Summit Sebrae estimula o contato com a inovação e tecnologia para empreendedores

Evento começou nesta quarta-feira e deve contar com a presença de mais de 1,5 mil empreendedores

 Legenda da foto: Evento espera reunir mais de 1,5 mil empreendedores em Curitiba (crédito - Inove Foto & Vídeo)
Legenda da foto: Evento espera reunir mais de 1,5 mil empreendedores em Curitiba (crédito – Inove Foto & Vídeo)

Começou nesta quarta-feira (9), em Curitiba, a segunda edição do Summit Sebrae, o maior evento de empreendedorismo do Paraná. O Summit forma o ambiente ideal para o desenvolvimento de negócios com potencial de crescimento, networking e compartilhamento de informações que possam promover o empreendedorismo e empresas.

Durante dois dias, o público poderá conferir as falas de dez palestrantes de alcance nacional e internacional relacionadas a gestão, inovação e mercado, conhecer os produtos e serviços de mais de 100 empresas, realizar oficinas criativas e de ensino de metodologias ágeis, explorar tecnologias e modelos de negócios inovadores, além de estimular a realização de rodadas de negócios entre empreendedores.

A abertura oficial contou com a participação do vice-governador do Paraná e presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae/PR, Darci Piana, do diretor-superintendente do Sebrae/PR, Vitor Roberto Tioqueta, do chefe da Casa Civil do Governo do Estado, Guto Silva, e do vice-prefeito de Curitiba, Eduardo Pimentel.

Piana destacou a importância do evento para a inovação e o crescimento.

“Estamos passando por um período de grandes mudanças tecnológicas, o que exige que os empresários se atualizem de maneira ainda mais ágil. O Summit Sebrae é uma excelente oportunidade para que os nossos empreendedores sejam preparados e ampliem negócios”, explica.

O diretor-superintendente do Sebrae/PR ressaltou que a atuação dos empreendedores tem grande importância para o cenário econômico brasileiro.

“O Summit Sebrae, apenas na sua segunda edição, consolida um modelo de experiência e networking para empreendedores de micro e pequenas empresas, que são a força que move a economia”, descreveu Tioqueta.

Guto Silva explicou como o evento também está de acordo com a atuação do Governo do Estado na busca pela inovação em seus processos e serviços.

“O Paraná fez uma opção pela inovação e temos um trabalho claro de conectar as pessoas e estimular os ecossistemas empreendedores para que nossas empresas geram mais negócios que impactem a vida das pessoas. E o Sebrae é um ator essencial nesse processo”, afirmou.

 Legenda da foto: Na abertura, Jaqueline Weigel, CEO da W Futurismo, abordou o futuro dos negócios (crédito - Inove Foto & Vídeo)
Legenda da foto: Na abertura, Jaqueline Weigel, CEO da W Futurismo, abordou o futuro dos negócios (crédito – Inove Foto & Vídeo)

Palestra de abertura

Abrindo a programação do Summit Sebrae 2019, Jaqueline Weigel, CEO da W Futurismo, abordou o futuro dos negócios que, segundo ela, não dependem tão somente de conceitos como inovação e digitalização. Para a futurista global, é preciso pensar em futuros plurais que envolvem a transformação cultural de todo o planeta.

“As empresas precisam entender a nova demanda da sociedade para conseguir adaptar os seus negócios. Inovação faz parte, mas é uma pequena fração de tudo que está vindo por aí. Gosto muito de olhar para o que não está sendo visto. Por isso, vejo que novas rotas de negócios estão surgindo – e elas são totalmente diferentes do que já vimos”, comentou.

Dentre as novas vertentes que vêm ganhando força, a palestrante destacou os modelos de trabalho e as novas formas de hierarquizar a gestão dos negócios.

“Na antiga hierarquia, a média gerência tenta fazer o negócio dar certo e o restante da equipe segue as ordens. Hoje, vemos um modelo horizontal, em que todos os envolvidos precisam conhecer o idioma digital e do futuro para tomar decisões coerentes”, enumerou.

No Brasil, Jaqueline acredita que o movimento está ganhando força. Para isso, ela cita o conceito do êxodo corporativo, um movimento em que empresários de carreira deixam de lado os modelos tradicionais de trabalho para apostarem nos chamados “trabalhos do futuro”.

“Vemos pessoas saindo de ambientes convencionais para postos onde os horários são flexíveis, há possibilidade de fazer home office e liberdade quanto à vestimenta e rotina. É um movimento intenso porque quem experimenta a liberdade no trabalho percebe que, para a produtividade, não é preciso ter uma rotina limitante”, instruiu.

Fluência de futuro

Nesse sentido, diante de um movimento que vem ganhando força, a futurista indicou alguns passos para que as pessoas se preparem para obter fluência de futuro. Dentre eles, está a capacitação.

“Pessoas que estão à frente de negócios precisam se alfabetizar para o futuro, ou seja, entender como ele fará parte do presente e qual é o nosso papel nisso. O segundo passo é compreender que o planejamento estratégico da antiga escola de negócios está falido. A projeção vai além dos cenários e tendências. É pensando e procurando foresights (previsões baseadas em estudos específicos de cada setor) que conseguimos planejar e, ao mesmo tempo, prospectar”, enfatizou Jaqueline.

Por último, o grande ponto, segundo a CEO da W Futurismo, é a visão. “Ninguém mais quer trabalhar para líderes de cabeça velha. É preciso olhar para longe, pensar de forma global e agir de maneira local. Nós somos empreendedores e empreender é, mais do que nunca, uma atitude. Essa é a virada. As necessidades do futuro são um caminho sem volta e quem não se atentar para o glossário do futuro vai iniciar a rota para o fim”, concluiu Jaqueline.

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta