Vídeo: Estiagem no Paraná transforma cenário do Rio Iguaçu

Nível chegou a 1,29m, considerado o menor da história

(Foto: Portal Vvale/Skillfx Produções).
(Foto: Portal Vvale/Skillfx Produções).

O Sul do Brasil sofre com a estiagem mais severa dos últimos anos. A modificação da paisagem dos rios e das barragens revela um misto de sentimentos – que de um extremo ao outro, vai da curiosidade à tristeza. O aparecimento das pedras e da areia chama atenção até mesmo dos moradores mais antigos da região. (assista a reportagem em vídeo ao final do texto).

O Rio Iguaçu, que muitas vezes é lembrado durante as cheias, retrata um momento de preocupação e incertezas. Cenários até então desconhecidos e de grande apelo turístico, ganham novas forças e impressionam pelas imagens em União da Vitória e região.

Em ruínas

A estiagem traz à tona imagens vistas pela última vez em 1979. As ruínas da usina de Salto Grande do Iguaçu, entre os municípios de Cruz Machado e Bituruna, na Região Sul do Paraná, são observadas novamente em 2020.

Estiagem exibe Ruínas da usina de Salto Grande do Iguaçu. (Foto: Portal Vvale/Skillfx Produções).
Ruínas da usina de Salto Grande do Iguaçu. (Foto: Portal Vvale/Skillfx Produções).

A usina que demorou 12 anos para ser construída, funcionou por pouco tempo, de 1969 até por volta de 1980. Com o enchimento do lago para a construção da Usina Bento Munhoz da Rocha Neto, a Usina Foz do Areia em 1979, as ruínas de Salto Grande do Iguaçu desapareceram.

Com a estiagem, o nível do lago está 30 metros abaixo do normal, o que significa 742 metros acima do nível do mar. Atualmente, o lago está com 710 metros. Mas essa não é a menor medição, pois em 2014 o nível chegou a 706 metros.

Dago Woehl comenta a estiagem
Dago Woehl

Segundo o jornalista e estudioso do Rio Iguaçu, Dago Woehl, o que chama a atenção é o longo período de duração da estiagem.

Neste período, também chamam a atenção as ruínas da Usina da Cachoeira do Palmital, localizada em Cruz Machado. Construída em 1926, foi a primeira a produzir energia elétrica para a região.

Estiagem na Usina da Cachoeira do Palmital. (Foto: Portal Vvale/Skillfx Produções).
Usina da Cachoeira do Palmital. (Foto: Portal Vvale/Skillfx Produções).

Cenário é crítico na região

Conhecida por suas belas cachoeiras e corredeiras, a cidade de Porto Vitória, que fica a 25 quilômetros de União da Vitória, também retrata os impactos da estiagem.

Estiagem nas Corredeiras de Porto Vitória. (Foto: Portal Vvale/Skillfx Produções).
Corredeiras de Porto Vitória. (Foto: Portal Vvale/Skillfx Produções).

A falta de chuva literalmente secou as corredeiras, um dos cartões-postais da cidade. É possível atravessar o leito do rio apenas caminhando sobre as pedras. Com pouca queda de água, o local também impressiona.

O majestoso

O Rio Iguaçu corta o Estado do Paraná com seus 1,320 mil quilômetros de extensão e é um dos cartões postais de União da Vitória. Normalmente o Majestoso, como é chamado pelos moradores do Vale do Iguaçu, ganha lembrança em suas mudanças drásticas – enchentes e estiagens.

(Foto: Portal Vvale/Skillfx Produções).
(Foto: Portal Vvale/Skillfx Produções).

A medição de 1,29 m registrada no Rio Iguaçu em União da Vitória em 8 de maio de 2020 foi a menor da história. Até então, o 1,33 registrado durante vários dias, aconteceu somente nos anos de 1944, 1951 e 1963.

Mesmo com este cenário, a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) não considera, pelo menos por enquanto, o risco de desabastecimento de água na cidade.

Bolivar Menoncin Júnior, gerente Regional da Sanepar comenta estiagem no Paraná
Bolivar Menoncin Júnior, gerente Regional da Sanepar

Segundo o gerente regional da companhia, Bolivar Menoncin Júnior, o volume de água de 55 mil litros por segundo, que concentra o Rio, é suficiente para abastecer os reservatórios.

Mas, a Sanepar já trabalha com possibilidade em caso de mudança no cenário.

Estiagem no Paraná (Foto: Portal Vvale/Skillfx Produções).
(Foto: Portal Vvale/Skillfx Produções).

Alerta

O Sistema de Tecnologia e monitoramento ambiental do Paraná (Simepar), divulgou alerta de que a estiagem deve se estender até o mês de setembro.

O Governo do Estado do Paraná divulgou no início deste mês o decreto de situação de emergência hídrica por 180 dias, que regulamenta que as empresas de água que atuam no estado possam adotar medidas de racionamento, equilibrando a distribuição entre todos os consumidores e regiões.

Estiagem no Paraná (Foto: Portal Vvale/Skillfx Produções).
(Foto: Portal Vvale/Skillfx Produções).

Esta é a pior estiagem vivenciada pelo Paraná, desde que o Simepar começou monitorar as condições do tempo, em 1997.


Diferença entre seca e estiagem

No Brasil, os termos seca e estiagem correspondem a eventos climáticos de intensidade diferentes.

As estiagens resultam da ausência de chuvas, previstas para uma determinada temporada, ou da redução na sua quantidade, ou mesmo do atraso em sua chegada.

 Estiagem no Paraná (Foto: Portal Vvale/Skillfx Produções).
(Foto: Portal Vvale/Skillfx Produções).

A seca é a ausência prolongada de chuvas, sua escassez acentuada ou sua fraca distribuição. Corresponde a um período de tempo seco, suficientemente extenso, que provoque grave desequilíbrio hidrológico. A seca é a forma crônica da estiagem.


Reportagem exibe estiagem histórica na região

Colecionador de segredos em suas águas, o Rio Iguaçu é agraciado com a beleza da natureza, e citando um antigo provérbio popular: só percebemos o valor da água, depois que a fonte seca.

Assista abaixo

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta