Programa Voe Paraná retorna com União da Vitória na rota

Além do município, outras 14 cidades receberão voos comerciais; retomada em União da Vitória deve acontecer no início de 2022

(Divulgação/Assessoria)

A companhia aérea Azul anunciou na terça-feira, 19, uma expansão de funcionamento no Paraná. Em evento realizado em Campinas (SP) com a presença do governador Carlos Massa Ratinho Junior, a empresa informou que irá retomar as operações nas cidades de Ponta GrossaToledoPato Branco e Guarapuava, que haviam sido paralisadas devido à pandemia. Os voos nessas linhas passam a acontecer em dezembro, em aeronaves ATR, com capacidade para 70 passageiros.

Além da retomada nessas quatro cidades, a empresa também anunciou a inclusão de mais 11 destinos, já no início de 2022. As cidades contempladas serão: UmuaramaGuaíraParanavaíFrancisco BeltrãoCornélio ProcópioCianorteCampo MourãoTêlemaco BorbaArapongasApucarana e União da Vitória.

Segundo o governador, a expansão ajudará o Paraná a se tornar um importante concentrador de fluxos de transporte.

“Estamos trabalhando muito para fazer do Paraná uma central logística da América do Sul. Isso precisa englobar as áreas rodoviária, aeroportuária, ferroviária e a aviação, que é tão importante para o desenvolvimento de uma região. Hoje, essa parceria com a Azul consolida o Paraná como uma das principais praças da aviação regional do Brasil”, afirmou.

(Divulgação/Assessoria)

Com a inclusão dos novos destinos dentro do programa Voe Paraná o Estado terá, segundo o deputado estadual e líder do Governo, Hussein Bakri, o maior programa de aviação regional do país.

“Gostaria de comemorar com todos os colegas a retomada completa do programa Voe Paraná. Quero anunciar aqui que o nosso Governador [Ratinho Junior], o chefe da Casa Civil, Guto Silva, e [o secretário de Infraestrutura e Logística] Sandro Alex estão em Campinas e recebo a informação de 15 rotas operadas pela Azul. Quatro rotas em dezembro agora e 11 rotas ao longo do início de 2022. A Azul já opera em Curitiba, Foz do Iguaçu, Cascavel, Londrina e Maringá, sendo o Paraná o estado com maior número de destinos dessa companhia”, relatou o deputado na sessão da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) de terça-feira, 19.


Voos em União da Vitória

Em 2019, União da Vitória foi uma das contempladas pelo Voe Paraná. No dia 22 de outubro daquele ano, o município recebeu seu primeiro voo comercial em 50 anos. A linha ligava o município a Brasília, em uma viagem de pouco mais de quatro horas. Para tanto, era realizada uma conexão em Curitiba. Dessa forma, uma viagem entre União da Vitória e a capital poderia ser realizada em cerca de 55 minutos. As viagens de Curitiba para União da Vitória aconteciam às terças, quintas e domingos, às 12h15. O mesmo trajeto levava a Francisco Beltrão, no Sudoeste do Estado. Os voos de União da Vitória para Curitiba eram realizados às 15h45.

(Divulgação/Assessoria)

Para que pudesse receber voos comerciais, o Governo do Estado e a prefeitura realizaram investimentos de R$ 2 milhões no Aeroporto Municipal José Cleto. O asfalto da pista recebeu recape e as instalações foram melhoradas para garantir mais conforto aos passageiros. Em 2020, contudo, os voos foram suspensos. O retorno, previsto para 2022, traz esperança para o município e a região.

“Recebemos nesta terça-feira, com satisfação, a notícia, através do líder do governo, deputado Hussein Bakri, governador Ratinho Junior e Guto Silva, da volta do Voe Paraná. Algo importante, uma conquista que tivemos no passado junto com o ex-prefeito Santin [Roveda], com toda a classe política e agora no final do ano o voe paraná retorna. É um grande caminho para o nosso desenvolvimento. Uma linha aérea que é uma reivindicação de muito tempo. Quando a gente fala na geração de emprego e renda é muito importante termos essa linha aérea de acesso, então ficamos muito contentes. Isso mostra o empenho e a força política. Todos unidos para o bem de União da Vitória”, comentou o prefeito, Bachir Abbas.


Fortalecimento do turismo regional

(Divulgação/Assessoria)

Para o governador, a expansão no número de rotas vai ao encontro de uma das vocações do Estado: o turismo de natureza. Segundo ele, destinos concorridos e bastante procurados durante a pandemia estarão ainda mais acessíveis – tais como a Ilha do Mel, o Parque Vila Velha, em Ponta Grossa, as Cataratas do Iguaçu, as cachoeiras de Prudentópolis e as praias de Porto Rico. Todos eles têm aeroportos próximos.

“É um volume de atrações que vem crescendo muito no Paraná, e a aviação regional faz o acesso a esses destinos ficar muito mais rápido. De Curitiba, você está a uma hora de qualquer outra cidade do Paraná por avião; assim como a pessoa que está em Guaíra e quer ir para a Capital fechar um negócio ou visitar o Litoral. Essa proximidade que a aviação regional traz otimiza a economia e fortalece a geração de empregos”, pontuou o governador.

(Divulgação/Assessoria)

O secretário estadual do Desenvolvimento Sustentável e do TurismoMárcio Nunes, reforçou a importância dos novos trechos para fortalecer a economia regional.

“O deslocamento de curta distância é uma tendência que a pandemia trouxe. Como era impossível viajar para o Exterior, o Paraná tomou o cuidado de se preparar para receber o turista local. E, agora, o momento é histórico, com a Azul acreditando no Paraná e conectando várias cidades a todo o Brasil”, declarou.

0 COMENTÁRIOS

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse.

Ao prosseguir você concorda com nossos termos de uso.