Milho no Monjolo

Odilon Muncinelli

Milho no Monjolo – 24 de Junho de 2017

LANÇAMENTO

Na última quarta-feira, dia 21, na Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR), antiga FAFI de União da Vitória, Paraná, o Colegiado de Pedagogia promoveu o lançamento de três obras que faz parte (o lançamento) da Programação do XIII Encontro Pedagógico e X Simpósio de Educação, com a temática “Desenvolvimento Profissional Docente: Debates e Atividades Reflexivas”. São elas:1. “Metodologia da Pesquisa Científica em Educação: Dos Desafios Emergentes a Resultados Iminentes”, de Eliane Paganini da Silva e Sandra Salete de Camargo Silva. 2. “Formação Docente, Tendências, Debates e Práticas”, de Kelen dos Santos Junges, Valéria Aparecida Schena e Eliane Paganini da Silva. 3. “Colégio Santos Anjos Cotidiano Educativo e Missionário: Reflexo de uma Escola Alemã no Planalto Norte-Catarinense”, de Roseli Bilobran Klein

UMA OPINIÃO

“A Guerra do Contestado foi um conflito armado entre a população de posseiros e pequenos agricultores que viviam na divisa dos atuais estados do Paraná e Santa Catarina, e o exército brasileiro. A guerra teve ainda um importante conteúdo religioso, na forma de um líder messiânico, o Monge João Maria”..

“MOMENTO DA EDUCAÇÃO”

“A Importância da Família na Graduação Profissional” faz o assunto do programa “Momento da Educação”, que será apresentado pelo professor Aluízio Witiuk, no próximo domingo, dia 25, às 11 horas, nos microfones da Rádio Difusora União, a antiga ZYD-3, “a Pioneira do Vale”. Diretamente do “Pé do Morro da Cruz” para a Coluna “Milho no Monjolo“, o amigo e apresentador informa que o entrevistado será o médico ortopedista André Luís Sebben, que falará sobre a Importância da Família na Graduação Profissional. Observação: Neste mesmo domingo, dia 25, às 15 horas, o médico ortopedista André Luíz Sebben poderá ser assistido e ouvido, em entrevista sobre os mesmos assuntos, no Programa “Caminho da Universidade”, que é produzido e apresentado pelo professor Aluízio Witiuk, na TV Mill, a TV de União da Vitória, Paraná.

AVÓS COM VOZ

Na próxima quinta-feira, dia 29, às 19h e 30min. no Auditório da Secretaria Municipal de Educação de Porto União, Santa Catarina, ocorre a sexta edição do evento “Avós Com Voz”, numa promoção da Secretaria de Cultura e Turismo, em alusão aos Cem Anos de Porto União. Na ocasião, o casal Helga Beate Will Clementino da Silva e Erico Clementino da Silva, ela, violinista, ele alfaiate, falarão sobre os temas “Música e Costura”.

A ÚLTIMA

A Coluna de hoje é dedicada à querida e honorável senhora Iracema Erzinger, mãe do velho e bom amigo Coronel Mario Renato Erzinger, atualmente, na reserva, que, na última segunda-feira, dia 19, “mudou-se para o andar de cima”, aos 83 anos de idade.

Beira do Iguaçu, Junho de 2.017.

Odilon Muncinelli é Membro da ALVI e do IHGPr.

Milho no Monjolo – 20 de Junho de 2017

AGRADECIMENTO

Agradeço aos amigos e as amigas que lembraram do meu aniversário (pessoalmente, por telefone, e-mail e facebook) na última sexta-feira, dia 16. Prefiro não nominá-los para não esquecer nenhum deles. E bola pra frente que atrás vem gente! Destaque para o amigo e confrade Rubens Tarcísio da Luz Stelmachuk que parabenizou-me de viva voz com a canção “Feliz Aniversário”, de Heitor Villa-Lobos (Rio de Janeiro, 05-03-1887 / 17-11-1959). Diz a letra: Saudamos o grande dia / Que tu hoje comemoras / Seja a casa onde moras / A morada da alegria / O refúgio da ventura / Feliz Aniversário”, a melodia interpretada pelo Coral do Centro Educacional de Niterói, veio num vídeo. Agradeço.

CONCURSO DE POESIAS

Na semana passada, dia 16, a Secretaria Municipal de Educação de Porto União, Santa Catarina, divulgou as três poesias vencedoras no Concurso de Poesias sobre os Cem Anos de Porto União. Pela ordem, a poesia vencedora foi a poesia “Lembranças”, da aluna Diana Knapick, 9º ano, do Núcleo Educacional Jornalista Hermínio Milis; seguida da poesia “É Tempo de Festa”, da aluna Maria Júlia Doniak Melnisk, 7º ano, do Colégio São José e da poesia “Maria Fumaça”, do aluno Eric Jonathan Manrich, 9º ano do Núcleo Educacional Jornalista Hermínio Milis. Estas três poesias farão parte de um livro que reúne mais 30 poesias que obtiveram classificação como Menção Honrosa. Participaram as Unidades Escolares, municipais, estaduais e particulares: Núcleo Educacional Jornalista Hermínio Milis, Colégio São José, Colégio Santos Anjos, Núcleo Educacional João Fernando Sobral, Escola de Educação Básica Antônio Gonzaga, Núcleo Educacional Frei Deodato e Educação de Jovens e Adultos de Porto União.

UM POUCO DE AVENTURA

O casal de atores Max Fercondini e Amanda Richter, ela natural de Joinville, vem ao Estado de Santa Catarina, nesta semana para uma turnê de lançamento do livro América do Sul sobre Rodas. Max Fercondini e Amanda Richter, percorreram seis países no ano passado a bordo de um motor home em uma viagem que durou mais de 180 dias. No livro eles contam um pouco da aventura que rendeu ainda centenas de fotos e vídeos. Estão previstas sessões de autógrafos em Balneário Camboriú, Blumenau, Joinville e São José.

LIVROS

Ainda neste ano, a Academia de Letras do Vale do Iguaçu (ALVI) pretende realizar uma Sessão de Autógrafos para o lançamento de dois livros do acadêmico João Darcy Ruggeri, um da acadêmica Roseli Bilobran Klein e de outros autores.

Beira do Iguaçu, Junho de 2.017.

Odilon Muncinelli é Membro da ALVI e do IHGPr

 

 

Milho no Monjolo – 15 de Junho de 2017

OBRAS SOBRE NAVEGAÇÃO

O Museu Nacional do Mar, em São Francisco do Sul, no Norte Catarinense, agora conta com um acervo digital que reúne pelo menos 80 obras sobre navegação. O Portal Bancos do Brasil foi lançado na sexta-feira, dia 09, com todo o material da Biblioteca Kelvin, que fica nas dependências do Museu. O acervo do Portal inclui livros, plantas, cartas náuticas, manuscritos e até raridades do patrimônio naval. Entre os assuntos de alguns dos exemplares estão História naval, modelismo, pesca, folclore e descrição de viagens, segundo a Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Joinville. As pesquisas foram organizadas por critérios de comunidade e coleções, data do documento, autores, títulos e assuntos. (Fonte: Jornal Diário Catarinense).

NOVOS ACADÊMICOS

No último sábado, dia 10, em sua Sede na Estação União, a Academia de Letras do Vale do Iguaçu (ALVI) realizou a sua Reunião Mensal para a deliberação de vários assuntos e a aprovação de Novos Acadêmicos para o preenchimento de cinco vagas. Foram aprovados, o cronista Luiz Alberto de Araújo, a professora Marli Terezinha Andrucho Boldori, a psicóloga Maris Stela da Luz Stelmachuk e Thiago Daniel Sander. Uma vaga não preenchida fica para 2018. A posse dos Novos Acadêmicos ocorre no dia 22 de setembro próximo, no Auditório do Colégio Santos Anjos, em Porto União, Santa Catarina, por ocasião da Sessão Solene em homenagem aos Cem Anos de Porto União.

“MOMENTO DA EDUCAÇÃO” 1

“O Escritório da Justiça, Trabalho e Direitos Humanos”, faz o assunto do programa “Momento da Educação”, que será apresentado pelo professor Aluízio Witiuk, no próximo domingo, dia 18, às 11 horas, nos microfones da Rádio Difusora União, a antiga ZYD-3, “a Pioneira do Vale”. Diretamente do “Pé do Morro da Cruz” para a Coluna “Milho no Monjolo“, o amigo e apresentador informa que o entrevistado será o sociólogo e apresentador de TV Ari Krüger dos Passos, mui digno Chefe do Escritório de Justiça, Trabalho e Direitos Humanos em União da Vitória, Paraná, que falará sobre o referido Escritório, sua finalidade e atividades. Observação: Neste mesmo domingo, dia 18, às 15 horas, o sociólogo e professor Ari Krüger dos Passos poderá ser assistido e ouvido, em entrevista sobre o mesmo assunto, no Programa “Caminho da Universidade”, que é produzido e apresentado pelo professor Aluízio Witiuk, na TV Mill, a TV de União da Vitória, Paraná.

“MOMENTO DA EDUCAÇÃO” 2

O velho amigo Ari Krüger dos Passos é sociólogo, professor, escritor, colunista, apresentador de TV (Programa “Falando Francamente”) e o primeiro Presidente da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), de Porto União, Santa Catarina. Nota: Ainda, neste ano, Ari Krüger dos Passos deve promover o lançamento do livro “Opinião” que reúne as suas crônicas e outros textos publicados no Jornal O Iguassú. Atualmente, ele é o Chefe do Escritório de Justiça e Direitos Humanos, em União da Vitória, Paraná.

 

Beira do Iguaçu, Junho de 2.017.

Odilon Muncinelli é Membro da ALVI e do IHGPr

Milho no Monjolo – 13 de Junho de 2017

ALEX, A BIOGRAFIA

Já está nas livrarias o livro “Alex, A Biografia”, de Marcos Eduardo Neves. Sinopse do Livro: “Alex foi ídolo do Coritiba, do Palmeiras, do Cruzeiro e do Fenerbahce, da Turquia. É um dos craques que não jogaram uma Copa do Mundo. Uma razão é que competia com Ronaldinho, Rivaldo e Kaká, que se tornaram os melhores do mundo. Outra é que não compreenderam a grandiosidade de seu talento. Alex, diferentemente do jogador que estava sempre com a bola, tentando uma jogada, muitas vezes, errada e impossível, esperava o momento certo para brilhar, assim como os grandes pintores impressionistas iam para os campos abertos, à espera do brilho ideal da luz para fazer suas obras geniais. Alex era muito técnico, minimalista. Em poucos lances e com poucos movimentos, decidia a partida. Não tinha excessos nem firulas. Mesmo sendo um meia armador, de passes espetaculares, fez também muitos gols, mais de quatrocentos, muitos belíssimos, magistrais. Alex, dentro e fora de campo, foi um atleta inteligente, lúcido, que falava o que pensava e que pensava antes de fazer. É um dos líderes do Bom Senso FC, que luta para melhorar o futebol brasileiro. Alex é um dos grandes da história do futebol. O que a memória amou se tornou eterno”. (Adélia Prado).

LITERATURA COREANA

Narrativas do erudito Kim Si-seup em Contos da Tartaruga Dourada(Estação Liberdade, 176 páginas), que chega este mês às livrarias brasileiras, marcaram o nascimento da prosa de ficção na Coreia. Com tradução direta, notas e textos complementares de Yun Jung Im, o livro chega com uma verdadeira celebração: na última quinta-feira, dia 08, professores coreanos e brasileiros uniram-se para saudar a obra no “Simpósio de Literatura Coreana Clássica: Contos da Tartaruga Dourada, de Kim Si-seup” no Prédio de Letras da FFLCH, na Universidade de São Paulo.

UMA PENA!

Pois é, minha gente, o Monumento ao Tropeiro colocado na margem esquerda do Rio Iguaçu, nas proximidades do vau, continua em completo abandono. Uma pena!

LUTO

Na noite da última sexta-feira, dia 09, morreu em Caranduvas, São Paulo, o ator João Antônio Elias de Oliveira, conhecido como João Elias, aos 72 anos. O artista ficou conhecido por interpretar o personagem Salim Muchiba no programa de televisão “Escolinha do Professor Raimundo”, comandado por Chico Anysio. João Elias, que teve passagens pela Globo e pela Record, também era escritor e, no início da carreira, chegou a trabalhar em rádio. O ator deixa mulher, três filhos e três netos.

A ÚLTIMA

Em reverência à memória do jornalista Hermínio Milis, a Coluna de hoje é dedicada ao Jornal O Comércio que, no último domingo, dia 11, completou 86 anos de valiosa e profícua existência.

Beira do Iguaçu, Junho de 2017

Odilon Muncinelli é Membro da ALVI e do IHGPr

Milho no Monjolo – 06 de Junho de 2017

CONCURSO DE POESIAS

A Secretaria Municipal de Educação de Porto União, Santa Catarina, está promovendo um Concurso de “Poesias do Centenário”, nas escolas municipais, estaduais e particulares, com a participação de crianças de 06 a 09 anos de idade. As poesias serão pré-selecionadas nas Unidades Escolares, em número de três para cada uma das Escolas. Depois, nos dias 12, 13 e 14 deste mês de junho, as mesmas serão submetidas à apreciação e julgamento de uma Comissão Julgadora, formada por Therezinha Leony Wolff, Karin Siebeneicher Brito, Carlos Augusto de Negreiros, Pedro da Silva Mello e este Colunista. Por fim, esta Comissão Julgadora define as três poesias vencedoras, que serão publicadas num livreto, a ser lançado no mês de agosto próximo, às vésperas dos Cem anos de Porto União, que serão lembrados no dia 05 de setembro próximo.

LIVROS PARA O VESTIBULAR

O Núcleo de Concursos da Universidade Federal do Paraná (UFPR) divulgou a relação dos livros de Literatura que serão objeto de questões nas provas do Processo Seletivo 2017-2018. São oito obras de Literatura: 1. “Sermão de Santo Antônio (aos peixes)” – Antônio Vieira 2. “Últimos Cantos” – Gonçalves Dias 3. “Várias Histórias” – Machado de Assis. 4. “Clara dos Anjos” – Lima Barreto. 5. “Claro Enigma” – Carlos Drummond de Andrade 6. “Lavoura Arcaica” – Raduan Nassar 7. “Eles Não Usam Black-Tie” – Gianfrancesco Guarnieri 8. “A Última Quimera” – Ana Miranda.

MOMENTO DA EDUCAÇÃO

Mediação” fez o assunto do programa “Momento da Educação”, que foi apresentado pelo professor Aluízio Witiuk, no último domingo, dia 04, às 11 horas, nos microfones da Rádio Difusora União, a antiga ZYD-3, “a Pioneira do Vale”. A entrevistada foi a advogada Marilúcia Flenik, que falou sobre a Mediação que se define como “um método extrajudicial de resolução de conflitos, em que uma terceira pessoa, o mediador, escolhido pelas partes envolvidas no conflito, atua como facilitador da interação e do diálogo entre as partes”. Observação: Neste mesmo domingo, dia 04, às 15 horas, a advogada Marilúcia Flenik foi assistida e ouvida, em entrevista sobre o mesmo assunto, no Programa “Caminho da Universidade”, que é produzido e apresentado pelo professor Aluízio Witiuk, na TV Mill, a TV de União da Vitória, Paraná. Nota: Marilúcia Flenik é advogada, pedagoga, professora universitária, doutora em Direito Econômico e Sócio Ambiental (Pontifícia Universidade Católica do Paraná)  e membro da Academia de Letras do Vale do Iguaçu (ALVI).

A ÚLTIMA

A Coluna de hoje é dedicada ao advogado e amigo Antônio Carlos Wolff, o Doutor Wolfinho, ex-vereador em Porto União, Santa Catarina, um dos autores da Lei Orgânica do Município e Presidente do Poder Legislativo, que, no final da tarde da última sexta-feira, dia 02, “mudou-se para o andar de cima”; aos 77 anos de idade. Era formado pela Faculdade de Direito de Viçosa, Minas Gerais, e inscrito na OAB-Santa Catarina sob número 4877. Minhas sinceras condolências à esposa Reni, aos filhos Helen (advogada), Júnior e neta. Descanse em Paz, meu velho e bom amigo!

