GREVE DOS PROFESSORES: Prefeitura e Uniuv entram em atrito

Desgaste entre as instituições sai dos bastidores

A greve dos professores, iniciada na terça, 12, ganhou um novo capítulo no final da tarde de ontem. Por volta das 17 horas, o Centro Universitário da Cidade de União da Vitória (Uniuv), publicou em suas redes sociais, uma Nota Oficial, contrariando uma manifestação da Prefeitura, horas antes, também nesta quinta, 14.

Enquanto os professores reivindicam, entre outras pautas, melhores salários, a Prefeitura alega falta de recursos. Em sua defesa, coloca a Uniuv com um dos pivôs principais para a escassez, logo, “que hoje impacta, fortemente, no índice de pessoal”, conforme a nota.

A frase foi respondida em tom duro pela Uniuv, que em sua Nota Oficial, rebateu: “Chegando próximo dos reajustes salariais, outra vez a culpa é da UNIUV. Só que não!”, diz, o primeiro parágrafo da redação. O texto aponta números e ressalta que quem paga o salário de seus próprios servidores, é ela mesma.

A Nota da Uniuv termina com votos de apoio à greve dos professores municipais e ainda critica a divulgação do material da Prefeitura.

Até o final dessa edição (18 horas, de ontem), a Prefeitura não havia feito nenhuma tréplica em relação à publicação da Uniuv que contradisse a administração municipal.

NOTA DA PREFEITURA DE UNIÃO DA VITÓRIA

NOTA OFICIAL

            Tendo em vista a greve deflagrada pelo Sindicato do Magistério Municipal de União da Vitória, no dia 12/03/2019, pleiteando, em suma, reajustes salariais, avanços da categoria e reparos/manutenções nas Escolas e CEMEIS, a Administração Municipal, na tarde do mesmo dia 12, terça-feira, atendeu os representantes do Sindicato no Gabinete do Prefeito Municipal, onde foi esclarecido o seguinte:

            Quanto aos reajustes salariais e avanços da categoria, a Administração deixou claro que, atualmente, está impedida, por lei, de concedê-los, em razão do índice de folha com despesas de pessoal, problema este que afeta quase todos os Municípios do País, em razão, especialmente, da diminuição de receitas, bem como pela grave crise financeira que assola o Brasil.

            Importante frisar que, mesmo diante de tal quadro, o Município manteve os salários e 13º. salários de todos os seus servidores absolutamente em dia, bem como sempre concedeu as suas reposições salariais, nas épocas próprias, rigorosamente atendendo a legislação em vigor.

            Na reunião, foi informado ao Sindicato da categoria as diversas medidas já tomadas, bem como as em andamento, por parte da Administração, no sentido de abaixar tal índice, num curto espaço de tempo, tais como: remanejamentos administrativos em todos os setores do Município, cortes de horas extras, funções gratificadas, ações visando à retirada da folha de pagamento da UNIUV do Executivo (que hoje impacta, fortemente, no índice de pessoal), bem como atitudes concretas no sentido aumentar a sua arrecadação, para que, tão logo possível, possa atender as demandas da Educação e de todos os Servidores Municipais.           

            Quanto às reformas/manutenções de Escolas e CEMEIS, o Prefeito Municipal já determinou prioridade máxima para contratação de empresa, através de Licitação, de forma a iniciar o mais breve possível os reparos de tais locais, problemas estes que, diga-se, já vem de Administrações anteriores, sendo necessário tratar tal assunto como prioridade.

            Desta forma, a Administração já vem realizando tudo o que é legalmente possível para restabelecer tal índice. Portanto, inexiste qualquer motivo plausível para tal greve, muito menos para a sua continuidade, tendo em vista que a paralisação se mostra como último ato a ser tomado (quando inexiste o diálogo!), especialmente em face dos danos que geram aos pais e alunos, bem como a todos os envolvidos, na medida em que o Município busca a constante melhoria da Educação Municipal, sempre atento a valorização dos professores, em todos os sentidos.

            Por fim, e em face do acima exposto, o Município espera e conta com a compreensão e entendimento da situação posta, por parte de todos os envolvidos, pois está realizando o que é possível, dentro do que permite a Lei, razão pela qual, espera seja finalizada esta paralisação, o mais breve possível, para que a Educação retorne ao seu trabalho, já ciente de toda a situação exposta.                  

                                                         HILTON SANTIN ROVEDA

                                                              Prefeito Municipal

NOTA DA UNIUV

Uniuv impacta apenas 1% no índice de folha de pagamento do Município de União da Vitória

Mais do mesmo. Chegando próximo dos reajustes salariais, outra vez a culpa é da UNIUV. Só que não! É importante esclarecer a verdade dos fatos diante da tendenciosa nota veiculada pela Prefeitura. A UNIUV é uma Fundação Municipal de direito público e autossustentável, ou seja, possui autonomia administrativa e quem paga o salário de seus servidores não é a prefeitura. Em 2018 a UNIUV arrecadou quase R$ 13 milhões de reais, representando 8,76% da arrecadação anual do Município, em se tratando da Receita Corrente Líquida. Ao contrário do que afirmou o prefeito Hilton Santin Roveda, em nota divulgada no perfil da prefeitura, afirmando que a UNIUV impacta “fortemente” na despesa de pessoal, esqueceu-se de apresentar que o total é de 1%. Repetindo: apenas 1% é o que a UNIUV impacta na despesa de pessoal do município. O índice atual é de 54,31%, e na hipótese de a UNIUV não existir, o município ainda estaria acima do limite prudencial com 53,19%, estando impedido de conceder vantagens, nomeações, aumentos, reajustes e funções gratificadas, criação de cargos, empregos ou funções, e outros atos que gerem mais despesas, ressalvado casos de aposentadorias, ou falecimento de servidores nas áreas de educação, saúde e segurança, conforme o que preconiza a Lei de Responsabilidade Fiscal. Informações que não condizem com a verdade são tendenciosas e causam danos a uma instituição que este ano completa 45 anos de existência e tanto já contribuiu com a formação superior de milhares de pessoas da região.

A EDUCAÇÃO de qualquer nível é o maior patrimônio que a sociedade pode ter e não se vira as costas para isso. A UNIUV entende ser perfeitamente legítima, apoia a manifestação dos professores da rede municipal, e coloca-se à disposição da sociedade para quaisquer esclarecimentos.

Centro Universitário de União da Vitória | UNIUV

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta