Qual o segredo? Rosângela mantém o emprego por décadas na mesma empresa

A moradora de Porto União consolidou sua carreira na concessionária Chevrolet Metzler; ela desconhece o que é pedir demissão ou procurar por um novo emprego

Ela esbanja elegância e distribui sorrisos por onde passa.

rosangela-2

De bem com vida e uma vitalidade sem igual, ela ‘JURA, JURADINHO E DE DEDINHO’ que vai realizar o seu maior sonho, que é o de conhecer os misteriosos países do mundo.

Paralelamente a isso, também quer consolidar sua carreira em uma só empresa.

Rosângela Stachera já pôs os seus olhos diante de muita transformação na empresa a qual trabalha. Já viu muita gente realizar o sonho do carro novo e firmou muitas amizades.

Na contramão de uma nova geração ansiosa e de um mercado cada vez mais dinâmico, profissionais que constroem e consolidam sua carreira em uma só empresa estão cada vez mais escassos.

De acordo com a Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-RS), os profissionais que têm mais de 30 anos na mesma empresa estão desaparecendo. A associação considera que estamos frente a uma geração que pede demissão com maior facilidade.

Não gostou do chefe? Está insatisfeito com a função? A promoção não veio? É hora de sair. Estes e outros motivos instigam o jovem a pular de empresa para empresa com uma velocidade jamais vista por seus pais e avós, de acordo com a ABRH.

Por outro lado, o desemprego no Brasil caiu para 11% no último trimestre de 2019, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad), divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Essa é a menor taxa do quarto trimestre desde 2015, quando atingiu 8,9%

Entrou como recepcionista …

 Natural de Porto União, a aniversariante de 27 de junho, tem muito orgulho do local onde trabalha. Pela manhã, Rosângela coloca o seu crachá de identificação e só o retira no período da noite quando chega em casa.

O seu primeiro emprego aconteceu na concessionária Chevrolet Metzler Porto União, aos 17 anos de idade, na função de recepcionista. Mais tarde, assumiu o posto de vendedora.

Ro, em pose com uma cliente.
Ro, em pose com uma cliente.

Ro, como é conhecida no Vale do Iguaçu, é uma entusiasta da concessionária onde se fez profissionalmente. Ela tem 38 anos de casa e só vai parar no dia em que de “desapaixonar” pelo que faz, o que de acordo com ela, não deve acontecer (risos).

Nunca arredou pé da empresa. “Eu sou vendedora de coração, gosto de realizar o sonho das pessoas, eles se sentem muito gratas, mas essa é minha função, eu acho que não precisam agradecer”.

Rosângela já viu muitas pessoas saírem de carros novos.

“Quando comecei o carro de destaque era o chevette”, lembra.

Ela já teve experiência na gerência da empresa, porém é no quesito vendas que ela se identificou. “Retornei ao posto de vendedora com muito orgulho”.

Ro já está aposentada.

“Pretendo continuar por muito tempo ainda, se Deus me permitir. Gosto de conversar com as pessoas, saber delas, a venda flui normalmente. Eu VENDO SONHOS”, afirma.

Profissionais como a Rosângela são definidos hoje como uma “raça em extinção” por se fidelizar a empresa, o que não é muito notado na atualidade.

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta