Aterro da cabeceira da ponte José Richa estará na cota 750

(Foto: CMUVA).
(Foto: CMUVA).

A dúvida foi sanada: o aterro no lado de São Cristóvão da ponte José Richa estará livre de uma eventual enchente. O esclarecimento foi feito pelo vereador Jair Brugnago que, usando a tribuna na sessão desta segunda-feira, 25, falou sobre o tema. Ele lembrou que essa era uma dúvida da comunidade, levada ao prefeito Santin Roveda que horas antes da reunião falou sobre o assunto em um encontro em seu gabinete.

“Era uma preocupação, havia realmente rumores, mas o prefeito nos deixou tranquilos garantindo que a obra ficará na cota 750”, disse o parlamentar.

Vale lembrar que ‘cota’ é uma medição da vazão média das enchentes, feita de acordo com a Usina de Foz do Areia. Para se ter ideia, em 1983, quando o Iguaçu marcou 10,42 metros, a cota registrada foi de 750,03.

Ainda na tribuna, Brugnago fez uma pequena prestação de contas sobre as medidas da prefeitura para o enfrentamento da Covid-19.

“União da Vitória está fazendo a lição de casa e garantindo que atendendo as orientações da saúde, a economia não sofra prejuízos”, destacou. A mais recente medida, vale lembrar, foi o bloqueio de espaços públicos, como o Morro do Cristo, praças e com mais intensidade, o Parque Ambiental, onde a prefeitura colocou barreiras para evitar a entrada de veículos.

Mesmo com a Covid, algumas intervenções seguem acontecendo. Em seu pronunciamento, o presidente da Casa, Ricardo Sass, lembrou de uma delas, o aporte da Sanepar para a cidade, fruto da atuação dos deputados junto o governo de Estado. Sass mencionou o trabalho de Alexandre Curi.

“Curi vem fazendo um belo trabalho e os recursos que agora vem para a cidade, para resolver diversos problemas, é fruto da ação dele, dos deputados com o governo do Paraná”, ressaltou.

Ainda, em entrevista à TV Câmara, Sass falou sobre uma discussão conjunta, das prefeituras de União e de Porto União, sobre o não incentivo à esmola nos sinaleiros.

“A pessoa está pedindo ali, evite. Mande essa pessoa na ação social. Temos essa secretaria justamente para isso, para auxiliar quem realmente precisa. Não dê esmolas, não incentive. Quem se sentir assediado por essas pessoas, que as vezes fazem uma abordagem abrupta, que constrange, faça um boletim de ocorrência. Com isso a Polícia Militar vai saber onde atuar”.

A pauta da sessão abriu espaço ainda para a entrada do Projeto de Lei (PL) 2/2020, de Almires Bughay Filho e Emerson de Souza. Os vereadores propõem a discussão de “auxilio funeral gratuito, destinado à pessoas hipossuficientes”. Foi justamente sobre isso que Bughay falou na tribuna. Ele pediu celeridade ao andamento do PL nas comissões e também a participação dos demais vereadores para sugestões.

Usou este espaço também, o vereador Valdecir Ratko. Ele sugeriu que agora, com o bloqueio, que o Parque Ambiental passe por reforma, com pinturas e melhorias nos espaços de uso comum. Ainda, sugeriu o fechamento permanente do endereço no período noturno.

“Passando essa pandemia, seria interessante que o parque estivesse sempre fechado a noite porque o barulho das festas, da música, é incomodo aos vizinhos, trabalhadores que precisam descansar”.

Ratko sugeriu ajustes também em todos os aparelhos de lazer agora bloqueados, bem como a instalação das peças da academia ao ar livre. Sobre a popular e histórica casa do Coronel Amazonas, ele falou sobre restauração.

“É um imóvel que precisa de atenção. Eu fiquei abrigado na casa na enchente de 83, tinha nove anos, lembro que na casa não entrou água e na época, minha tia chegou a dar entrevista para o Fantástico, falando da história dos Amazonas”.

Moções

Foram duas aprovações. De autoria da vereadora Alandra Roveda, um Voto de Aplausos pela passagem do Dia do Gari. “Profissionais indispensáveis ao bem estar de toda e qualquer sociedade, o gari realiza um trabalho de extrema importância e ainda colabora com a saúde pública”.

O Voto de Aplausos proposto por Brugnago, foi para Lili Trentin Gaspari. Dona de um amplo currículo, a professora, historiadora e escritora, Leni “colaborou ao longo de sua carreira para que a educação e o conhecimento fizessem parte do cotidiano de todos”.

Audiência

A prestação de contas do primeiro quadrimestre do Executivo, do Legislativo e da Secretaria da Saúde, acontece na sexta-feira, 29, às 10 horas, no plenário da Câmara. Na ocasião, será apresentada ainda a Lei de Diretrizes Orçamentárias para o exercício de 2021. Dessa vez, por conta das medidas de distanciamento, a audiência acontece de maneira interna, sem público, mas com conteúdo em transmissão na integra, ao vivo, pelo site da Câmara, o http://cmuva.pr.gov.br/. “Somos convidados para participar, nós vereadores e especialmente a Comissão de Finanças. É uma audiência conduzida pelo Executivo onde vamos disponibilizar a transmissão na integra, ao vivo”, reforçou o presidente do Legislativo.

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta