Em jogo com torcida em Brasília, Flamengo goleia e avança na Libertadores

Em jogo que marca a volta da torcida aos estádios brasileiros, o Flamengo fez sua parte e avançou às quartas de final da Copa Libertadores. Com direito a gritos de “olé” nos minutos finais, o time carioca fez boa apresentação e obteve nova vitória diante do Defensa Y Justicia, da Argentina, desta vez por goleada de 4 a 1, no estádio Mané Garrincha, em Brasília. O local contou com a presença de torcedores a partir da liberação da Conmebol para 25% da capacidade total.

Rodrigo Caio e Arrascaeta, ambos de cabeça, além de dois de Vitinho, em chutes rasteiros, anotaram os gols da vitória carioca. O rival das quartas de final sai nesta quinta-feira, em duelo entre Internacional e Olimpia em Porto Alegre. No Paraguai, o jogo terminou sem gols. Campeão de 2019 e precocemente eliminado nas oitavas de 2020, os cariocas estão nas quartas e fortes na busca por mais uma decisão. Independentemente do rival, a decisão será com o Flamengo como mandante no segundo jogo.

A terceira vitória de Renato Gaúcho com o Flamengo poderia vir com placar ainda mais amplo não fosse a trave e um gol dado de presente pelo goleiro Diego Alves. Foram três carimbadas no poste e uma falha bizarra do goleiro, acertando o argentino e vendo a bola morrer no gol. O novo comandante segue invicto, com 100% de aproveitamento, e cumprindo a promessa de jogos bonitos.

Flamengo e Defensa Y Justicia entraram no Mané Garrincha com boas lembranças atuando no estádio em 2021. Os cariocas ergueram a Supercopa do Brasil enquanto os argentinos conquistaram a Recopa Sul-Americana, ambos batendo o Palmeiras nos pênaltis.

Desta vez, com cantoria de verdade. Nada de sistema de som para motivar os mandantes. O jogo marcou a volta do público aos estádios do Brasil após 17 meses. A Conmebol liberou a presença de 25% da capacidade total do estádio. Mesmo assim os cariocas não venderam todos os ingressos por causa dos altos preços. O mais barato saia por R$ 140,00.

Depois de lamentar bastante a ausência de seus torcedores, o Flamengo já pisou no gramado com enorme apoio. O “vamos Flamengo” ecoava alto para empurrar o time às quartas de final. Em seu terceiro jogo no comando do time rubro-negro, Renato Gaúcho já contava com a força máxima. Rodrigo Caio e Bruno Henrique eram os titulares que ainda não haviam jogado sob direção no novo comandante.

Mostrando estar recuperado das dores no joelho, o atacante foi logo enfileirando marcadores. O passe final, porém, não foi bom. Do lado argentino, somente com Bou no ataque, a aposta era nos contragolpes. Mesmo necessitando do triunfo.

Apesar de Bruno Henrique estar elétrico, o primeiro gol do jogo saiu do outro “estreante” de Renato Gaúcho. Everton Ribeiro cobrou escanteio na cabeça de Rodrigo Caio. Com oito minutos, o Flamengo dava passo enorme para a classificação. E com show de bola como o prometido. Era ataque contra defesa.

Com menos da metade do primeiro tempo, os argentinos já mexeram. Curiosamente, para melhorar a defesa. Beccacece colocou Tripichio no lugar de Contreras para tentar “equilibrar” o jogo e evitar vexame. O meia-atacante saiu muito bravo e chutou o microfone na beira do campo.

A pressão seguia. Bruno Henrique já havia carimbado a trave e Arrascaeta o imitou, sendo parado pelo travessão. Caçado em campo, Gabriel, só era parado com faltas. Chegou a mandar beijo para um rival que o derrubou. Levou amarelo por indisciplina, mesmo apanhando muito.

O jogo estava tão tranquilo para o Flamengo e mesmo assim a equipe resolveu criar uma pressão desnecessária ao dar um gol de presente aos argentinos. Toques de bola na defesa e Diego recua para Diego Alves. O goleiro tenta dar um chute por elevação e carimba Loaiza. A bola acaba no fundo das redes. Foi o primeiro gol sofrido pelo time após a chegada de Renato, que não acreditou no ocorrido. Falha bisonha e argentinos de volta à disputa. Mesmo sem fazer nada, o massacrado Defensa Y Justicia conseguiu ir ao descanso com empate e sonhando em surpreender. A virada valia a classificação.

O Flamengo retornou dos vestiários assustando em cabeçada de Gustavo Henrique. Os argentinos, por outro lado, mais atrevidos e sonhando com a classificação. Agora quem apelava às faltas era o Flamengo. O domínio da primeira etapa já não existia mais em 10 minutos equilibrados.

Então, Renato Gaúcho optou por seu talismã Michael em campo. Logo no primeiro lance, o atacante chutou na trave e Arrascaeta aproveitou o rebote para recolocar o time na frente do placar em voo de cabeça. Alívio para Diego Alves e festa do time e do treinador. Ao voltar a mandar no placar, o Flamengo não teria mais sua vitória ameaçada. E ainda teve espaço para mais. Vitinho, dois minutos após substituir Bruno Henrique, ampliou em chutaço de fora da área. Transformaria a vitória em goleada no último lance.

FICHA TÉCNICA:

FLAMENGO 4 x 1 DEFENSA Y JUSTICIA

FLAMENGO – Diego Alves; Isla (Matheuzinho), Rodrigo Caio, Gustavo Henrique e Filipe Luís Willian Arão, Diego, Everton Ribeiro (Michael) e Arrascaeta; Bruno Henrique (Vitinho) e Gabriel. Técnico: Renato Gaúcho.

DEFENSA Y JUSTICIA – Unsain; Matías Rodríguez (Merentiel), Frías, Paredes, Cardona e Soto; Escalante , Loaiza (Rivero)e Rotondi(Lucas Barrios); Contreras (Tripichio) e Bou. Técnico: Sebastián Beccacece.

GOLS – Rodrigo Caio, aos 8, e Loaiza, aos 40 minutos do primeiro tempo. Arrascaeta, aos 11, e Vitinho, aos 37 e aos 49 do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Gabriel Barbosa, Diego e Everton Ribeiro (Flamengo); Frías (Defensa Y Justicia).

ÁRBITRO – Roberto Tobar (CHI).

RENDA E PÚBLICO – Não divulgados.

LOCAL – Estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF).

0 COMENTÁRIOS