Beira do Iguaçu, Junho de 2.017.

Odilon Muncinelli é Membro da ALVI e do IHGPr.

Milho no Monjolo – 03 de Junho de 2017

 

OS 17 ANOS DA ALVI

Nesta terça-feira, dia 30, a Academia de Letras do Vale do Iguaçu (ALVI) comemora os seus 17anos de Fundação. De pronto, lembro gente de grande valor, como Lulu Augusto, Sulamita da Costa e outros, que participaram das primeiras reuniões para a formação da tão sonhada Academia de Letras, mas não ingressaram nela, por vontade própria. Lembro os requisitos exigidos pela Comissão Organizadora, tais como “Curriculum Vitae”, livros publicados, textos publicados (como conferências, artigos de jornal, et caetera), livros e textos prontos para publicação. Nem todos cumpriram esses requisitos.  Lembro a apresentação da pequena biografia do Patrono da Cadeira e do próprio Acadêmico Fundador.  Lembro a elaboração do Estatuto e do Regimento Interno, com a minha participação.  Lembro a Sessão Solene de Instalação da Academia e da Posse dos Acadêmicos Fundadores… Éramos 28. Lembro os Sócios Beneméritos, que Já Foram!  Lembro o Cine Teatro Luz “Prefeito José Cleto”, em noitada festiva.  Lembro os padrinhos e as madrinhas. A minha madrinha foi a minha eterna companheira Aldair. Lembro a proposição e a elaboração da mensagem para a criação da Comenda “Pinhão do Vale”. Hoje já são 30 os Comendadores e Comendadoras, contando com os dois Novos Comendadores aqui presentes. Indiquei 3 deles. Lembro a proposição e a elaboração da mensagem para a criação dos Prêmios “Flor do Aguapé” (dois). Ainda não apreciados, nem aprovados.  Lembro o lançamento dos primeiros livros e da primeira Revista da ALVI. Nove já foram editadas. A Revista da ALVi no 10, deste ano de 2017, terá uma Edição Especial em homenagem aos Cem Anos de Porto União. Lembro a proposição do inesquecível Odilon Túlio Vargas como Presidente de Honra da Academia de Letras do Vale do Iguaçu (ALVI). Apreciada e aprovada por unanimidade.  Lembro a proposição do “Credo Acadêmico” para ser rezado no início das Reuniões Ordinárias e das Sessões Solenes. Mas, não é lembrado!.  Lembro, com tristeza e respeito, aqueles que começaram a caminhada, porém não trilharam o caminho trilhado até aqui… Jayme Ayres da Silva, Michel Kobelinski, Sueli de Souza Pinto, Armindo José Longhi, Alcides Rodrigues de Almeida e Tânia Margaret Malschitzki Ruski. Lembro, com reverência e saudade, aqueles que durante a caminhada “mudaram-se para o andar de cima”… Alexandre Drabik (2004), Ghassoub Domit (2005), Helena Lima Klotz (2005), Yeda Cordeiro Ramires (2007), Neli de Oliveira Melo Sicuro (2010), Francisco Filipak (2010), Nelson Antônio Sicuro (2011), Willy Carlos Jung (2-16), Lili Matzembacher (2016) e Irene Rucisnki (2016). Lembro ainda que nestes 17 anos presidiram a ALVI – Joaquim Osório Ribas, Therezinha Leony Wolff, Raulino Bortolini, Leni Trenim Gaspari e Margareth Rose Ribas; Pois é, minha gente, nestes 17 anos muita coisa foi planejada e muita coisa foi realizada. Outras tantas não se concretizaram. Enfim, tudo o que foi feito até aqui, o foi, em favor da cultura e da educação da minha Beira do Iguaçu.

Beira do Iguaçu, Junho de 2.017

Odilon Muncinelli – Membro da ALVI e do IHGPr

Milho no Monjolo – 30 de Maio de 2017

O SITE ESTÁ DE VOLTA

A Academia de Letras do Vale do Iguaçu (ALVI) recuperou o site: org.br, com as notícias antigas. De agora em diante serão registradas as novas atividades da ALVI para que as outras Academias do Paraná possam acompanhar. Assim os associados devem enviar notícias, sobre projetos que estejam atuando, pesquisas em andamento, poesias, fotos com legendas e notas explicativas, documentos digitalizados, enfim o que acharem interessante e que seja digno de mencionar nesse espaço cultural. Além disso, o objetivo é atualizar e colocar no ar a Revista da ALVI 2016 e outros assuntos importantes.

SOBRE O AMOR

Lembrando o Dia dos Namorados, dia 12 de junho, os editores lançaram três livros (nada convencionais) sobre o amor. São três instigantes histórias de amor na literatura (escritas e publicadas depois da Segunda Guerra Mundial).  São eles: O Túnel, do escritor argentino Ernesto Sabato, publicado originalmente em 1948. Fim de caso, do inglês Graham Greene.  E por último, A doença de Haggard (quando a tônica esbarra na loucura), do inglês Patrick McGrath. Outros grandes livros, como O passado de Alan Pauls, Não diga noite de Amós Oz, Um copo de cólera de Raduan Nassar, O amor nos tempos da cólera de Gabriel García Marquez e Intimidade de Hanif Kureishi, também poderiam figurar nesta lista.

LANÇAMENTO

Na última terça-feira, dia 23, no Distrito de São Domingos, União da Vitória, Paraná, ocorreu o lançamento do livro “Histórias do Distrito de São Domingos”, que reúne histórias contadas pelos alunos e professores da Escola daquele ente distrital.

DOIS LIVRETOS E VÁRIOS RECORTES

Na última sexta-feira, dia 26, chegaram ás minhas mãos, via Correios, dois livretos e vários recortes de jornais e revistas. Brindou-me o velho amigo e pesquisador Carlos Alberto da Costa Guérios. Desde logo agradeço a gentileza. São eles: os livretos “A Paixão Incontida”, de Cláudio Bersi de Souza, “A Torre de 100 Anos – História da Capela de São João Batista – 1759 e da Construção da Torre em 1920”, que tratam da História de Itajaí, Santa Catarina. E os recortes de jornais e revistas “A Conquista do Céu”, “O Fim Trágico de Santos Dumont”, “Lápis, Papel e Risadas”, “Nazismo no Estado Novo”, “O Voto em suas Muitas Faces” e “Desastrosa Ausência”. Acompanharam também duas pequenas missivas.

A ÚLTIMA – “Só se pode viver perto de outro, e conhecer outra pessoa, sem perigo de ódio, se a gente tem amor. Qualquer amor já é um pouquinho de saúde, um descanso na loucura”. (Guimarães Rosa).

Beira do Iguaçu, Maio de 2.017

Odilon Muncinelli – Membro da ALVI e do IHGPR

Milho no Monjolo – 27 de Maio de 2017

FURTARAM OS SINOS

A Colônia de Barreiros teve início com a chegada dos primeiros imigrantes ucranianos, no final do século XIX. Segundo a tradição oral da localidade, a Capela de São Pedro e São Paulo foi construída entre 1905 e 1910, sob a orientação dos Padres Antonio Martiniuk e Clemente Bjuchovskey, entre outros da Ordem Basiliana de Iracema (Santa Catarina).  A Capela São Pedro e São Paulo está situada na Colônia Barreiros, há sete quilômetros do centro de União da Vitória. É também conhecida como a “Igreja do Barreiro”, em alusão a “ barreira” (um antigo Posto Fiscal) existente no caminho dos tropeiros. Ademais, a Capela está tombada ao Patrimônio Municipal de União da Vitória, desde 2003, pelo Decreto n° 111/2003, devido a sua importância histórico-cultural. E não é que, recentemente, os seus sinos foram furtados.

