Deputada requere mais casas abrigo para mulheres em situações de violência

Ao todo, o Paraná conta com apenas onze dessas unidades de acolhimento

Deputada estadual Luciana Rafagnin (PT) (Foto: Divulgação/Assessoria).
Deputada estadual Luciana Rafagnin (PT) (Foto: Divulgação/Assessoria).

A deputada estadual Luciana Rafagnin (PT) protocolou na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) nesta segunda-feira, 21, um requerimento ao governador Ratinho Júnior (PSD), solicitando que o estado amplie o número de casas abrigo para atendimento às mulheres em situação de violência no Paraná.

Ao todo, o Paraná conta com apenas onze dessas unidades de acolhimento para dar conta de um drama presente nos seus 399 municípios.

Segundo a solicitação da deputada, muitas mulheres deixam de denunciar a violência sofrida por não terem condições de se afastar do agressor e não terem para onde ir. “As casas abrigo servem para assegurar à mulher o direito de denunciar e a garantia de um local seguro para sua permanência e dos filhos nesse momento de maior fragilidade”, disse Luciana.

A violência contra as mulheres causa danos físicos, morais, psicológicos, socioeconômicos e patrimoniais às vítimas. As unidades de acolhimento especializadas, como as casas abrigo, possuem todo um fluxo de atendimento que visa promover o empoderamento das mulheres, sua cidadania, o encaminhamento para o trabalho e sua autonomia financeira.

Os municípios que possuem casa abrigo no Paraná, além de Curitiba, que possui duas unidades, são: Cascavel, Colombo, Foz do Iguaçu, Irati, Londrina, Maringá, Ponta Grossa, Rio Negro e São José dos Pinhais.

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta