Baleia é encontrada morta no litoral paranaense

Uma baleia-fin (Balaenoptera physalus) foi encontrada morta e em estado avançado de decomposição, na última terça-feira (21), na praia grande da Ilha do Mel, em Paranaguá. A baleia é um macho adulto, medindo quase 20 metros.

A equipe do Laboratório de Ecologia e Conservação (LEC), via Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), aguardou melhores condições oceanográficas e encaminhou duas equipes até a ilha na manhã desta quarta (22) para o registro do encalhe e coleta de materiais biológicos e avaliação da condição da carcaça.

Segundo a bióloga, Camila Domit, é a primeira vez que o encalhe de baleia-fin é registrado no Paraná. “Este é um registro incrível para a nossa região e o trabalho da equipe que conduz a necropsia permitirá que os pesquisadores avaliem a condição de saúde e a possível causa da morte do animal”, ressalta a coordenadora do laboratório. Amostras biológicas serão enviadas para laboratórios parceiros para apoiar projetos de pesquisa direcionados a esta espécie de amplo interesse global!

A operação de atendimento do encalhe também mobilizou o Instituto Água e Terra (IAT) e 27 servidores da Prefeitura de Paranaguá @prefspgua para destinar a carcaça do animal devido a estrutura e logística disponível na ilha. O procedimento para enterrar a carcaça da baleia acontece em conformidade com o Protocolo de Atendimento a Encalhes de Animais Marinhos no Litoral do Paraná – PRAE (SEDEST/IAT/IBAMA).

Sobre a Baleia-Fin

A baleia-fin é a segunda maior espécie de baleia existente no oceano (maior do que ela apenas a baleia azul). É considerada uma espécie ameaçada de extinção e está envolvida no Plano de Ação Nacional para Conservação de Espécies Ameaçadas de Extinção – PAN/ICMBIO.

Sobre o PMP-BS

O Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural na Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama. O projeto tem como objetivo avaliar possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, através do monitoramento das praias e atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos encontrados mortos.

O PMP-BS é realizado desde Laguna (SC) até Saquarema (RJ), sendo dividido em 15 trechos. O Laboratório de Ecologia e Conservação da Universidade Federal do Paraná (LEC/UFPR) é responsável por monitorar e avaliar os encalhes no Trecho 6, abrangendo os municípios de Guaratuba, Matinhos, Paranaguá, Pontal do Paraná e Guaraqueçaba (PR).

Com informações Bem Paraná

0 COMENTÁRIOS

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse.

Ao prosseguir você concorda com nossos termos de uso.