AVÓS COM VOZ

Na última quinta-feira, dia 25, no Auditório da Secretaria Municipal de Educação de Porto União, Santa Catarina, ocorreu a quinta edição do evento “Avós Com Voz”, numa promoção da Secretaria de Cultura e Turismo, em alusão aos Cem Anos de Porto União. Na ocasião, o alfaiate e artista plástico Renato Ruschel, falou sobre o tema “Alfaiates nas Gêmeas do Iguaçu”. Ao que se sabe, atualmente, restam apenas dois alfaiates, o próprio Renato Ruschel e Erico Clementino da Silva;

“MOMENTO DA EDUCAÇÃO”

“Aviação Internacional” faz o assunto do Programa “Momento da Educação”, que será apresentado pelo professor Aluízio Witiuk, no próximo domingo, dia 28, às 11 horas, nos microfones da Rádio Difusora União, a antiga ZYD-3, “a Pioneira do Vale”. Diretamente do “Pé do Morro da Cruz” para a Coluna “Milho no Monjolo”, o amigo e apresentador informa que o entrevistado será o piloto João Roque dos Santos, mui digno Comandante da Aviação Internacional da TAP (Transportes Aéreos Portugueses), nascido em Angola, que falará sobre a Aviação Internacional e as suas palestras a respeito dela, que ministra nas Universidades, Escolas, et caetera. Observação: Neste mesmo domingo, dia 28, às 15 horas, o piloto João Roque dos Santos poderá ser assistido e ouvido, em entrevista sobre o mesmo assunto, no Programa “Caminho da Universidade”, que é produzido e apresentado pelo professor Aluízio Witiuk, na TV Mill, a TV de União da Vitória, Paraná.

A ÚLTIMA

A Coluna de hoje é dedicada ao bom amigo Luiz Jorge Uliniki, ferroviário aposentado, artesão e miniaturista que pesquisa, preserva e conta a História Ferroviária e a História Local.

Beira do Iguaçu, Maio de 2.017.

Odilon Muncinelli é Membro da ALVI e do IHGPr.

Milho no Monjolo – 23 de Maio de 2017

LANÇADO NO BRASIL

“O reflexo perdido e outros contos insensatos(264 páginas) de E. T. A. Hoffmann não é apenas um dos grandes lançamentos deste maio, mas do ano. Admirado e louvado por alguns dos maiores escritores do século XIX, entre eles Heine, Balzac e Gautier, sua obra influenciou os franceses Victor Hugo, Baudelaire e Maupassant, os russos Puchkin, Gogol e Dostoiévski, e os americanos Hawthorne e Edgar Allan Poe. Ernst Theodor Amadeus Hoffmann – batizado com o nome de Ernst Theodor Wilhelm, trocado por Amadeus em homenagem a Mozart – nasceu em Königsberg, na Prússia (hoje Kaliningrado, província da Rússia), em 1776. Em 1816 tornou-se juiz da Corte de Apelação em Berlim, cidade onde permaneceu até a morte, em 1822, depois de uma paralisia – provavelmente advinda da sífilis contraída de uma de suas várias amantes. Além de escritor brilhante, Hoffmann era desenhista, crítico musical e compositor. Esta recém-lançada edição da Estação Liberdade, organizada, traduzida, prefaciada e anotada por Maria Aparecida Barbosa, propõe um recorte abrangente e revelador da obra do autor: os textos atestam o virtuosismo estilístico e temático do autor, que se tornou um dos principais expoentes do Romantismo alemão por sua originalidade, irreverência e iconoclastia. A difusão das fronteiras entre realidade e ficção, a intertextualidade com seus contemporâneos (inclusive “emprestando” personagens de outros autores), o teor filosófico com que envolve seus temas fantásticos e de horror: essas são algumas marcas de Hoffmann que tiveram grande influência na literatura alemã posterior a ele. Sobre o princípio que permeia esta edição, o prefácio da organizadora, citando o autor, explica: “a poesia deve estar imbuída de fecunda fantasia, as personagens cheias de vida devem ter feições plásticas delineadas de modo a envolver com força mágica […]”. Está incluída na coletânea a narrativa fantástica O Homem-Areia, que tornou Hoffmann conhecido no Brasil (indiretamente, uma vez que o texto é citado por Sigmund Freud em seu ensaioDas Unheimliche [O Inquietante], que trata da literatura que causa medo). Outro clássico em nova tradução é  O Quebra-Nozes O Rei dos Camundongos, selecionado “não pelo exclusivo fato de ter imortalizado Hoffmann no âmbito do balé”, como explica o prefácio, “mas também por ser um conto de horror que explora de maneira vertiginosa a inclusão de personagens duplos”.  O conto do título se inscreve na tradição literária do Fausto, já que o melancólico protagonista Erasmus Spikher acaba, em seu desejo por coisas mundanas, firmando um pacto que lhe custa seu reflexo. Nesta história, Hoffmann inclui o personagem Peter Schlemihl, criado por Adalbert von Chamisso, e também faz um aceno aos naturalistas e a Alexander von Humboldt, mostrando um escritor extremamente atento ao momento literário e científico em que vivia. Uma das leituras imperdíveis do ano”. (Texto de Carlos Henrique Schroeder. In Diário Catarinense).

