“Graças a Deus estamos vivos”, relatam testemunhas de desabamento

·
Atualizado há 4 semanas

Parte da estrutura de uma antiga empresa localizada na rua Dário Antonio Bordin, no centro de União da Vitória, desabou na tarde de quarta-feira, 27, e, por pouco, não atingiu quatro pedestres e um veículo.

Três das pessoas que passavam pelo local são da mesma família: pai, mãe e filha. A mãe, Thaiane Rocha, narrou à reportagem o ocorrido. “Graças a Deus estamos vivos. Por questões de segundos aquilo tudo poderia ter caído em cima da gente”.

Thaine e o marido, Mauri, chegaram a pouco tempo em União da Vitória. A família, que é de Salvador, mudou de endereço para que Mauri represente a Associação Atlética Iguaçu durante a segunda divisão do Campeonato Paranaense.

No momento do ocorrido, a família estava indo até o estádio Antiocho Pereira para acompanhar um jogo treino quando, ao passar pela rua Dário Antônio Bordin, foram surpreendidos pelo desabamento da estrutura. A família conseguiu correr e por pouco não foram atingidos. “Estávamos indo para o treino e, quando passamos pela rua, que não tinha nenhuma sinalização de obra, o desabamento aconteceu”.

O desespero foi grande. Eles correram para o meio da rua para se salvar. Felizmente, o condutor de um veículo que fazia o trajeto, ao ver o desabamento, mudou de direção e foi para outra pista, do contrário, a família que quase ficou embaixo dos escombros poderia ter sido atropelada.

Vídeo do momento do desabamento:

Thaiane lembra que o marido comentou ter visto uma rachadura e sugeriu que eles atravessassem a rua. A decisão, contudo, não foi tomada a tempo.  A estrutura cedeu e levou consigo dois postes de energia elétrica, um deles teve os fios rompidos, o que gerou grande número de faíscas.

Apesar do grande susto, nenhum membro da família teve ferimentos graves. Laura, de oito anos, filha do casal, raspou o joelho durante uma queda enquanto a família corria do desabamento. 

Nas redes sociais Thaine fez o desabafo e disse que eles nasceram de novo:

Nesse momento meu coração só agradece a Deus! Dia 27/03/2024 vai ficar guardado na memória como o dia que Deus nos livrou da morte. Nascemos de novo! Pra Honra e Glória do Senhor!.

Relato dos fatos: Hoje estávamos indo ao estádio para um jogo treino do meu marido no clube que ele esta aqui no Paraná. E no caminho estávamos felizes conversando sobre nossos projetos, quando passávamos pela calçada vimos um casarão antigo. Mauri percebeu que dentro do terreno onde estava esse casarão tinha um trator desses de demolição mas não havia nenhum isolamento da área ou se quer da pista. Sem sinalização de que ali estaria fazendo alguma demolição. Enfim.

Há 10 passos de onde estávamos em questão de segundos o casarão caiu e ele iria cair em cima da gente!.

Agora eu e minha família poderíamos não estar mais aqui pra contar o que aconteceu. Só vi uma fumaça branca muito densa que cobriu tudo, um poste que estava próximo da gente entortou e os fios do poste quase nos acertaram. Corremos para o outro lado da pista para nos proteger e graças a Deus. Porque ELE nos livrou da morte! Graças ao SENHOR ESTAMOS BEM!

Quero agradecer ao presidente e comissão do @aaiguacu por todo apoio e acolhimento a minha família. Por me acompanhar e me dar o suporte necessário!! Deus abençoe vocês!!.

O SENHOR É BOM E A SUA MISERICÓRDIA SE RENOVA A CADA MANHÃ!. É ELE QUEM NOS GUARDA! O LAÇO SE QUEBROU E NÓS ESCAPAMOS! OBRIGADA MEU PAI PELO SEU AMOR COM MINHA FAMÍLIA.

 

Passei por ali por acaso, nunca faço esse trajeto

João Jair Sepanhaki era o motorista do carro que aparece no vídeo. À reportagem do Portal Vvale, João relatou que não costuma passar pela via mas que, naquela quarta-feira, estava voltando de viagem e passou pela Dário Antônio Bordin pois havia ido buscar a filha para levá-la ao trabalho. 

João atribui seu rápido reflexo à ajuda divina. “Eu costumo dizer que a gente nem sempre pode contar com a sorte. É Deus também. Reflexo eu tive ali também, pois quando eu vi a parede caindo, minha única reação mesmo foi pisar fundo e jogar para outra pista. Quando a parede saiu do chão, eu senti o vácuo atrás assim, sabe? Forte, aquele paredão de poeira. É Deus. Nem sempre é sorte somente, né? Deus te guarda e é isso aí”. 

"Graças a Deus estamos vivos", relatam testemunhas de desabamento
João Jair Sepanhaki. Foto: Acervo Pessoal.

Contamos para João sobre o relato de Thaiane de que, graças a seu reflexo rápido, a família escapou de um atropelamento. “Deus sempre ilumina o caminho da gente, né? Graças a Deus que mais vidas foram salvas também, porque o que aconteceu ali realmente não tem explicação, sabe? É só Deus. É só Deus mesmo”.

Atendimento

Uma equipe do Samu foi a primeira a chegar ao local do desabamento. Rapidamente, isolaram a área e verificaram se pessoas estavam sob os escombros. O barulho, segundo eles, foi alto. 

“Fiquei orgulhoso do Samu, fomos rápidos, tenho orgulho da minha equipe, sempre preparados para ajudar” afirmou Evaldo Dirceu Raczkoviak gerente operacional do Samu.

Fique sempre atualizado

Entre no nosso grupo do WhatsApp e siga nosso perfil no Instagram para não perder nenhuma notícia!