gente já tinha visto por vídeo como seria, é diferente mas já estamos começando a acostumar”, disse o estudante.

Atividades remotas estimularam a produção de livro

No período de atividades em casa, em 2020, Pablo dividiu seu tempo entre cumprir com as tarefas enviadas pelos professores e o desenvolvimento de um novo projeto, que começou durante as aulas de Língua Portuguesa. Ele escreveu seu primeiro livro e inicia o novo ano com a expectativa da publicação. “O projeto começou no ano passado, quando a professora Wiviane Henning, de Português, propôs que durante as férias de julho a gente escrevesse um livro. Eu já tinha ideia para escrever, mas aquele foi o gatilho e desde aquela semana o livro foi evoluindo de diversas formas”, conta o estudante. “ Eu usei bastante esse período para escrever, para ter mais referências e poder ver como poderia melhorar todos os aspectos, o texto, as ilustrações, e realmente usei o tempo para deixar como eu queria desde o começo”, relata.

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta