Tradição de família

Jovem arbitro é filho de Jorge Schwartz, lenda do basquetebol catarinense

Jorginho (ao fundo) no jogo São Paulo e Basquete Cearense no NBB. (Foto: Reprodução FoxSports).
Jorginho (ao fundo) no jogo São Paulo e Basquete Cearense no NBB. (Foto: Reprodução FoxSports).

Com um sobrenome de peso, Jorge Michael Schwartz, vem honrando as tradições da família. Filho do comendador do basquetebol de Santa Catarina, Jorge Schwartz, Jorginho como é conhecido, é destaque na arbitragem chegando ao quadro de oficiais do Novo Basquete Brasil (NBB).

Jorginho com o pai Jorge Schwartz
Jorginho com o pai Jorge Schwartz

Na atual temporada, esteve na arbitragem em dois jogos. Em 29 de novembro no ginásio do Morumbi, em São Paulo 92×73 Basquete Cearense e em 10 de dezembro na Arena Carioca 1, para o confronto entre Flamengo 91×78 Rio Claro.

O começo

Jorginho com seus 13 anos, integrava as equipes de base de Porto União, que tinham no comando seu pai, Jorge Schwartz. Mas, com o passar do tempo, o jovem percebeu que seu talento estava em outro caminho.

“Joguei até 17 anos, me considerava um atleta mediano, e em 2011 me interessei em fazer alguns cursos para apitar jogos locais, primeiramente comecei como oficial de mesa, e no ano seguinte fui para a quadra e gostei muito”, diz.

Jorginho na arbitragem da Copa União em 2019
Jorginho na arbitragem da Copa União em 2019

A partir daí, Jorginho começou a se destacar na arbitragem de competições locais e regionais, foi então que em 2016 sua primeira grande chance. Foi selecionado para a arbitragem dos Jogos Escolares da Juventude, disputado em João Pessoa (PB).

Suas atuações foram elogiadas ao longo das fases eliminatórias, com isso foi premiado para apitar a grande final da competição.

Ganhando o Brasil

O ano de 2017 foi de crescimento para o jovem árbitro do Vale do Iguaçu. Jorginho seguiu atuando em importantes competições em Santa Catarina, já se preparando para uma nova oportunidade.

E ela veio no ano seguinte com a seleção para apitar jogos da Liga de Desenvolvimento de basquete (LDB). A competição envolve as categorias de base, Sub-16, 18 e 21, que prepara os atletas para integrarem o NBB.

Já em 2019, Jorginho foi selecionado para fazer parte da arbitragem da Liga Ouro, que é a segunda divisão do basquete nacional, além de jogos do Campeonato Brasileiro, promovido pela Confederação Brasileira de Basquete (CBB).

Jorginho em jogo da Liga Ouro
Jorginho em jogo da Liga Ouro

O segundo semestre foi especial para Jorginho, credenciado entre os 40 árbitros para atuarem em jogos do Novo Basquete Brasil (NBB), a elite da modalidade no país.

Antes de ‘entrar em quadra’ uma semana de cursos na cidade de São Paulo, ministrados por ex-árbitros da National Basketball Association (NBA), liga norte-americana de basquete e principal do mundo.

Mas, os sonhos do jovem árbitro de 26 anos não param por aí. Jorginho almeja integrar o quadro de árbitros internacionais de basquete, e porque não, atuar em Mundiais e Jogos Olímpicos.

“Difícil chegar, porém, é ainda mais difícil se manter, e tenho como objetivo chegar ao quadro internacional, busco muito isso”, finalizou.

 

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse.

Ao prosseguir você concorda com nossos termos de uso.