Secretário fala aos vereadores sobre obras que estavam paradas

Reunião serviu para tirar dúvidasdos vereadores sobre obras inacabadas e paralisadas

cloA reunião ordinária da Câmara de Vereadores de União da Vitória serviu para os legisladores tomar conhecimento de obras que estão paralisadas e outras que caminham, segundo o Poder Executivo, para uma solução. Para tanto o Secretário de Planejamento do município, Clodoaldo Goetz (foto ao lado), usou a Tribuna da Casa, para discorrer sobre essas obras.

O secretário disse que todas as obras emperradas foram iniciadas na gestão anterior e por motivos diversos ficaram paralisadas. Entre essas variáveis estão o abandono por parte das empreiteiras, atrasos no cronograma e até serviço mal feito.

Os vereadores Joarez Tica (PSB), Cesar Empinotti (PR), Alandra Roveda Grando (PR), Almires Bughay Filho (PSDB) e o presidente Ricardo Sass, fizeram questionamentos, e consideraram as respostas de Goetz satisfatórias.

O secretário por sua vez disse que as obras tão necessárias para o setor de educação estão sendo destravadas uma a uma pela administração. Goetz também falou que as ruas Braulina Pigatto e Leandro Muzzolon estão acontecendo, mas estão com 11 dias de atraso no cronograma e que a empresa responsável já foi notificada e foi exigido o ajuste no andamento das obras.

vereadores1Na pauta, além da sequencia de votação em alguns projetos que já estavam tramitando, o vereador Valdecir Ratko (PSC), apresentou um requerimento, aprovado por unanimidade onde solicita a inclusão de ruas do bairro Cidade Jardim, no programa de asfaltamentos do município.

Ratko também enviou dois ofícios de gabinete, lembrando a necessidades de obras estruturais (asfalto) no bairro Nossa Senhora das Graças e a reestruturação da área de lazer do mesmo bairro.

No final da reunião, usaram a palavra livre os vereadores Almires Bughay, que enalteceu o plano de cargos e salários dos funcionários do Poder Legislativo, César Empinotti, que falou sobre a importância do Mate Talks, que aconteceu em Bituruna na semana passada e finalmente o presidente Ricardo Sass, que falou sobre o requerimento indeferido na última sessão, reafirmando que nunca teve medo de discutir subsídios ou qualquer outra matéria polêmica, mas que vai promover os debates sobre subsídios a partir de janeiro no ano que vem, conforme prevê o Regimento Interno da casa.