Beira do Iguaçu, Maio de 2.017.

Odilon Muncinelli é Membro da ALVI e do IHGPr

Milho no Monjolo – 20 de Maio de 2017

“MOMENTO DA EDUCAÇÃO”

A Grande Viagem e Os Cem Amos de Porto União” fazem os assuntos do Programa “Momento da Educação”, que será apresentado pelo professor Aluízio Witiuk, no próximo domingo, dia 21, às 11 horas, nos microfones da Rádio Difusora União, a antiga ZYD-3, “a Pioneira do Vale”. Diretamente do “Pé do Morro da Cruz” para a Coluna “Milho no Monjolo”, o amigo e apresentador informa que a entrevistada será a professora e pesquisadora Therezinha Leony Wolff, mui digna associada da Academia de Letras do Vale do Iguaçu (ALVI), que falará sobre “A Grande Viagem” para Portugal realizada recentemente e Os Cem Anos de Porto União. Observação: Neste mesmo domingo, dia 21, às 15 horas, a professora e pesquisadora Therezinha Leony Wolff poderá ser assistida e ouvida, em entrevista sobre os mesmos assuntos, no Programa “Caminho da Universidade”, que é produzido e apresentado pelo professor Aluízio Witiuik, na TV Mill, a TV de União da Vitória, Paraná.

117 ANOS

Na próxima terça-feira, dia 23, às 17 horas, em sua Sede, o Instituto Histórico e Geográfico do Paraná (IHGPr), realiza a Sessão Solene em comemoração aos seus 117 anos de valiosa e profícua existência. É indispensável o Colar de Associado. Protocolo Tradicional: 1. Lançamento do Volume 56 da Estante Paranista: “Toiro Passante V – 2ª Parte – Tempo de República Democrática”. Autor: (“in memoriam”) Luiz Carlos Pereira Tourinho, Book Express Editora, São Paulo, 2017”. 2. Lançamento do Volume 57 da Estante Paranista: “Um Tributo À Memória de Luiz Carlos Pereira Tourinho. Autor Engo Luiz Fernando Bizerril Tourinho. Book Express Editora, São Paulo, 2017”.

17 ANOS 1

No próximo dia 30 deste mês de maio, uma terça-feira, às 19h e 30 min, no Auditório da Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR), a Academia de Letras do Vale do Iguaçu (ALVI) realiza a Sessão Solene em comemoração aos seus 17 anos de valiosa e profícua existência. É indispensável a Pelerine. Na mesma ocasião duas personalidades ilustres serão agraciadas com a Comenda Pinhão do Vale, Medalha e diploma, por relevantes serviços prestados à nossa sociedade. 1. O Juiz de Direito Carlos Eduardo Mattioli Kockanny como destaque na área social. 2. O escultor Itacir Bortoloso como destaque na área das artes. O primeiro será apresentado pelo acadêmico Aluízio Witiuk e o segundo apresentado pelo acadêmico Roberto Domit de Oliveira.

17 ANOS 2

O Juiz Carlos Eduardo Mattioli Kockanny formou-se em Direito, no ano de 1999, pela Faculdade de Direito de Curitiba. Desde o ano de 2005 é Juiz de Direito em União da Vitória, Paraná e no próximo dia 30 completa 12 anos de efetivo exercício. E o Escultor Itacir Bortoloso é natural de Videira, Santa Catarina. Mora m Poro União, Santa Catarina, há alguns anos.

Beira do Iguaçu, Maio de 2.017.

Odilon Muncinelli é Membro da ALVI e do IHGPR