IAP apreende madeira de corte ilegal de vegetação nativa

Ocorrência foi em Paulo Frontin, e o responsável deve se apresentar no IAP para a aplicação do auto de infração ambiental

Fiscais do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), regional de União da Vitória, identificaram nessa quinta-feira (13), no município de Paulo Frontin, uma área de corte de vegetação nativa ilegal, equivalente a 1,43 hectares de desmate. (Foto: Divulgaação/IAP).
Fiscais do IAP, regional de União da Vitória, identificaram uma área de corte de vegetação nativa ilegal, equivalente a 1,43 hectares de desmate em Paulo Frontin (Foto: Divulgação/IAP).

Fiscais do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), regional de União da Vitória, identificaram na última quinta-feira, 13, no município de Paulo Frontin, uma área de corte de vegetação nativa ilegal, equivalente a 1,43 hectares de desmate. A ação foi realizada a partir de denúncias que chegaram ao órgão. O desmatamento ilegal é considerado crime ambiental, previstos na Lei Federal nº 9.605/98 e Decreto Federal nº 6.514/08.

O responsável pela área foi notificado para se apresentar ao IAP nesta segunda-feira, 17, e trazer documentação pessoal e do imóvel para ser aplicado o auto de infração. Com a forte presença de produção de fumo na região, a suspeita é que a madeira seria utilizada para a queima em estufas do produto. “Quem utiliza estufa de fumo clandestinamente ainda utiliza lenha de mata nativa”, explica o fiscal da regional do IAP de União da Vitória, Renato Vicente Lachovski.

Multa

O responsável será punido por desmatamento de vegetação nativa, contendo na lista o corte de espécie ameaçada de extinção, como a árvore Sassafras Albidum. A multa será aplicada no valor de R$ 18 mil. A carga de cerca de 250 metros de lenha foi apreendida e será feito o embargo da continuação da atividade ilegal.

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta